Acusada de calúnia e difamação, garota de 13 anos que denunciou colégio via Facebook vai parar na delegacia

564539_281118345328012_872604738_n


Há aproximadamente um mês, poucas pessoas tinham ouvido falar da Escola Municipal Maria Tomázia Coelho, localizada na Praia do Santinho, em Florianópolis, Santa Catarina. Graças à denúncia da aluna Isadora Faber, de 13 anos, o que acontece nos bastidores do colégio foi revelado por meio de uma página no Facebook. A atitude da menina foi considerada pela imprensa brasileira como exemplo para o jornalismo.


Veículos como Veja, Terra, Estadão, IG e outros noticiaram o caso. Além de já ter sofrido represálias, nesta semana, a reclamação de uma professora de português quanto ao conteúdo publicado na rede levou a garota a prestar depoimento na 8ª Delegacia de Polícia de Florianópolis. Isadora foi acusada de calúnia e difamação.

De acordo com a estudante, a professora sugeriu na última aula que todos os alunos lessem o regimento interno da Escola Básica Maria Tomázia Coelho, especialmente os pontos 8 e 9, que apontam as "práticas vedadas" aos estudantes: "8. Levantar injúria ou calúnia contra colegas, professores ou funcionários, bem como praticar contra eles atos de violência de qualquer espécie; 9. Promover ou participar de movimento de hostilidade ou desprestígio à unidade ou às pessoas que nela trabalham, inclusive por meios eletrônicos (internet, celulares)."

Segundo matéria do Estadão, a menina afirmou que essa atitude parece "censura". "Não sofri nenhuma medida socioeducativa, fui parar direto na delegacia, mesmo. Acho que ela (a professora) deveria ler o regimento também", completou Isadora. "Nunca tinha entrado numa delegacia antes, mas lá dentro todos me trataram muito bem". A página editada pela garota já reúne mais de 260 mil seguidores.
Na página do facebook, Isadora publicou cópia da intimação
(Imagem: Reprodução)

Comentários