Em Búzios, Jacaré causa alvoroço na Praia de Manguinhos


JACARÉ DE ESPÉCIE NÃO IDENTIFICADA SAI DA ÁREA DE MANGUE E VAI PARAR NAS AREIAS DE MANGUINHOS

716369
Por Márcia Ribeiro
Um jacaré de espécie ainda não identificada causou um pequeno tumulto na manhã de domingo (24), na Praia de Manguinhos. Apesar de serem antigos moradores da região, o animal, não se sabe como e nem por que saiu da área de mangue, habitat natural da espécie, e foi parar no Canto Direito da praia, próximo a Barracuda.
- Quando percebi o tumulto na praia, bem em frente a minha casa, fui correndo até o local para ver o que estava acontecendo e me deparei com um jacaré de cerca de um metro e meio de comprimento caminhando na areia. Em seguida, eu e o pescador Serginho ligamos para os bombeiros pedindo socorro. Meia hora depois os praças chegaram e deram início ao resgate do jacaré.
Por telefone, o grupamento dos bombeiros de Búzios informou apenas que depois de capturado, o jacaré foi levado para um instituto de pesquisa sediado no Bauen Club, na praia das Caravelas, e nada mais pode acrescentar. Contatada pela nossa redação, a assessoria de comunicação do Comandante Geral da Corporação, no Rio de Janeiro disse não poder dar maiores informações sobre o evento porque os registros de ocorrências são feitos no próprio grupamento.      
- Imagine se a praia estivesse lotada? Poderia ter havido um grande pânico pela parte dos banhistas e com certeza o jacaré teria mordido alguém para se defender. Não por maldade, mas por instinto de sobrevivência mesmo, explicou Fábio Rudge, que inconformado por não saber até agora o paradeiro do animal, registrou uma ocorrência junto ao IBAMA (nº 7336/2012). 
- É interessante investigarmos o aparecimento de um jacaré na praia de Manguinhos para entendermos melhor estes animais tão pouco estudados em nossa região. Em relação ao acontecimento, é preciso levarmos em consideração alguns aspectos geográficos na cidade para possíveis “teses” da chegada do bicho na praia. 
Primeira hipótese: O animal pode ter chegado ali através das redes de águas pluviais existentes em Cem-Braças ou interligadas da Lagoa de Geribá. Existe uma possibilidade de ter acontecido isso tendo em vista haver redes que são extravasores das nossas lagoas e que são direcionadas às praias nos períodos chuvosos. 
Segunda hipótese: O animal, cuja espécie eu não pude identificar, pode ter sido fruto de uma fuga de cativeiro mantido próximo à praia, mas essa é a menos provável. O que posso afirmar é que não temos e não teremos jacarés no mar, pois as espécies brasileiras não procedem daí – garantiu Evanildo Cardoso Nascimento, biólogo da Secretaria de Meio Ambiente de Búzios.
Segundo Evanildo existem hoje no Brasil cinco espécies de crocodilianos. Nas áreas costeiras, nas lagoas podem ocorrer quatro: jacaré-tinga, papo-amarelo, jacarépagua e jacaré-coroa. Nas lagoas de Búzios a espécie mais provável é papo-amarelo. Há também o jacaré açu que só ocorre na Bacia amazônica e é um animal que pode chegar a 6 m e pesar 350 kg. Para efeito de esclarecimento informa ainda o biólogo - temos uma Lei no Brasil que proíbe a caça 5.197/67 e também a legalização para criação em cativeiro com suas devidas normas, Decreto 132/88 e 250/88. 
Do JPH

Comentários