Nos EUA, incêndio que matou repórter pode ter sido caso de homicídio

Na última terça-feira (10/7), autoridades dos EUA afirmaram que estão investigando a morte de uma repórter do jornal The Winchester Star, do estado americano de Virginia. De acordo com o Washington Post, suspeita-se que o incêndio doméstico que matou Sarah L. Greenhalgh foi homicídio.


Sarah foi encontrada morta em sua casa na última segunda-feira (9/7). Autoridades do condado de Fauquier disseram que estão esperando os resultados da autópsia para determinar a causa da morte. "Temos uma autópsia preliminar, mas nada que possamos liberar sem comprometer o caso", disse o cherife James Hartman.
A editora do jornal Maria Hileman afirmou que Sarah era uma repórter justa e precisa e que não conseguiria pensar em alguma matéria que possa tê-la transformado em um alvo.


Redação Portal IMPRENSA 

Comentários