STF julgará pedido de habeas corpus do goleiro Bruno em até três semanas, diz advogado


Rui Pimenta disse ainda que irá fazer com que o jogador se apresente ao Flamengo um dia depois de ser solto


Foto: AE

Bruno Fernandes está preso em Minas Gerais


O advogado do goleiro Bruno, Rui Pimenta, afirmou que o Supremo Tribunal Federal (STF) deve julgar em até três semanas o pedido de pedido de habeas corpus para o ex-jogador do Flamengo.

Bruno está preso na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, enquanto aguarda julgamento por participação na morte da ex-amante Eliza Samudio. 

Caso consiga o habeas corpus, o advogado disse ainda que irá fazer com que o jogador se apresente ao Flamengo um dia depois de ser solto. "Não tenho dúvida de que seu recurso em habeas corpus será concedido pelo Supremo Tribunal Federal (...) No dia seguinte à libertação, vou reapresentá-lo ao Flamengo para que seja reintegrado ao time”, disse Rui Pimenta ao site Uol. 

A assessora do clube carioca informou que o contrato de Bruno está suspenso “porque o goleiro estava impossibilitado de cumpri-lo. Se for solto, falaremos diante de nova realidade”. 

Bruno está preso desde julho de 2010 acusado do desaparecimento e morte da ex-namorada Eliza Samudio. De acordo com a pronúncia da juíza Marixa Fabiane Rodrigues Lopes, Eliza foi morta após tentar na Justiça o reconhecimento da paternidade de seu filho pelo goleiro.

O goleiro, o amigo Luiz Henrique Romão – conhecido como Macarrão –, e o primo Sérgio Rosa Sales vão a júri popular por sequestro e cárcere privado, homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver. Sérgio responde ao processo em liberdade. O ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, também está preso e vai responder no júri popular por homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver.

Dayanne Rodrigues, ex-mulher do goleiro; Wemerson Marques, amigo do jogador, e Elenílson Vítor Silva, caseiro do sítio em Esmeraldas, respondem pelo sequestro e cárcere privado do filho de Bruno. 

Já Fernanda Gomes de Castro, outra ex-namorada do jogador, responde por sequestro e cárcere privado de Eliza e do filho dela. Eles foram soltos em dezembro de 2010 e respondem ao processo em liberdade. Flávio Caetano Araújo, que chegou a ser indiciado, foi inocentado.

Copa do Mundo
O advogado relatou ainda que sonha com o jogador na Copa do Mundo: “Ele será julgado separadamente e acredito que possa ser até absolvido pelo Tribunal do Júri, porque não mandou matar Eliza. Sonho com sua absolvição e que, livre do problema, possa continuar sua carreira e até vestir a camisa da seleção brasileira, em 2014”. 

Comentários