Protesto de estudantes no MEC termina em confusão

Estudantes reclamam que policiais usaram spray de pimenta contra os manifestantes


Funcionários do MEC limpam entrada do Ministério da Educação após manifestação de estudantes das universidades federais
Foto: Givaldo Barbosa / Agência O Globo
Funcionários do MEC limpam entrada do Ministério da Educação após manifestação de estudantes das universidades federais Givaldo Barbosa / Agência O Globo
Estudantes e policiais entraram em confronto na frente do Ministério da Educação (MEC) nesta terça-feira, por volta do 12h. Universitário de todo o país e professores das universidades federais em greve realizavam manifestação, na Esplanada dos Ministérios, quando um grupo de alunos dirigiu-se à entrada do prédio. Dezenas de estudantes ficaram frente a frente com policiais militares, que impediam a entrada do grupo no MEC. Segundo relatos, os estudantes gritavam na frente do prédio palavras de ordem, como “ocupa!”.
Nesse momento, houve confusão e empurra-empurra. Policiais usaram spray de pimenta contra manifestantes, que, por sua vez, jogaram cones e objetos, com mastros de bandeiras e faixas na direção do prédio. O grupo não chegou a entrar no ministério. Duas vidraças e duas janelas foram quebradas da fachada do MEC.
De acordo com seguranças do MEC, três policiais militares teriam ficado feridos com os estilhaços de vidro. Estudantes contam que, além do spray de pimenta, um policial teria dado um choque elétrico em um dos manifestantes.
De acordo com o último balanço divulgado pelo Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes), professores de 48 instituições aderiram à paralisação, que se estende desde 17 de maio. Dentro do Ministério, o ministro Aloízio Mercadante afirmou que considera a greve precipitada. Pela manhã, ele recebeu os dirigentes do Andes. Segundo ele, as negociações entre professores e governo serão retomadas na próxima semana, com uma reunião entre sindicalistas e o ministério do Planejamento.

Comentários