Suspeito de estupro e pedofilia tatuava suas vítimas e dizia ser prova de amor

Preso em Caxias, ele teria estuprado meninos entre 13 e 15 anos

Reprodução TV Record
pinta
Polícia investiga se ele marcava as vítimas com pinta igual a que ele tem no rosto
Suspeito de estuprar meninos entre 13 e 15 anos, um homem conhecido como Escravo ou Tatuador foi preso na manhã desta quinta-feira (5), em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, por policiais da Delegacia de Imbariê (62ª DP). Agentes investigam se ele tinha uma estranha mania: após a violência sexual, ele tatuaria a pele de suas vítimas com uma pinta semelhante ao sinal de nascença perto de sua boca. Segundo o próprio suspeito, isso seria uma prova de amor.
Escravo foi preso graças a um mandado de prisão. Mas a pinta também ajudou a polícia na sua identificação. Os investigadores contaram que ele atraía suas vítimas em redes sociais se passando por uma menina. Os encontros eram marcados na sua própria casa. No local os policiais apreenderam fotografias pornográficas de pessoas aparentemente menores. No seu telefone celular, havia uma foto e vídeo dele com uma das vítimas.

Os pais da vítima contaram à polícia que o menino foi marcado após ser estuprado e que o suspeito teria feito o mesmo com outros adolescentes. As demais vítimas serão chamadas para depor e fazer o reconhecimento dele, que deverá responder por estupro e pedofilia. Segundo a 62ª DP, Escravo já tinha condenações por abuso sexual na cidade de São Paulo e em Guarulhos (SP). Os crimes teriam sido cometidos em 2008.

Outro homem, suspeito de estuprar uma mulher em 2009, também em Imbariê, foi preso pelos mesmos policiais. Ambos serão apresentados à imprensa nesta quinta, na própria delegacia.

Assista ao vídeo:

Comentários