Dia dos Pais intensifica a pressão para liberar chips


A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) deve anunciar até amanhã a data de liberação das vendas de chips de celular da TIM, da Oi e da Claro.
Oficialmente, a agência não cravou quando reverterá os efeitos da suspensão. Mas a Folha apurou que a intenção é cumprir o prazo fixado pelo ministro das Comunicações, Paulo Bernardo.
Ele veio a público no dia 23, quando passou a vigorar a interrupção das vendas, para comunicar que a situação deveria ser normalizada em 15 dias --o prazo vence no início da próxima semana.


JULIA BORBA
DE SÃO PAULO

Alex Argozino/Editoria de Arte/Folhapress
A agência está sendo pressionada pelo governo e pelas próprias teles, que estão preocupadas com impacto negativo da medida sobre a campanha de Dia dos Pais.
Comemorada no próximo dia 12, a data está entre as três mais importantes para o setor, ao lado do Natal e do Dia das Mães, e é foco das estratégias de conquista de novos clientes pelo setor.
PRESSA
As operadoras têm pressa. Fora o temor de uma liberação tardia, que prejudicaria as campanhas e as vendas do Dia dos Pais, elas sofrem prejuízos diretos pela proibição de vender novos planos e têm impacto negativo sobre a imagem da marca.
"É importante que a população possa ter acesso a todas as opções, para melhor escolher. Por isso, quanto mais cedo vier a liberação, melhor. Que seja no mais tardar, nesta sexta-feira [amanhã]", diz Eduardo Levy, diretor-executivo do Sindtelebrasil, que reúne as empresas do setor.
Nesta semana, os representantes das companhias passaram por todos os gabinetes dos conselheiros e apresentaram os planos de metas para melhoria da qualidade dos serviços.
A medida cautelar da reguladora exige que esses projetos sejam aprovados para que as vendas sejam liberadas.
Cada empresa terá de especificar no documento o valor dos futuros investimentos e projetos de ampliação da infraestrutura e de melhoria na qualidade do atendimento. As metas devem ser explícitas mês a mês, para os próximos dois anos.
As três teles punidas representam 70% do mercado e teriam até o dia 17 para entregar os planos. Até a semana passada, todas elas já haviam entregue ao menos um pré-projeto para avaliação.

Comentários