Juros ao consumidor sobem mesmo com queda da Selic

Elevação pode ser atribuída à piora do cenário econômico provocado pela crise na Europa e à expectativa de menor crescimento econômico no Brasil

Apesar da queda da taxa básica de juros (Selic) vista nos últimos meses, os juros ao consumidor voltaram a subir em junho, segundo pesquisa da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac). A elevação, para a entidade, pode ser atribuída à piora do cenário econômico provocado pela crise na Europa  e à expectativa de menor crescimento econômico no Brasil. Também contribui para o resultado o aumento nos indíces de inadimplência, diz a Anefac.
A taxa de juros média geral para pessoa física teve aumento de 0,02 ponto porcentual no mês. Em 12 meses, o aumento foi de 0,44%. Isso significa que os juros passaram de 6,18% ao mês (dado de maio) para 6,20% ao mês em junho — maior taxa desde abril de 2012. Das seis linhas de crédito pesquisadas pela entidade, a de cartão de crédito rotativo ficou estável e duas foram reduzidas (cheque especial e CDC-Bancos Financiamento de automóveis). As outras quatro tiveram aumento.
A taxa Selic teve redução de 2,5 pontos porcentuais desde dezembro de 2011, passando de 11% ao ano naquele mês para 8,5% ao ano em junho de 2012. Na última reunião do Copom, realizada ontem, o juro teve novo corte, para 8%, mas a pesquisa da Anefac ainda considera a Selic no patamar de 8,5%. Nesse período, a taxa de juros média para pessoa física teve redução de 7,85%, caindo de 114,84% ao ano para 105,82%.
Nas operações de crédito para pessoa jurídica, a redução foi de 7,85% (ou 9,02 pontos porcentuais) no mesmo período. A taxa saiu de 114,84% ao ano em dezembro de 2011 para 105,82% ao ano em junho de 2012.
Diante dos sinais dados pelo Banco Central, que ontem cortou a taxa Selic pela oitava vez desde julho do ano passado, e da maior competição no sistema financeiro, a Anefac espera que as taxas de juros voltem a ser reduzidas nos próximos meses. Os bancos começaram a reduzir os juros nos últimos meses depois de bancos públicos fazerem o mesmo. Outro fator que faz a Anefac crer na redução dos juros é a expectativa de redução dos índices de inadimplência no segundo semestre.
do Estadão

Comentários