Policiais federais protestam em São Paulo


Policiais federais, em greve desde o dia 7 de agosto, promoveram manifestação de protesto nesta quinta-feira, em frente a sede da superintendência regional em São Paulo.


Agentes papiloscopistas e escrivães depositaram papéis com as palavras “pedofilia, corrupção, trabalho escravo, crime organizado, tráfico de drogas e contrabando”, indicando a suspensão de investigações destes crimes.
Agência Brasil apurou que outros serviços executados pela Polícia Federal, como confecção de passaportes e atendimento a estrangeiros, funcionam normalmente. Esses serviços são prestados por funcionários terceirizados.
Após o protesto na frente da superintendência, os manifestantes seguiram para a ponte do Piqueri, na Marginal Tietê, onde soltaram balões e deram as mãos.
A principal reivindicação dos grevistas é a reestruturação da carreira. De acordo com Marina de Castro, secretaria geral do Sindicato dos Servidores da Polícia Federal em São Paulo, “esses profissionais recebem salário de nível médio – R$ 7,5 mil, mesmo possuindo nível superior”. Segundo ela, a remuneração média do Poder Executivo para o nível superior é R$ 14 mil.

Comentários