Equipe de handebol do Brasil mostra maturidade


Além de planejamento da confederação, muitas atletas foram atuar na Europa.

Equipe brasileira de handebol mostra maturidade nos Jogos Olímpicos
PAULO FAVERO , ENVIADO ESPECIAL / LONDRES - O Estado de S.Paulo
Em 2005, o técnico Morten Soubak deixou a Dinamarca, que tinha a liga feminina de handebol mais forte do mundo, para ser treinador no Brasil. "Várias pessoas em meu país acharam estranho. Mas era um sonho trabalhar em outro país com esse esporte", afirma Morten, que comanda a seleção feminina às 12h15, contra a Grã-Bretanha, pela terceira rodada do torneio - já venceu Croácia e Montenegro.


Claro que não é só por causa dele que a modalidade evoluiu no Brasil nos últimos anos. Além de planejamento da confederação, muitas atletas foram atuar na Europa. "Atualmente, as brasileiras atuam em equipes grandes e são titulares. Não estão lá apenas para formar o grupo", diz. Segundo ele, as atletas têm uma característica comum que deixa a seleção com muita raça. "Não é a altura que faz diferença, não é o físico... Acho que criamos um perfil de atletas guerreiras e vamos até o fim com isso."

Comentários