Um morto e 5 feridos em 'pente fino' da PM em São Gonçalo


Enviado por Marcela Freitas 17/5/2012 20:40:59
Um homem foi morto durante operação da PM na Comunidade da Palha Seca, em Tribobó (Foto: Lucas Figueiredo) ::


Um homem morreu, cinco pessoas foram presas e duas detidas durante megaoperação realizada, ontem, por policiais do 7º BPM (São Gonçalo) em diversas comunidades de São Gonçalo. A ação contou com apoio de 126 homens do Batalhão de Choque (BPchoque), equipe de cães, 12ª BPM (Niterói), 25ª BPM (Cabo Frio) e 35ª BPM ( Itaboraí). Durante a ação foram apreendidos farta quantidade de drogas, armas e veículos irregulares.

O comandante do 7º BPM (São Gonçalo), tenente-coronel Luiz Eduardo Freire, que assumiu a unidade, na última sexta feira, também participou da ação nas comunidades do Salgueiro e Complexo da Coruja, no Vila Lage.
“Apesar de estar comandando o batalhão, nunca deixei de ser um soldado. Eu faço parte do contexto. Sou um policial como todos os outros, que luta para combater a criminalidade”, afirmou.

Segundo Freire, a operação, que ocorreu em todo o Estado, teve como objetivo combater qualquer ato ilícito. 
“Estamos combatendo todas as modalidades criminosas de São Gonçalo, seja ela, de revista, trânsito, tráfico ou apreensões”, explicou.

Morto- Durante operação na Palha Seca, em Tribobó, os PMs foram recebidos a tiros na localidade da Mangueirinha. Na ação, um homem identificado como Branco, que, segundo a polícia, seria oriundo da Favela Mangueira, no Rio, foi baleado no peito e morreu no local.

Com ele, os policiais apreenderam uma pistola 9 milímetros com carregador, uma mochila com 38 sacolés de cocaína, caderno com anotações do tráfico, roupas de cama, pequena quantidade de dinheiro e uma touca ninja. De acordo com as investigações, Branco teria sido convidado pelo traficante Ximarru, apontado como ‘chefe’ do tráfico na comunidade e indicado pelas lideranças do Comando Vermelho (CV), para ‘fortalecer’ o tráfico na Palha Seca.

O corpo do suspeito, que aparentava ter entre 18 e 20 anos, foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML), em Tribobó.

Comentários