Em Búzios, manicures são alvo da campanha de prevenção à Hepatite

A Secretaria de Saúde através do Departamento de Vigilância Epidemiológica realiza a partir desta segunda-feira (10) uma campanha de prevenção à hepatite, voltada para as manicures de Armação dos Búzios.


O objetivo da campanha é alcançar as manicures por trabalharem com instrumentos cortantes e perfurantes, com risco constante de contato com o sangue dos clientes.
A campanha acontecerá no dia 10 de setembro, às 9h00 da manhã no Posto de Saúde da Família (PSF), em Cem Braças. Nesta ocasião a campanha vai alcançar também as manicures da Rua Custódio Alves.  Às 14h00 a atividade segue no PSF da Vila Verde para as manicures dos bairros Vila Verde, Rasa e Cruzeiro.
A campanha prossegue no dia 24 de setembro, às 9h00 no PSF de São José para as manicures dos bairros São José, Baía Formosa e José Gonçalves. Às 4h00 será na Policlínica para as manicures da Brava, Manguinhos e Centro.
De acordo com a Coordenadora da Vigilância Epidemiológica Denise Marinho durante a campanha serão ofertados o teste rápido para a hepatite C e a vacinação para a hepatite B. Haverá também orientações e palestras sobre os temas: Hepatites Virais, Equipamentos de proteção Individual e Esterelização.              .
 Sobre a doença:
Hepatite é a inflamação do fígado. Pode ser causada por medicamentos, doenças autoimunes, metabólicas e genéticas, álcool, substâncias tóxicas e vírus.
As hepatites virais são causadas por vírus diferentes. Quando a pessoa já teve um tipo de hepatite, ela pode pegar outro tipo.
A maioria das hepatites virais não têm sintomas, independente do tipo de vírus. Quando apresentam sintomas, são caracterizadas por cansaço, mal-estar, dor abdominal, falta de apetite e icterícia (amarelão). A hepatite crônica, em geral, não apresenta sintomas e aparecem quando a doença está em estágio avançado, com relato de cansaço, fígado aumentado e cirrose.
O diagnóstico inclui a realização de exames laboratoriais, a fim de caracterizar a doença e sua gravidade.
As hepatites virais mais comuns na nossa região são:
 HEPATITE A: a principal via de contágio é a fecal-oral, por contato inter-humano ou por meio de água e alimentos contaminados. É muito comum onde não tem higiene, não tem rede de esgoto e em épocas de enchentes.
 HEPATITE B: é considerada uma DST (doença sexualmente transmissível), ou seja, pode pegar através da relação sexual sem preservativo, pois a secreção vaginal e o sêmen têm o vírus. Esta hepatite também pode ser transmitida em compartilhamento de seringas e agulhas, ao fazer tatuagens, piercings, procedimentos odontológicos ou cirúrgicos, através do leite materno e de mãe para filho durante a gestação. Os postos de saúde têm vacina para este tipo de hepatite.
 HEPATITE C: A infecção por este vírus já é a maior responsável por cirrose e transplante hepático. Ainda não existe vacina para este tipo de hepatite. A principal via de transmissão desta hepatite é e parenteral (venosa). São consideradas pessoas de risco: que receberam transfusão de sangue e/ou hemoderivados antes de 1993; usuários de drogas injetáveis (cocaína, anabolizantes e complexos vitamínicos), inaláveis (cocaína) ou pipadas (crack) que compartilham agulhas, seringas, cachimbos; pessoas que fizeram tatuagem, piercings, que frequentam manicures, podólogos, dentistas, cirurgiões que não obedecem às normas de segurança e não usam materiais esterilizados corretamente. A via sexual é pouco frequente em pessoas que têm parceiros fixos, ocorre principalmente em pessoas com múltiplos parceiros e sem uso de preservativo.

Comentários