Fatos e bastidores do mensalão estampam as capas de Veja, Época e IstoÉ

José Dirceu, sozinho ou com outros réus, aparece nas capas das três revistas que abordam o mensalãomensalao_-_veja_-_epoca_-_istoe

Comunique-se

No sábado que precedeu a semana em que o caso do mensalão começará a ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), três das principais revistas semanais do país escolheram o tema para ser matéria de capa. Com essa postura editorial, Veja, Época e IstoÉ chegaram às bancas no dia 29 repercutindo o escândalo ocorrido durante o primeiro governo Lula. Perfis dos acusados e resgate de informações fazem parte do conteúdo produzido pelos veículos de comunicação.


Publicação da Editora Abril, a Veja deu destaque a um dos 38 réus do caso. O escolhido foi o ministro-chefe da Casa Civil na época em que o assunto surgiu na imprensa em 2005, José Dirceu. A revista destaca que o petista é tido pela Procuradoria Geral da República como “chefe” da organização responsável pelo pagamento ilegal para que parlamentares votassem em favor do governo federal. O impresso garante que o político tinha como plano fugir do Brasil. Um guia para o leitor entender as “manobras” dos advogados dos acusados é apresentado pela revista.
Na capa da Época, Dirceu não está sozinho. Além dele, os petistas José Genoíno, Delúbio Soares e João Paulo Cunha, o ex-deputado Roberto Jefferson (atual presidente nacional do PTB, responsável por divulgar o suposto esquema) e o “lobista” Marcos Valério aparecem dentro de uma estrela trincada. De conteúdo textual, a revista da Editora Globo traz um pequeno perfil dos acusados e informa a quais crimes cada um está respondendo.
A IstoÉ crava que “a tendência do STF é punir os principais acusados e acabar com o sentimento de impunidade”. Mantido pela Editora Três, o veículo destaca como deverá ser a rotina do Supremo durante o julgamento do mensalão. A revista traz, além dos nomes de todos os réus, qual será a sequência de votação entre os ministros. O relator do caso, Joaquim Barbosa será o primeiro a votar. O último será o presidente do STF, Ayres Britto. A publicação também mostra a situação dos réus; afirma, com foto, que José Dirceu “é o retrato do abatimento” e que Roberto Jefferson desenha da possibilidade de ser condenado. “Não há condição de me condenarem”, diz o presidente do PTB.



Comentários