Após ofensa de 'maconheira', Soninha pode processar Fidelix


Após sofrer críticas de que seria "maconheira", a candidata do PPS à Prefeitura de São Paulo, Soninha Francine, afirmou nesta sexta-feira que pretende entrar na Justiça contra o adversário Levy Fidelix (PRTB) por injúria e difamação. Ao se queixar da falta de espaço na mídia durante a cobertura das eleições municipais, Fidelix disparou contra Soninha em entrevista aoEstadão: "A maconheira pode, o Levy não pode". Soninha negou a acusação apesar de já ter admitido o uso da droga "há muito tempo atrás". "É mentira. As pessoas agridem em momentos de reação emocional, mas essa foi gratuita. Me agrediu para reclamar da falta de espaço", rebateu.


Em tom de tranquilidade, Soninha afirmou que está acostumada a sofrer agressões verbais dos adversários. "Já me ofenderam várias vezes, chamando de maconheira, vagabunda e até de mensaleira (quando ainda estava no PT)". Conformada, a candidata do PPS declarou que a ignorância maior é o desconhecimento dos adversários sobre o que ela realmente defende. "Em 2008, tinha gente dizendo que eu ia colocar maconha na merenda escolar".
Soninha Francine é favorável à legalização da maconha no País. Para ela, o modelo de comercialização dominado pelo crime organizado é causador de violência e corrupção. A candidata defende a venda em bares, como a cerveja e os cigarros.
do terra

Comentários