Pular para o conteúdo principal

Saiba como escapar das armadilhas do consignado

Guia revela como juros, prazos e encargos bancários devem estar na lista de cuidados
POR Aline Salgado
Foto: Arte O DiaA política de redução dos juros chegou ao consignado do INSS. Agora, aposentados e pensionistas da Previdência já podem pegar empréstimo com taxas 8,55% menores. O teto em vigor é de 2,14% ao mês. Mas, em época de dinheiro farto, é bom ter cautela. Pesquisar juros, ficar de olho nos contratos e avaliar taxas de administração cobradas pelos bancos devem estar na lista de prioridades.
Para saber qual financeira oferece crédito com mais vantagens, o consumidor deve comparar o Custo Efetivo Total (CET). Advogada da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Pro Teste), Maria Inês Dolci explica que o CET mostra ao cliente, em um único número, juros , correção da dívida e encargos embutidos no parcelamento.

De olho no CET

“O Custo Efetivo Total deve estar exposto no contrato. É dessa maneira que o aposentado ou pensionista saberá quanto vão pesar todas as variáveis: valor requerido, juros, correção e taxas de administração. Como documento, o contrato deve ser guardado até o ano em que a dívida estiver ativa”, explica.

Outra orientação é ficar atento às vendas casadas. Maria Inês Dolci esclarece que os bancos não podem empurrar outros produtos ao aposentado além do crédito nem impor que ele adquira serviços, como cartão de crédito, em troca da concessão do dinheiro.

Avaliar se o crédito cabe no orçamento é também fundamental. Mesmo com juros atraentes, a dívida não pode ultrapassar 30% do valor do benefício. “O aposentado deve ter claro que o empréstimo consignado é uma alternativa para cobrir dívidas altas e não um meio de comprar bens, como uma televisão”, conclui a especialista.
Taxas a partir de 0,75%

Os bancos já passaram a adotar a nova redução dos juros aprovada no Conselho Nacional de Previdência Social. As taxas máximas caíram de 2,34% para 2,14% ao mês. Já as operações com cartão de crédito, também descontadas no benefício, tiveram teto reduzido de 3,36% para 3,06%.

De acordo com a nova tabela (confira acima), a Caixa Econômica é a instituição que cobra taxas mais vantajosas: a partir de 0,75% em operações divididas em até seis meses. O Banco do Brasil aparece em segundo na tabela: as taxas estão a partir de 0,79%, em operações divididas de dois a seis meses.

Dicas

Não comprometa mais de 30% da sua renda líquida com empréstimos, incluindo despesas no cartão de crédito.

Acompanhe sempre a sua conta bancária e imprima o extrato do benefício do INSS. Assim, você poderá controlar melhor as despesas e os descontos referentes ao empréstimo consignado.

Faça uma lista de prioridades todos os meses e evite comprar itens não importantes. Conhecer gastos recorrentes, extras e as receitas faz com que você tenha domínio do dinheiro.

Comentários