TSE aprova envio de tropas para o Rio a partir deste domingo


Objetivo é garantir pleito tranquilo em comunidades não pacificadas.
Nesta quinta, presidente do TSE e ministro da Defesa discutiram assunto.

O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou na noite desta quinta-feira (27) o envio de tropas do Exército brasileiro para reforçar a segurança na cidade do Rio de Janeiro a partir desde domingo (30). Fuzileiros e soldados permanecerão na cidade até o dia da eleição no domingo da próxima semana, 7 de outubro.


Mariana Oliveira
Do G1, em Brasília

Para outras cidades, Campos, Itaboraí, Magé, Macaé e Rio das Outras, o tribunal aprovou a presença das tropas somente no dia da disputa eleitoral.
Mais cedo nesta quinta, a presidente do TSE, ministra Carmen Lúcia, e o ministro da Defesa, Celso Amorim, fecharam acordo para o envio de reforço federal para a cidade do Rio. O envio, no entanto, ainda precisava ser aprovado no plenário da corte eleitoral.

Durante a sessão desta quinta, Cármen Lúcia argumentou para os outros ministros que o pedido de reforços para o Rio é "diferente" daqueles feitos por outras cidades. "Considerando a realidade especial de pacificação em algumas áreas, é preciso reforço antes mesmo da eleição. [...] Não se consegue entrar em áreas não pacificadas", esclareceu a presidente.O pedido de envio de tropas foi feito pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ). A solicitação prevê a concentração de soldados do Exército especialmente na região do Complexo da Maré e na Zona Oeste do Rio.

Segundo ela, há problemas de milícias em algumas comunidades e é preciso garantir a realização de comícios nos últimos dias de campanha eleitoral.
O ministro Marco Aurélio Mello foi o único a divergir da proposta na íntegra. Ele afirmou que seria mais adequado enviar tropas para o Rio apenas no dia da eleição, como ocorre na maioria das cidades. "Vou pedir vênia para que não se abra exceção com antecedência ao pleito." O ministro, no entanto, foi vencido pelos colegas.

Comentários