Reforço de 3.000 PMs em dia de folga começa a funcionar neste domingo no Rio

Serão mais 1.700 patrulhando as ruas da capital, baixada, Niterói e São Gonçalo


Jadson Marques / R7
PMs
PMs serão remunerados para trabalhar nos dias de folga; Cabral disse que governo irá investir R$ 80 milhões por ano no RAS

A partir deste domingo (1º) 3.000 policiais militares do Estado do Rio de Janeiro entram no RAS (Regime Adicional de Serviço) para reforçar o efetivo de alguns batalhões da capital e também da Baixada Fluminense, de Niterói e São Gonçalo, na região metropolitana. Cerca de 1.700 PMs farão o patrulhamento das ruas. Os agentes vão trabalhar nos seus dias de folga com remuneração em um total de 96 horas por mês. 
O governo criou o RAS com o objetivo de acabar com os chamados “bicos” (trabalhos feitos nas horas de folga) por PMs. 
O regime foi usado durante a Rio+20 e será implantado em 12 batalhões do Estado. Segundo o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, este aumento no efetivo de policiais poderá contribuir para a redução dos índices de criminalidade, como roubos de carros e a residências.
— A gente entende que agora, através do RAS, com esta hora suplementar que o policial poderá fazer, nós possamos diminuir estas práticas nas ruas.
do R7

Comentários

Anônimo disse…
o RAS não é voluntário, foi imposto a todos os policiais que se cadastrassem no site do PROEIS para que se voluntariasse ou não no RAS através desse site, ela tinha tanto a escolha de ser ou não voluntário, mas mesmo os que escolheram não ser voluntários estão sendo escalados para esse serviço extra remunerado. Então mesmo aqueles que escolhem não tirar o "bico" para ter uma vida mais saudável, para curtir a família ou várias outras justificativas, serão obrigados a trabalhar, mesmo que sendo remunerados não é justo deixar de viver para trabalhar obrigatoriamente.