Homem que matou garçonete a facadas é condenado a 20 anos

Júri popular aconteceu no Fórum de Cruzília, MG.
Mulher foi morta na frente de três filhos em janeiro de 2011.

A vítima tinha quatro filhos de um outro relacionamento que moravam com ela e o então companheiro. Ela foi morta na frente de três filhos. Desde o crime, Costa ficou preso em Baependi (MG).




O homem que matou a companheira a facadas em Cruzília (MG), Benedito Camilo de Mendes Costa, em janeiro do ano passado, foi condenado a 20 anos e sete meses de prisão. O júri popular aconteceu nesta quarta-feira (29) no Fórum da cidade. Costa foi condenado por quatro crimes - homicídio, lesão corporal, sequestro e ameaça. O advogado de defesa do réu, Rogério Libânio, disse que já recorreu da decisão da Justiça.
O salão do júri do Fórum de Cruzília ficou lotado nesta quarta-feira. Parentes da vítima, a garçonete Genilda Azevedo, de 33 anos, vestiam camisetas em homenagem a ela. O júri foi composto por cinco mulheres e dois homens. Costa, de 50 anos, acompanhou tudo com aparente tranquilidade. O interrogatório do réu durou cerca de 20 minutos. Ele contou que matou a companheira depois de uma discussão e que não sequestrou a filha de Genilda, alegando que a levou apenas para um lugar seguro.

O crime
O crime aconteceu na casa onde o casal morava há apenas duas semanas. A garçonete Genilda Azevedo, de 33 anos, foi morta a facadas pelo companheiro na madrugada do dia 24 de janeiro de 2011.
Segundo a família, o casal estava junto há pouco tempo e o homem não parecia ser violento. A garçonete tinha quatro filhos de outro relacionamento que estavam morando na mesma casa com o casal. Após o assassinato, a filha mais velha da garçonete, uma adolescente de 14 anos, foi levada pelo suspeito e só liberada por volta de 8h.

Comentários