Personalidades e amigos prestam homenagem à Hebe



Diversos políticos, personalidades e fãs passaram pelo Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo, para se despedir da apresentadora Hebe Camargo. O velório começou às 19h de sábado e, até a manhã deste domingo, mais gente continuava a chegar. O corpo da artista devia seguir às 9h30 para o Cemitério Gethsemani, no Morumbi, onde ela será enterrada.


Pela manhã, o maestro João Carlos Martins afirmou que fará um concerto às 17h, na Sala São Paulo, em homenagem à apresentadora. Emocionado, ele disse estar "totalmente" de luto. "Minha estreia na TV, quando tinha 20 anos, foi no programa de Hebe. Ela teve muita força", contou.

O Padre Marcelo Rossi, amigo pessoal da apresentadora, também chegou ao velório pela manhã deste domingo para rezar uma missa dedicada à Nossa Senhora, "do jeito que ela queria". Na cerimônia, ele cantou Como É Grande Meu Amor Por Você e Jesus Cristo, de Roberto Carlos. Padre Marcelo revelou que esteve na casa de Hebe na segunda-feira, na inauguração de uma capela, e notou que ela já sentia dores. Segundo ele, a missa no local foi breve.
Troca de emissora
Questionado sobre o rompimento do contrato de Hebe com a Rede TV! para voltar ao SBT, Amilcare Dallevo, um dos proprietários da emissora, disse que a saída foi "tranquila", e afirmou que a imprensa não deveria tocar no assunto naquele momento. A apresentadora Daniela Albuquerque, mulher de Dallevo, também disse que "a amizade ficou."




História
Hebe Camargo Ravagnani nasceu no dia 8 de março de 1929 na cidade de Taubaté, em São Paulo, e teve uma infância bastante humilde. Filha de Esther Magalhães Camargo e Segesfredo Monteiro Camargo, ela não se inibiu com as dificuldades financeiras e traçou uma trajetória de sucesso, passando pelas maiores emissoras do Brasil e eternizando seu sofá de debates.

Vir ao mundo no mesmo dia em que se comemora o Dia Internacional da Mulher é ter uma estrela apontada para o sucesso. Fazendo um retrospecto sobre sua vida profissional, logo percebemos que a vida de Hebe está diretamente ligada à história da TV no Brasil. Sua vida artística se iniciou na década de 40 integrando o quarteto Dó-Ré-Mi-Fá, do qual fazia parte sua irmã Estela e as primas Helena e Maria. Três anos depois, elas colocaram fim ao grupo e Hebe formou uma dupla caipira com a irmã, utilizando-se de nomes fictícios: Rosalinda e Florisbela. A parceria durou pouco tempo e ela investiu na carreira solo. Foi neste momento que ela ganhou popularidade e visibilidade, cantando sambas e boleros.

Em sua carreira solo, ela chegou a gravar um disco em homenagem a Carmen Miranda, rendendo-lhe o título de Estrelinha do Samba. O sucesso na música a levou a explorar outros talentos artísticos, como o de atriz de cinema. Participou de filmes de de Mazzaropi (1912-1981), contracenando com Agnaldo Rayol em um deles. 

Hebe abandonou a carreira musical para se dedicar à TV. Foi convidada por Assis Chateaubriand para participar da primeira transmissão ao vivo da televisão brasileira, no bairro do Sumaré, em São Paulo, em 1950. Acabou não comparecendo ao evento e foi substituída pela amiga Lolita Rodrigues. Anos mais tarde, ela revelou que faltou ao compromisso para acompanhar o ex-namorado em uma festa.
Apresentadora
Engana-se quem pensava que Hebe Camargo sempre foi loira. Ela estreou como apresentadora em 1955 com o primeiro programa feminino, O Mundo É Das Mulheres. O sucesso da atração era tão grande que ela entrava no ar cinco vezes por semana. Foi nesta época que ela passou de morena para loira.
Seu tato para conduzir entrevistas abriu os olhos das demais emissoras, que a fizeram deixar a TV Tupi. Hebe passou por diversos canais, até chegar ao SBT em 1986. Foi na empresa de Silvio Santos que ela conquistou o título de "rainha da TV".

Ficou no SBT até 2010 e, após inúmeras brigas por questões salariais, se mudou para a RedeTV!. O dinheiro voltou a ser problema na vida de Hebe, já que o canal atrasou seus salários e a levou a rescindir o contrato.
Nessa quinta-feira (27), o SBT anunciou a recontratação de Hebe. Ela estrearia seu novo programa em 2012, mas o formato e a frequência não chegaram a ser divulgados.
Casamento
Hebe se casou duas vezes. A primeira, aos 35 anos, foi com o empresário Décio Capuano, com quem já morava junto há 15 anos. A união foi celebrada no civil e no religioso no dia 14 de julho de 1964.
Ela subiu ao altar com um vestido rosa, pois os costumes da época diziam que somente as virgens poderiam usar branco na igreja. No ano seguinte, ela deu à luz seu [unico filho, Marcello de Camargo Capuano. O fim do casamento aconteceu em 1971 por conta do ciúme excessivo de Décio, que tentou proibí-la de trabalhar na TV. 

Morando com o filho, ela conheceu o empresário Lélio Ravagnani, com quem se casou em 1973. Hebe foi muito feliz nesta união, que durou até 2000, quando o marido morreu.

Comentários