Em Búzios, fenômeno Loirinho vence também a Copa Jet-Power de Jiu-Jitsu e sonha com patrocínio internacional

Um verdadeiro fenômeno. Assim é o jovem buziano João Lucas Mendonça dos Santos, mais conhecido como Loirinho, bicampeão brasileiro de jiu-jitsu, ganhador de 28 medalhas na faixa azul e roxa, ou melhor, 29. Ele acabou de conquistar mais uma de ouro, na VIII Copa Jet-Power de Jiu-Jitsu (5ª Etapa do Circuito de 2012), realizada neste domingo, no Grajaú Country Clube, no Rio de Janeiro.
          Buziano nato, ele só tem 18 anos, faz o 1º. ano do segundo grau no Colégio João de Oliveira Botas, mas entre outros títulos conquistou medalhas de ouro no Brasileiro X Combat de Jiu-Jitsu em 2011 e na Competição Internacional Brasil X Combat 2012.


              Loirinho treina, no mínimo, quatro horas todos os dias na Academia Gracie Barra Búzios, na SEB, onde também  já dá aulas para iniciantes.  O salário simbólico ele investe no pagamento da própria academia, pois ainda não tem um patrocinador.  O pai, Jonas Pereira dos Santos, paraplégico, é quem o auxilia no que pode com o dinheiro da aposentadoria, para que não fique fora dos campeonatos. O sonho dele e da mãe, Lucia Helena, é ter alguém que o ajude a conquistar voos mais altos, como a ida ao próximo Sul Americano de Jiu Jitsu.
      - Eu me sinto orgulhosa de ver o esforço dele e honrada por vê-lo conquistando todos esses prêmios. Meu marido é seu maior incentivador, mas ganha pouco e toma remédios caros, como o Neurotin 600 mg, para dores nas pernas, que custa mais de  R$200,00, sendo que ele precisa de quatro caixas por mês. E ainda sustenta a casa. Não temos como bancar os custos dele no esporte, embora ele seja campeão em todas as competições que vai. Gostaria de vê-lo treinando profissionalmente, com um patrocinador forte – comenta. O esposo, segundo disse, motiva o filho sempre que sai para as lutas dizendo: "Só vale o ouro, hem?", e é isso que o tem impulsionado nas suas conquistas.
             João Lucas começou a se dedicar às atividades físicas aos nove anos, treinando karate e capoeira. Aos dez, a convite de um amigo, resolveu fazer também jiu-jitsu, e foi se apaixonando até que decidiu se dedicar só isso, sendo ajudado por seus amigos e treinadores, Bruno Miguel e Reinaldo Endi, que ajudam na alimentação dele sempre que podem..
             A ida para os eventos ficou mais fácil, segundo conta, desde que a prefeitura, através da secretaria de Esporte e Lazer, tem colocado a disposição um carro para levá-lo às competições. Continuar competindo e ver o nome de Búzios brilhando em outros países compensa  as dificuldades:
             - O meu sonho é lutar no mundial que vai haver nos Estados Unidos, mas antes disso tem o Sul Americano em Florianópolis, que eu não tenho como ir por falta de grana. Mas eu sei que um dia eu vou ser um grande faixa preta e ainda pretendo ganhar muito títulos pelo Brasil - conclui.

Comentários