TSE aprova envio do exército para aldeias indígenas


O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou o envio do exército para quatro zonas eleitorais de Campina Grande, na Paraíba, no dia da eleição. Os ministros também autorizaram o envio da força federal para Novo Aripuanã, Santa Isabel do Rio Negro, Itacoatiara, Benjamin Constant, Tapauá, Boca do Acre, Tabatinga e Manacapuru, no Estado do Amazonas, e para duas aldeias indígenas (Manoel Alves e Santa Cruz) localizadas no município de Itacajá, no Tocantins.


O Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) havia pedido o apoio das tropas dez dias antes da eleição por se tratar de regiões conflituosas e devido ao acirramento da disputa  eleitoral nas localidades, que se distanciam da própria cidade. O TSE, contudo, negou.
A presidente do TSE, ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha, ressaltou que nas últimas quatro eleições, alguns estados pediram forças federais, em média, para 20 municípios para o dia da eleição, dessa vez estão pedindo para mais de 100 municípios, cobrindo quase 80% de um deles. A ministra acrescentou que alguns TREs têm encaminhado pedidos de requisição de força federal em número muito maior do que a média.
Ao se posicionar contra o envio antecipado do exército, o ministro Marco Aurélio lembrou que o objetivo da presença de força federal em uma localidade no dia da eleição é para assegurar um clima de tranqüilidade para que o cidadão possa exercer o seu direito de votar.
O plenário do TSE já analisou 13 pedidos e autorizou o envio de forças federais a 74 municípios, localizados em 5 Estados brasileiros (AM, MA, PA, PB e TO). Em todos os pedidos de requisição de força federal (PB, AM e TO) os governadores dos Estados foram consultados e concordaram com envio de forças federais para garantir o clima de normalidade nas localidades no dia da eleição.
do Terra

Comentários