Em Búzios, surfista de Geribá está a um passo da elite do surf mundial


MARIANO ARREYES INGRESSA EM CENTRO DE TREINAMENTO MANTIDO NO GUARUJÁ POR MARCA DE DESTAQUE NO CIRCUITO INTERNACIONAL DE SURF
525787
Por Márcia Ribeiro
O surfista Mariano Arreyes anunciou na semana passada que vai morar temporariamente em Guarujá, balneário situado no litoral de São Paulo. O atleta, que faz parte da boa safra de surfistas considerados ‘da nova geração da praia de Geribá’ pretende ficar por lá até o final do ano, onde participará de programas no centro de treinamento da empresa norte americana Oakley, marca que é líder no segmento de óculos esportivos e que possuiu uma numerosa equipe composta por novos talentos revelados nas mais diversas competições de surf que ocorrem anualmente ao redor do mundo. Com a mudança, Mariano pretende fazer um ‘up-grade’ em sua performance a fim de ingressar no Word Qualifying Series (WQS,) divisão de acesso a primeira divisão do surf mundial, já em 2013.

Paralelamente ao ingresso de Mariano na equipe Oakley, será lançado no final do ano, um filme que conta a história do atleta, cuja família veio de Córdoba, quando ainda era criança, para fixar residência em Búzios. A película contará a história da vida real do atleta, sendo que um trailer já estaria disponível na página do facebook (Canal Off), da Rede Globo. Ao PH, Mariano revelou que está muito feliz pela nova fase, lembrando-se das grandes lutas enfrentadas para manter-se evoluindo num esporte que atualmente não oferece muitas chances de patrocínios, mesmo a seus melhores atletas.
- Ainda tenho um longo caminho a percorrer e sei que vamos conseguir realizar o nosso objetivo. Não foi nada fácil chegar até o ponto de evolução em que me encontro hoje, mas reconheço que sem a ajuda de um centro de treinamento profissional, como o que vou encontrar em São Paulo, seria muito difícil subir para a divisão de acesso do surf mundial – disse o surfista, lembrando que pequenas cidades no litoral brasileiro, como Camburiú no Sul e Cabo Frio no Rio, produziram atletas como Flavio Padaratz e Victor Ribas, dois exemplos de surfistas brasileiros, que chegaram a figurar entre os dez melhores surfistas do mundo na década de noventa. 
- Assim como Teco (Padaratz) e Vitinho (Victor Ribas) tenho certeza que, com muito esforço, chegarei aos primeiros degraus do surf mundial. Meus agradecimentos são poucos, mas muitos sinceros. Quero lembrar a força dada pelo Luiz Pinga Campos, a minha equipe LoPaP, formada por meus irmãos, meu treinador Peter Meireles, Ricardo Martins que faz minhas pranchas desde que eu era pequeno, e ao Jornal Primeira Hora, que sempre demonstrou acreditar no meu potencial e na força do surf buziano. Não posso esquecer todo esforço de minha mãe, o incentivo de meus irmãos, Nicolas, Fred, Juliano, Cuti e Estela, e todos os amigos da praia de Geribá além daqueles que conheci na pista de skate. É por todo esse excepcional grupo de pessoas e empresas que pretendo me destacar no surf mundial – disse Mariano, emocionado com os novos rumos e possibilidades de exposição mundial, que se abrem à sua frente.
do JPH

Comentários