Juizado reconhece que registro em carteira conta na aposentadoria


Juizados reconhecem os períodos que não estão no cadastro da Previdência, mas têm registro do patrão.
A TNU (Turma Nacional de Uniformização), última instância de decisão dos Juizados Especiais Federais, decidiu que o segurado do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) pode comprovar o período de contribuição só com as anotações que foram feitas na carteira de trabalho.

Fernanda Brigatti e Viviam Nunes
do Agora

O órgão havia negado a aposentadoria de um segurado do Mato Grosso, porque os pagamentos à Previdência não constavam no CNIS (Cadastro Nacional de Informações Sociais). A TNU determinou, no entanto, que o INSS precisaria provar que as informações da carteira de trabalho não eram verdadeiras para negar o reconhecimento do tempo de contribuição.

  • Leia esta reportagem completa na edição impressa do Agora nesta quinta, 6 de setembro, nas bancas



Comentários