Cruzamento de dados das empresas fantasmas da Delta levará Cabral ao nocaute

Embora a CPI Cachoeira – Delta tenha aprovado hoje a convocação dos governadores Marconi Perillo (PSDB – GO) e Agnelo Queiroz (PT – DF) e rejeitado por ora, a convocação de Sérgio Cabral por 17 voitos a 11 não tenho dúvida de que com a quebra do sigilo nacional da Delta, Sérgio Cabral ficará numa situação complicadíssima.
Montagem do Deco

Pra se ter idéia a CPI já descobriu que uma das empresas fantasmas que recebeu quase R$ 500 mil em uma só transferência da Delta está no nome de uma humilde moradora do bairro do Encantado, no subúrbio do Rio. Ela mal sabe escrever o seu nome e trabalha como auxiliar de serviços gerais numa firma que presta serviços ao Estado. A coisa é muito feia. As empresas fantasmas montadas pela Delta no Rio para abastecer políticos movimentaram ilegalmente em dados levantados até agora mais de R$ 40 milhões. Quando os dados da quebra do sigilo chegarem à CPI e forem cruzados entre a Delta, empresas fantasmas e destinatários finais, ficará escancarado o esquema Cachoeira – Delta – Cavendish.
Cabral está desesperado. Vejam a nota que plantou na coluna Radar online, do jornalista Lauro Jardim, da Veja.
Reprodução do Radar online
Podem vasculhar à vontade. Não vão encontrar promiscuidade, nem minha, nem de Rosinha com o esquema de algum empreiteiro, muito menos com a Delta, de Fernando Cavendish.
Aliás, para facilitar o trabalho da CPI vejam abaixo, os comparativos de valores dos contratos da empreiteira Delta, com licitação e por dispensa de licitação, nos governos Garotinho e Rosinha e comparem com os números do governo Sérgio Cabral. Chega a ser chocante.
Em oito anos quando o estado foi administrado por mim e por Rosinha, a Delta recebeu por dispensa de licitação R$ 12 milhões. Enquanto no governo Cabral só por dispensa de licitação, a Delta ganhou R$ 234 milhões. Como poderão conferir na tabela abaixo, a soma das obras feitas pela Delta nos oito anos Garotinho / Rosinha atingiram R$ 544 milhões. Já em cinco anos e três meses do governo Cabral esse número chega a quase R$ 1,5 bilhão.
Todos esses dados são do SIAFEM portanto são oficiais., incontestáveis.
Embora a tropa liderada por Leonardo Picciani e Vaccarezza tenha comemorado a não convocação de Cabral por ora, podem ter certeza que ele não vai escapar da CPI.

Comentários