Varejo vê aumento de até 4,5% em vendas no Dia dos Namorados


A CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) prevê crescimento de 4,5% nas vendas do varejo para este Dia dos Namorados, na comparação com o mesmo período do ano passado. O número é calculado com base na estimativa de consultas feitas ao banco de dados do SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) para compras no cheque ou crediário.


Para o presidente da CNDL, Roque Pellizzaro Júnior, o estímulo de políticas econômicas convergentes, que combinam afrouxamento monetário com desonerações de tributos ao consumo, devem influenciar positivamente as vendas neste ano. Ainda que a atividade econômica esteja abaixo que gostaríamos, há um otimismo grande por parte do varejo para o movimento nas lojas , diz.
Segundo sondagem da Fecomercio-SP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo), os lojistas paulistanos esperam um movimento 3,35% superior ao de 2011. Os comerciantes de bens duráveis esperam faturar 1,2% a mais, e os de bens semiduráveis, 4%, na terceira data mais importante para o comércio.
O brasileiro deve gastar em torno de R$ 75 com o presente do Dia dos Namorados, segundo estimativa da CNDL com o SPC.
De acordo com a sondagem feita pela Fecomercio-SP, o valor médio de cada presente comprado pelos paulistanos deve ser de R$ 64,29. Mas cerca de 67% dos entrevistados afirmam que desembolsaram ou vão desembolsar mais de R$ 70 com o presente.
Calçados, roupas e acessórios foram apontados como os bens preferidos pelos casais, tanto para presentear o companheiro como para ganhar.
Segundo o levantamento, 40,8% dos paulistanos que vão presentear o companheiro na data deixaram para ir às compras na véspera do dia 12.
Um quarto dos entrevistados (25,6%) afirmaram que não comprarão presentes porque estão sem condições financeiras ou endividados.

Comentários