Pastor protesta contra casamento gay e pede pena de morte a bonecos dos Muppets


Pastor protesta contra casamento gay e pede pena de morte a bonecos dos Muppets
A repercussão da decisão da rede de fast food Chick-fil-A, em manifestar publicamente sua postura contrária ao casamento gay, rendeu o rompimento de uma relação comercial entre a empresa criadora dos bonecos Muppets e a rede de restaurantes.
A empresa fundada por Jim Henson e detentora dos direitos autorais e de imagem mantinha um contrato de licenciamento de produtos com a Chick-fil-A, mas resolveu quebrar esse acordo: “Durante mais de 50 anos, esta companhia apoiou a diversidade e a integração, e notificamos a Chick-fil-A que não desejamos seguir nosso relacionamento com eles”, anunciou a empresa em sua página no Facebook.


A Jim Henson Company recentemente destinou recursos para a ONG “Aliança dos Gays e Lésbicas contra a Difamação” (tradução livre para o português da sigla “GLAAD”).
Perante a esse imbróglio, o pastor Kevin Swanson, em seu programa de rádio, decidiu pedir a pena de morte para o Sapo Caco dos Muppets e também para a personagem Porquinha Pinggy.
Após o anúncio da empresa detentora dos direitos de imagem dos Muppets em romper com a rede de fast food contrária ao casamento gay, o pastor afirmou que os bonecos tomaram “o caminho da sodomia”, de acordo com informações do The Huffington Post.
Um dos participantes do programa do pastor questionou a orientação sexual que os criadores do boneco teriam dado a ele, pois o Sapo Caco não seria “tão interessado na porca Piggy, mas poderia estar interessado em outro sapo”.
O protesto do pastor Swanson em relação à postura dos criadores dos Muppets causou polêmica nos Estados Unidos e repercutiu internacionalmente.
Redação Gospel+

Comentários