Bom dia! O resumo das principais notícias dos jornais desta segunda-feira, 25 de junho.


 


Shopping Higienópolis tinha 442 vagas a menos, aponta documento


*Egípcios lotam a praça Tahrir, epicentro da revolta contra o ditador Mubarak, e festejam a vitória de Mohamed Mursi, da Irmandade Muçulmana

Jornais nacionais
Folha de S.Paulo

Agora S.Paulo

O Estado de S.Paulo
Mercosul afasta Paraguai de reunião de cúpula e vê ruptura

O Globo
Paraguai será suspenso do Mercosul até eleições

Estado de Minas
Ministra também foi vítima de tortura

Correio Braziliense
Paraguai é punido após "ruptura democrática"

Zero Hora
Lugo cria governo paralelo, e Mercosul afasta o Paraguai

Valor Econômico
Casino recusa ideia de "fatiar" Pão de Açúcar

Brasil Econômico
"Copa não vai resolver todos os problemas do país", diz Rebelo

Jornais internacionais
The New York Times (EUA)
Islamita faz história no Egito

The Washington Post (EUA)
Islamita vence no Egito

The Guardian (Reino Unido)
Cameron anuncia plano para reduzir benefícios

Le Figaro (França)
Grécia mentiu para os europeus?

El País (Espanha)
Problemas em rodovias abrem rombo de 3 milhões de euros

Clarín (Argentina)
Arsenal, um pequeno que virou campeão


O Globo
Manchete: Paraguai será suspenso do Mercosul até eleições
Medida é defendida por Dilma e pode atrasar investimentos no país

Numa reação inédita, os líderes dos países sul-americanos decidiram suspender o Paraguai do Mercosul e da Unasul como punição pelo impeachment do presidente Fernando Lugo, condenado como “quebra da normalidade democrática”. A medida, defendida pela presidente Dilma Rousseff, pode atrasar investimentos no país e será oficializada na cúpula do Mercosul em Mendoza, na Argentina, no fim de semana, valendo até as eleições no Paraguai, em abril de 2013. A Venezuela já suspendeu o fornecimento de petróleo. Ontem, Lugo disse ter sido vítima de um golpe parlamentar e afirmou só ter acatado a destituição para evitar um banho de sangue. (Págs. 1 e 25)
Enquanto isso, na Argentina...
A presidente Cristina Kirchner vive um “inferno astral”, com nova onda de greves e protestos. Há três dias 400 trabalhadores ocupam a jazida que produz 15% do petróleo do país. O sindicato dos caminhoneiros marcou greve geral. (Págs. 1 e 19)
Fotolegenda: Rio menos 20
Casas sobre pilotis resistem nas margens do Rio Preto, na Região Serrana, uma das mais castigadas pela tragédia do ano passado. Famílias continuam a viver sob risco. (Págs. 1, 10 e 11)
Número de visitantes 50% maior que o previsto
O Rio recebeu 110 mil visitantes para a Rio+20, 50% a mais do que o previsto, informou ontem o prefeito Eduardo Paes, para quem a cidade passou no teste. Segundo ele, o trânsito, que era uma grande preocupação, fluiu bem. O tempo médio de deslocamento das comitivas ficou 25% do esperado. (Págs. 1 e 24)
Jacarés eram usados para torturar presos
Comissão da Verdade vai convocar coronel que detalhou rotina da Casa da Morte no Rio

Cinco jacarés e uma jiboia, capturados na Região Amazônica na Guerrilha do Araguaia, foram usados nos anos 70 para torturar presos políticos no Pelotão de Investigações Criminais do Exército, na Tijuca. O tenente-coronel reformado Paulo Malhães, conhecido nos porões da ditadura como “doutor Pablo”, contou ao GLOBO que os animais eram seus. O coordenador da Comissão da Verdade, Gilson Dipp, pretende ouvir Malhães, que atuou na Casa da Morte, centro de torturas em Petrópolis. (Págs. 1 e 3)
Aspásia é lançada no Rio; Serra e Chalita, em SP
O PV oficializou ontem a candidatura de Aspásia Camargo para prefeita do Rio. Ela disse que uma de suas metas é a regularização fundiária das favelas. Em São Paulo, os tucanos lançaram José Serra, que criticou o petista Fernando Haddad. O PMDB lançou Gabriel Chalita. (Págs. 1, 5 e 9)
Islamista vence eleição no Egito
Num resultado histórico, o candidato da Irmandade Muçulmana, Mohamed Mursí, foi declarado vencedor do pleito presidencial, tornando-se o primeiro islamista eleito chefe de Estado num país árabe, Ele derrotou o candidato dos militares, ligado ao regime de Hosni Mubarak. (Págs. 1 e 26)
Turquia acusa Síria de abater caça em área internacional (Págs. 1 e 26)

Bancos facilitam renegociação de dívida atrasada
Os altos e resistentes índices de inadimplência no estão fazendo com que bancos, varejistas e operadoras de cartão ofereçam condições melhores para os clientes quitarem dívidas em atraso. O parcelamento pulou de três para 12 e até 24 meses. Multas e taxas têm sido zeradas. Na Suíça, representantes dos bancos centrais alertaram para o alto endividamento no país. (Págs. 1, 17 e 18)
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo
 
Manchete: Islamita moderado vence no Egito
Mohamed Mursi, da Irmandade Muçulmana, é eleito com 51,7% dos votos e afirma que será ‘presidente de todos’

Um ano e meio após a deposição do ex-ditador Hosni Mubarak, o Egito será o primeiro país árabe a ter um chefe de Estado islamita democraticamente eleito.

Mohamed Mursi, da Irmandade Muçulmana, venceu com 51,7% dos votos, derrotando no segundo turno o general da reserva Ahmed Shafiq, último premiê de Mubarak. No primeiro pronunciamento, Mursi adotou tom conciliatório, prometendo ser “presidente de todos os egípcios”. (Págs. 1 e Mundo A9)

Análise: Reações positivas sugerem acordo internacional

As rápidas boas-vindas, inclusive de Israel, à vitória da Irmandade Muçulmana indicam que foi fechado um acordo internacional que envolveu os EUA. (Págs. 1 e Mundo A10)
Salem H. Nasser é coordenador de centro de direito da Fundação Getulio Vargas
Paraguai vai ser suspenso da Unasul e do Mercosul
O Brasil e os demais países sul-americanos decidiram suspender o Paraguai do Mercosul e da Unasul até as eleições presidenciais previstas para abril de 2013.

É uma resposta ao impeachment-relâmpago do presidente Fernando Lugo. Os vizinhos também querem desencorajar processos similares na região. (Págs. 1 e Mundo A11)
Serra oficializa candidatura com ataque a Haddad
José Serra (PSDB) oficializou sua candidatura em SP com ataques a Fernando Haddad (PT). “Não estou aqui para experimentar, brincar de governar”, disse, rebatendo Haddad, que prega ser o novo. Gabriel Chalita (PMDB) se lançou com críticas aos adversários. (Págs. 1 e Poder A6)
Presidente do STF cobra pressa na ação do mensalão (Págs. 1 e Poder A4)

Entrevista da 2ª: Gilberto Gil
Houve certo desânimo por parte do MinC

O ex-ministro da Cultura Gilberto Gil faz 70 anos amanhã e fala de convicções políticas, MPB e drogas. Sobre a ministra Ana de Hollanda, diz que “houve um certo desânimo administrativo por parte do ministério”. (Págs. 1 e A12)
Editoriais
Leia “Nem lá, nem cá”, acerca de avanços e fragilidades ambientais, e “A voz de Getulio Vargas”, sobre projeto de lei que flexibiliza “A Voz do Brasil”. (Págs. 1 e Opinião A2)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo
 
Manchete: Mercosul afasta Paraguai de reunião de cúpula e vê ruptura
Bloco expressa enérgica condenação’ ao impeachment de Lugo, que denunciou ‘golpe’; Franco defende medida

O Mercosul suspendeu o Paraguai da cúpula prevista para esta semana em Mendoza, na Argentina. A decisão foi tomada por consenso dos nove integrantes e observadores do bloco regional em razão da “ruptura da ordem democrática”, segundo nota divulgada pela chancelaria argentina. A decisão veio no momento em que o novo presidente, Federico Franco, e o deposto, Fernando Lugo, falavam que participariam da reunião. Ontem, na primeira entrevista após a saída, Lugo qualificou de “golpe” seu afastamento e disse haver acatado a decisão do Legislativo para evitar um “banho de sangue”. O Itamaraty informou que todos os acordos comerciais estão mantidos. (Págs. 1 e Internacional A11)
Protesto contra os vizinhos
Manchete do jornal La Nación fala em uma “nova Tríplice Aliança”, de Brasil, Argentina e Uruguai, contra o Paraguai. (Págs. 1 e Internacional A15)
Fotolegenda: Islâmicos chegam ao poder no Egito
Fogos sobre a Praça Tahrir celebram a confirmação da vitória de Mohammed Morsi, da Irmandade Muçulmana, nas primeiras eleições presidenciais livres do Egito. Foi um triunfo do grupo religioso na luta pelo poder com a junta militar que governa o país desde 2011. (Págs. 1 e Internacional A17)
Serra sai da convenção sem definir vice
O ex-governador José Serra foi lançado ontem candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo em meio a pressão de seu partido para que a indicação do cargo de vice-prefeito fique com os próprios tucanos, e não com o PSD do prefeito Gilberto Kassab. Em discurso, Serra defendeu a gestão Kassab, destacou parceria com o governador Geraldo Alckmin e atacou o governo do PT, da senadora Marta Suplicy (2001-2004). Após missa na Praça da Sé, o PMDB também oficializou Gabriel Chalita como candidato “da fé e do respeito”. (Págs. 1 e Política A4 e A6)
Fórum criado na Rio+20 vigiará compromissos (Págs. 1 e Planeta A18)

Queda de juros afasta investidor da renda fixa (Págs. 1 e Economia B6)

Ele agora é o dono
Jean-Charles Naouri, diretor-presidente do Grupo Casino, o novo controlador do Pão de Açúcar, diz que abriga com Abilio Diniz ficou para trás, assegura a manutenção do presidente da rede e nega qualquer negociação em curso com a família Klein. (Págs. 1 e Negócios)
BC dos BCs alerta para alto endividamento do Brasil
Após anos de rasgados elogios, o informe anual do BIS, o Banco Central dos Bancos Centrais fez duras críticas à economia brasileira. O relatório avalia que o caminho escolhido pelo País pode levar a economia global a nova crise financeira, informa Jamil Chade. O BIS levanta a hipótese de que o endividamento já está em “nível perigoso” e precisa mudar com urgência. (Págs. 1 e Economia B1)
Carlos A. Sardenberg
Maconheiro de carteirinha

Legalizar a maconha não é uma boa ideia. Mas pode levar a uma situação menos ruim que a atual. Os traficantes perderiam o mercado. (Págs. 1 e Economia B2)
Notas & Informações
O afastamento de Lugo

A maneira como se deu o afastamento de Fernando Lugo deixou evidente seu isolamento. (Págs. 1 e A3)
------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense
 
Manchete: Paraguai é punido após “ruptura democrática”
Em resposta ao impeachment relâmpago de Fernando Lugo, os governos do Brasil,da Argentina e do Uruguai anunciaram a suspensão do Paraguai nas próximas reuniões do Mercosul (Mercado Comum do Sul). A punição vale até as eleições do país, marcadas para abril de 2013, e aumenta o isolamento do presidente Federico Franco. Na quarta-feira, líderes decidem se vetam a participação dos paraguaios também na Unasul (União de Nações Sul-Americanas). Em Assunção, Lugo chamou o rito sumário de “golpe parlamentar”. (Págs. 1, 14 e 15)
Ministra de Dilma viveu horror da tortura
Titular da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci sofreu nos porões os mesmos flagelos enfrentados pela presidente da República. Em depoimento preservado pelo Conselho de Direitos Humanos de Minas Gerais, ela relatou sessões de espancamento, choques e ameaça psicológica. (Págs. 1 e 2)
Caso Cachoeira: Senado discute hoje destino de Demóstenes
Os membros do Conselho de Ética da Casa votarão hoje o relatório que poderá selar o destino político do senador goiano, acusado de ligação com o bicheiro Carlinhos Cachoeira. Parecer favorável à cassação passará pela CCJ antes de chegar ao plenário. (Págs. 1 e 6)
A batalha para domar as letras
O analfabetismo é uma barreira enfrentada por 85 mil brasilienses, a maioria deles com mais de 60 anos. O aposentado Joaquim Ricardo é um dos que alimenta o sonho de ler e escrever. (Págs. 1 e 21)
Administração: Agências de mãos atadas
Os órgãos reguladores se veem impotentes no que deveria ser a prerrogativa deles: fiscalizar. Além disso, eles carecem de recursos próprios e enfrentam o desconhecimento da população. (Págs. 1 e 10)
Egito: Irmandade Muçulmana vence eleição
O islamita Mohamed Morsy se consagra presidente no primeiro pleito livre do país.Milhares de egípcios comemoraram na Praça Tahir o resultado, que afasta o temor de que seguidores de Hosni Mubarak chegassem ao poder. Mas a instabilidade política continua. (Págs. 1 e 15)
O desafio da justiça com a evolução social (Págs. 1 e Direito & Justiça, Capa)

------------------------------------------------------------------------------------
Valor Econômico
 
Manchete: Casino recusa ideia de "fatiar" Pão de Açúcar
O grupo francês Casino, que desde sexta-feira assumiu o controle do Pão de Açúcar, não tem a menor intenção de perder fatias da companhia número um do varejo brasileiro. Jean-Charles Naouri, o executivo que comanda o Casino, disse ao Valor em Paris que isso "destruiria, em poucas semanas ou poucos meses, a liderança conquistada ao longo dos últimos 15 anos". "Destruir tudo isso num passe de mágica seria uma pena", concluiu. Esteve na mesa de negociações a separação do negócio de varejo de alimentos (GPA Alimentar) da operação do Via Varejo (Casas Bahia e Ponto Frio). Abilio Diniz ficaria com a Via Varejo.

Naouri e Abilio têm uma reunião marcada hoje, no escritório do Casino, em Paris, e devem tentar tratar das bases de um novo acordo entre os acionistas. Abilio indicará a possibilidade de sair do grupo com o Via Varejo. Mas Naouri não só pretende manter o GPA íntegro, sem vender partes dele ao ex-controlador, como não vê motivos para dispensar Abilio da cláusula de não concorrência à qual está amarrado por contrato, no caso de sua saída. O executivo francês disse que esse é um dos pontos confidenciais em discussão e que a resposta será dada diretamente a Abilio. "O que orienta nossa reflexão é o interesse social do GPA. Será que é do interesse de um pequeno acionista que o senhor Diniz possa ter sua cláusula de não-concorrência dispensada? Estas decisões não são movidas por sentimentos de capricho ou emoção". (Págs. 1, B4 e B5)
Paraguai será suspenso do Mercosul
Os governos dos países sul-americanos, reunidos na União das Nações da América do Sul (Unasul) e no bloco do Mercosul suspenderão, nesta semana, a participação do Paraguai em suas atividades, segundo espera o governo brasileiro. A decisão é uma resposta ao que a maioria dos países classificou de "ruptura da ordem democrática" com a deposição do presidente Fernando Lugo, e visa pressionar por eleições o mais cedo possível.

A suspensão é temporária, não equivale à expulsão do país. Pelas regras do Mercosul, a medida sujeita o Paraguai a sanções que podem variar do bloqueio terrestre ao corte de financiamentos. A presidente Dilma Rousseff decidiu deixar indefinidas as sanções, propositadamente, à espera da reação paraguaia. O Brasil descartou fechar a fronteira ou o comércio em Foz do Iguaçu. (Págs. 1 e A13)
Fotolegenda: Planos ousados
Após voltar à bolsa, a Vigor tem planos ousados de captar R$ 200 milhões por ano para investir. "Somos geradores de caixa com dívida quase zero", disse o presidente Gilberto Xandó. (Págs. 1 e B16)
Pacote deve reduzir a TJLP para até 5%
O novo pacote de estímulos aos investimentos, que o governo deve lançar nos próximos dias, deverá reduzir a Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP). Essa taxa, que é cobrada nos empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), está em 6% ao ano desde junho de 2009 e, segundo o Valor apurou, tende a ser cortada para 5,5% ou mesmo 5% ao ano.

No pacote haverá um forte estímulo às compras governamentais, por meio da regulamentação das margens de preferência para produtos nacionais nas compras para a área de saúde e da ampliação da lista de itens para aquisição do Ministério da Educação. O governo espera gastar mais de R$ 60 bilhões neste ano em compras públicas, ante R$ 51,7 bilhões em 2011, segundo dados do Ministério do Planejamento. (Págs. 1 e A4)
BIS vê risco de crédito no Brasil
O Banco Internacional de Compensações (BIS), banco dos bancos centrais, aponta riscos na expansão sem precedentes do crédito no Brasil, China e outros emergentes, como o boom imobiliário e o endividamento crescente de famílias e empresas. No Brasil, Argentina e Turquia o crédito cresceu mais rápido que o PIB, superando a tendência de longo prazo ("gap de crédito"). O Brasil entrou na zona de risco, com "gap" de 13,52 pontos percentuais. A proporção do PIB que famílias e empresas do Brasil gastam com pagamento de dívidas é a maior desde fins dos anos 1990. (Págs. 1 e C14)
Perda de espaço revolta PT na Câmara
O grupo majoritário da bancada do PT na Câmara dos Deputados quer assumir o comando do partido nas eleições internas de 2013 com o objetivo pressionar o Palácio do Planalto a ampliar a participação do partido nos espaços e nas decisões do governo.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, é um de seus principais alvos. Havia a expectativa de que a saída de Ricardo Flores levasse a Previ de volta à esfera de influência petista, o que não ocorreu. Credita-se a essa insatisfação, por exemplo, as recentes denúncias contra o BNB. O ministro da Indústria e Comércio, Fernando Pimentel, vê crescer sua cotação como o ministro capaz de destravar o governo, que esse grupo considera paralisado. (Págs. 1 e A6)
PRI já comemora volta ao poder no México
A uma semana das eleições, Enrique Peña Nieto comemorou ontem sua vitória na disputa pela Presidência do México. Era um comício para fechar a campanha do principal partido da oposição na capital, mas as 120 mil pessoas que lotaram o campo de futebol e as arquibancadas do Estádio Azteca já celebravam a volta ao poder, depois de doze anos, do Partido Revolucionário Institucional (PRI).

Pouco confiáveis, as pesquisas começaram a coincidir nos últimos dias e ontem atribuíam a Peña Nieto entre 40% e 45% dos votos. Seus maiores rivais, Andrés Manuel López Obrador (25% a 30%), candidato do Partido da Revolução Democrática (PRD) e a governista Josefina Vázquez Mota (23% a 27%), do Partido da Ação Nacional, dizem que esses dados são manipulados e desmentidos por pesquisas próprias, que nunca mostraram. (Págs. 1 e A12)
Empresas que dispensam os chefes
Assim como muitas empresas de tecnologia, a Valve, fabricante de videogames de Bellevue, no Estado de Washington, oferece a seus funcionários um café de alta qualidade, massagens de graça e serviço de lavanderia. Mas há uma coisa que ela não tem: chefes.

As empresas vêm achatando sua hierarquia nos últimos anos, eliminando camadas gerenciais intermediárias que podem criar gargalos e diminuir a produtividade. O punhado delas que levou a ideia um passo adiante, dispensando inteiramente os chefes, diz que a abordagem ajuda a motivar os empregados e torná-los mais flexíveis - mesmo que isso signifique que algumas tarefas, como tomada de decisões e contratações, possam demorar mais. (Págs. 1 e D3)
Irmandade Muçulmana vence a eleição para presidente no Egito (Págs. 1 e A12)

Estados Unidos tentam reduzir à metade valor da retaliação do Brasil no caso do algodão (Págs. 1 e A2)

Investimentos ligados à energia devem somar R$ 1 tri até 2020 (Págs. 1 e Valor Setorial)

Cai exportação para o Mercosul
Medidas protecionistas na Argentina reduzem as exportações brasileiras para o Mercosul em 10,3%, de janeiro a maio. Outros países da América do Sul, como Venezuela e Colômbia, ganham importância. (Págs. 1 e A3)
Importações crescem menos
O crescimento das importações, em volume, desacelerou neste ano. De janeiro a maio, o aumento nos desembarques foi de 2,3% em relação ao mesmo período do ano passado, quando o crescimento havia sido de 14,2%. (Págs. 1 e A3)
Seguros
Ascensão das classes C e D impulsiona o segmento de seguros massificados, que ganha importância na estratégia das seguradoras. Na Lojas Marisa, em parceria com Itaú Seguros e Assurant, a participação dos seguros na receita financeira já é de 15%, diz Arquimedes Salles. (Págs. 1 e Caderno Especial)
Parceria internacional
A Ecom, maior comercializadora independente de energia do Brasil, fez acordo com a britânica Energy Quote para a gestão dos contratos de energia das empresas atendidas pela Quote com subsidiárias no país. (Págs. 1 e B11)
Mercosul reduz plantio de trigo
A área de plantio de trigo nos países do Mercosul deverá somar 7,2 milhões de hectares na safra 2012/13, uma queda de 7% em relação ao ciclo anterior. A retração é liderada por Argentina e Brasil. (Págs. 1 e B15)
Oportunidades na bolsa
Levantamento do Valor Data com ações que possuem ao menos 70% de presença em bolsa mostra que, das 20 que mais subiram no ano até 21 de junho, só quatro fazem parte do Ibovespa. (Págs. 1, D1 e D2)
Grafistas veem luz no fim do túnel
Se o Ibovespa cair, os investidores ainda poderão comemorar, desde que não abaixo dos 52.500 pontos. Quando ocorre o recuo de um ativo, mas não até a mínima de referência, pode ser sinal de reversão de tendência, segundo a análise gráfica. (Págs. 1 e D2)
Leitura reduz prisão
Medida do governo federal estabelece a redução de quatro dias na pena de prisão de condenados em presídios federais a cada livro lido pelo detento, que terá de apresentar resenha da obra ao juiz. Advogados questionam a iniciativa, feita por portaria. (Págs. 1 e E1)
Ideias
Edward Amadeo

Estimular a economia por meio do crédito é estratégia arriscada que pode exacerbar descompasso entre oferta e demanda. (Págs. 1 e A14)

Jairo Saddi

Risco da proteção contra o superendividamento é acabar com o acesso ao crédito a quem mais precisa dele. (Págs. 1 e A15)
------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas
 
Manchete: Ministra também foi vítima de tortura
Como ocorreu com Dilma, a titular da pasta de Políticas para as Mulheres sofreu agressões em Minas na ditadura militar

Em depoimento ao Conselho de Direitos Humanos de Minas Gerais em 2001, Eleonora Menicucci contou ter levado choques elétricos, socos e tapas e sofrido ameaças psicológicas num quartel em Juiz de Fora, em 1971. A última reportagem do Estado de Minas sobre os horrores da ditadura revela também o drama da militante de esquerda que só pôde começar a cuidar da filha quando a menina tinha 3 anos. O caso da hoje publicitária Maria de Oliveira Soares está documentado no curta 15 filhos, que mostra o ponto de vista dos filhos de presos políticos. Em entrevista ao EM na noite de ontem, a ministra disse que não tem ódio dos torturadores e sim um sentimento de superação. (Págs. 1 e 3)
Impeachment: Paraguai é suspenso pelo Mercosul
Bloco econômico anunciou as primeiras sanções contra o país, por “ruptura da ordem democrática” causada pelo afastamento de Fernando Lugo. Com isso, o Paraguai não poderá participar do encontro de presidentes esta semana na Argentina. (Págs. 1 e 18)
Natureza atropelada: Uma rodovia e muitos problemas
A segunda reportagem sobre o impacto do transporte rodoviário no meio ambiente mostra o contraste da BR-040. O trecho administrado pelo Dnit tem bota-foras no acostamento, animais atropelados e mananciais poluídos. Já o privatizado tem equipe de manutenção e tela para evitar travessia de bichos, mas falta drenagem para produtos tóxicos. (Págs. 1 e 21)
Planos de saúde: Descredenciamento de médicos é alvo de queixas (Págs. 1 e 16)

Uberlândia: Fraude obriga universidade a suspender o vestibular (Págs. 1 e 23)

------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio
 
Manchete: Uma rodada para esquecer (Págs. 1 e Esportes 1, 2 e 4 a 6)

Dia D para a candidatura do PT no Recife
Diretório nacional avalia hoje recurso de João da Costa, que pode se licenciar do partido. (Págs. 1 e 3)
Novo governo paraguaio sofre retaliações
País foi afastado da reunião de cúpula do Mercosul e ficará sem petróleo da Venezuela. (Págs. 1 e 10)
Eleição no Egito
Mohammed Mursi é o primeiro presidente eleito livremente no país. (Págs. 1 e 10)
Estaleiro negocia parceria com japoneses
Sócios do Atlântico Sul, de Suape, admitem conversas com a Ishikawajima. (Págs. 1 e 5)
------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora
 
Manchete: Lugo cria governo paralelo, e Mercosul afasta o Paraguai
Presidente deposto ganha força com decisão dos países vizinhos de negar apoio a novo governante e ensaia contragolpe ao grupo que o tirou do poder. (Págs. 1, 4 e 5)
Seu bolso: Reta final do IPI menor para móveis e eletros
Consumidor tem até o dia 30 para comprar com redução do imposto. Empresas querem prorrogação, mas governo nega. (Págs. 1 e 14)
Carolina Bahia: Brasília vai intervir no INSS da Capital
Planalto não se conforma com atrasos em perícias e “sumiço” de peritos. (Págs. 1 e 13)
------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico
 
Manchete: “Copa não vai resolver todos os problemas do país”, diz Rebelo
O ministro do Esporte afirma ao BRASIL ECONÔMICO que eventos esportivos não podem ser vistos como panaceia, aposta em um legado “espiritual e afetivo” e garante que não há mistérios em realizar um torneio dessa importância. (Págs. 1 e 4)
Latam pode levar centro de operações da Tam para Santiago
Os acionistas do dois grupos falam ao BRASIL ECONÔMICO sobre os planos para a nova companhia, que, no futuro, pode transferir o sistema de distribuição de voos da empresa brasileira para a capital chilena. (Págs. 1 e 18)
Operação externa do BB sobe 41%
Nos 12 meses encerrados em março, o total de depósitos no BB no exterior chegou a US$37,3 bilhões, recursos que ajudaram na liberação de crédito ao exportador. (Págs. 1 e 31)
Seguradoras terão de reforçar capital
Mudanças nas regras de operação do mercado segurador, alinhadas com novo padrão internacional, exigirão R$ 765 milhões a mais no capital das empresas. (Págs. 1 e 30)
Faltam vices na eleição paulistana
Às vésperas das campanhas ganharem as ruas e as telas da televisão, principais partidos, como PT e PSDB, não definiram a composição de suas chapas. (Págs. 1 e 10)
Paraguai fica fora da cúpula do Mercosul
Integrantes do bloco decidiram suspender ontem a participação do país na reunião, em retaliação pela retirada de Fernando Lugo da presidência. (Págs. 1 e 37)
“Vamos pegar em armas”
O secretário da Fazenda de SP, Andréa Calabi, explica por que se nega a pagar R$ 15 bi em créditos de ICMS. (Págs. 1 e 8)
Menos impostos
Indústria de bebidas pede ao governo para entrar no programa Brasil Maior e receber incentivos fiscais. (Págs. 1 e 16)
EBC Serviços

Comentários