Golpe do Guincho: reboque irregular de veículos também acontece em duas cidades da Região dos Lagos

O depósito particular da Rodando Legal, em Araruama: empresa é acusada de rebocar irregularmente veículos apreendidos em Saquarema e Iguaba
O depósito particular da Rodando Legal, em Araruama: empresa é acusada de rebocar irregularmente veículos apreendidos em Saquarema e Iguaba Foto: Fabiano Rocha / Extra


Marcos Nunes
O Golpe do Guincho chegou à Região dos Lagos. Nas cidades de Saquarema e Iguaba, motoristas e motociclistas em situação irregular estão tendo seus veículos rebocados para o depósito particular da empresa Rodando Legal, que tem contrato com a Prefeitura de Araruama. O certo seria os carros e as motos serem levados para um depósito público credenciado pelo Detran.
Com isso, as vítimas do golpe são obrigadas a pagar valores de taxas de reboque e diárias de permanência no depósito até 455% maiores dos que os estipulados pela tabela do Detran.


E não é só. A mesma empresa instalou um posto avançado em Tanguá, município da Região Metropolitana. Lá, aproveita as antigas instalações de um depósito público do Detran. E, de quebra, mantém na fachada a inscrição "depósito público estadual". Quem entra no local só descobre que está em um depósito particular quando nota o uniforme dos funcionários com a inscrição "Rodando Legal".
No dia 6 de janeiro, o rodoviário Felipe Galax da Silva, de 30 anos, entrava com sua moto na garagem de casa, no bairro Barreira, em Saquarema, quando dois motociclistas da Polícia Militar o abordaram. Comprada há 20 dias, a moto ainda estava sem placa. O veículo foi apreendido e levado irregularmente para o depósito particular em Araruama.
— Sou motorista e uso a moto para ir trabalhar de madrugada. Fiquei 14 dias a pé, o que provocou muitos transtornos — afirmou Felipe.
A Rodando Legal disse ter contrato com as prefeituras de Búzios, Araruama e Macaé, não com Saquarema ou Iguaba. E admitiu ter alugado a antiga sede do depósito público em Tanguá.
Outra vítima do golpe foi o mecânico Rodrigo de Oliveira, de 34 anos, morador de Saquarema.
— No dia 10 de janeiro, ia de moto até a casa de um cliente quando um motoqueiro da PM me abordou, no bairro Barreira (Saquarema). Estava sem a carteira de habilitação e o IPVA estava atrasado. A motocicleta foi apreendida na hora e a colocaram junto com outras em cima de um reboque. Não tive dinheiro para pagar as multas, diária e reboque. Perdi o veículo e acabei ficando mesmo no prejuízo.
Veja a diferença entre as tabelas do depósito particular e dos credenciados pelo Detran:
É de R$ 27 o valor da diária para motos rebocadas pela Rodando Legal em vias municipais de cidades da Região dos Lagos. No depósito do Detran, a taxa sai a R$ 16,20. Já a diária para carros sai a R$ 59,98, enquanto no Detran sai a R$ 39,04. Os valores de reboque para motos cobrada pela Rodando Legal é de R$ 50,30, já no Detran sai a R$ 22,09. A taxa de reboques para carros custa R$ 124,50 na Rodando Legal, mas é de R$ 73,68 no Detran


Comentários