Três testemunhas viram o rosto do assassino do agente federal


Elas ajudaram na confecção do retrato falado do homem que disparou duas vezes contra o agente federal Wilton Tapajós no Campo da Esperança. Ele seria moreno claro, teria a face afinada e usava óculos escuros no momento da execução

Pelo menos três pessoas identificaram o rosto do responsável pela morte de Wilton Tapajós Macêdo, 54 anos. As testemunhas foram entrevistadas por investigadores por quatro horas, na noite da última quarta-feira, e ajudaram os papiloscopistas do Instituto de Identificação (II) da Polícia Civil do DF a elaborar o retrato falado do homem responsável por atirar duas vezes na cabeça do agente da Polícia Federal. A execução ocorreu na tarde da última terça-feira, no Cemitério Campo da Esperança.
Segundo o relato das testemunhas, o homem responsável por tirar a vida de Tapajós é moreno claro, de rosto fino e tem o cabelo quase raspado. Ele usava óculos escuros na hora em que puxou o gatilho, mas um pouco antes de cometer o crime foi visto sem o acessório. Por esse motivo, o II confeccionou três imagens diferentes do autor do assassinato: com e sem os óculos e uma terceira na qual simula um provável disfarce.

Comentários