Homem é preso suspeito de agredir e queimar a filha de 1 anos e 8 meses

Ele é apontado como traficante da Cidade Deus, zona oeste do Rio

Clóvis Gomes da Silva, conhecido como Tou, foi preso na Cidade de Deus, na zona oeste do Rio, na noite de quinta-feira (28), suspeito de agredir e queimar a filha de apenas 1 ano e 8 meses. A criança deu entrada no Hospital Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, com múltiplas fraturas na região torácica.


O caso foi notificado pelo hospital ao 1º juizado da infância e juventude.
Os médicos notaram que a menina chorava sem parar por três dias seguidos. Após a constatação das fraturas, foi determinado o acolhimento da criança pelo lar de Balthazar e Augusto, em Marechal Hermes, zona norte.
Uma diretora do abrigo procurou a polícia e noticiou os maus tratos sofridos pela menor, cujas lesões teriam sido causadas pelo pai, um usuário de drogas.
Ao receber a denúncia, a polícia constatou que Clovis tinha antecedentes criminais e contra ele havia um mandado de prisão pendente.
Após investigação, o delegado titular da DCAV (Delegacia do Adolescente e da Criança Vítima), Marcello Braga Maia, resolveu indiciar o suspeito por tortura, já que as lesões causaram intenso sofrimento físico à vítima.
Os familiares não compareceram à delegacia para prestar depoimento, com medo da reação de Clóvis. Com a prisão dele, a mãe da menina, a tia e a irmã mais velha serão ouvidas nos próximos dias esclarecer a situação.
O suspeito disse a polícia que a criança havia caído sozinha e que não ele estava em casa.
Antes da instalação da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) na Cidade de Deus, Clóvis era um dos principais traficantes de drogas da região, segundo a Polícia Civil.
Ele foi preso e condenado em três ocorrências diferentes por tráfico de drogas e associação para o tráfico, tendo ainda passagens por porte ilegal de arma de fogo e maus tratos.
do R7

Comentários