Em São Pedro da Aldeia, polícia investiga caso do suco que fez funcionários de P.S. desmaiarem

delegacia são pedro da aldeia (Foto: Heitor Moreira/G1)
Funcionários do Pronto Socorro de São Pedro da Aldeia, RJ, foram ouvidos.Delegado pede prioridade na entrega do resultado de exames.

A Polícia Civil de São Pedro da Aldeia, Região dos Lagos do Rio de Janeiro, investiga o caso de funcionários do Pronto Socorro da cidade terem passado mal e desmaiado logo após beberem um suco de maracujá servido no jantar da noite da última quinta-feira (11).


Segundo o Delegado Titular do município, Dr. Luis Claudio Cruz, o inquérito foi aberto na dia seguinte do ocorrido e sete funcionários da unidade de saúde já foram ouvidos. 
'' O inquérito está evoluindo. Já ouvimos algumas pessoas, algumas vítimas, principalmente. Vamos começar a falar também com os responsáveis da administração do Pronto Socorro. Esperamos identificar, efetivamente, se realmente houve uma situação de intoxicação'' , disse o delegado.
Segundo o subsecretário de São Pedro da Aldeia, Wellington Silva, 30 funcionários passaram mal depois de beberem o suco de maracujá. O atendimento no Pronto Socorro não foi suspenso porque das 34 pessoas que trabalhavam, quatro não tomaram o suco. A unidade não tem nenhuma câmera de segurança. Ainda segundo Wellington,  a segurança da unidade é precária, mas a secretaria está providenciando melhorias. 
suco de maracujá hospital são pedro (Foto: Heitor Moreira/G1)Nesta quarta-feira (17) cozinha do Pronto Socorro funcionava normalmente. (Foto: Heitor Moreira/G1)
Segundo o delegado da cidade, nenhuma hipótese pode ser descartada. Se a intoxicação for confimada, ele acredita que alguém possa ter adicionado alguma substância na bebida.
''Procuramos não descartar nenhuma hipótese. Confirmando a questão da intoxicação, a acreditamos que pode ter sido por adicionamento de alguma substância. É uma investigação de caráter muito técnico. Necessitamos muito do resultado dos exames para conduzir as investigações.''
O Delegado chegou a pedir prioridade na análise dos exames e entrega dos laudos, para que a investigação possa ser conduzida o mais breve possível.
'' O prazo médio do exame é de 30 dias. Mas em razão da impôrtancia, estamos pedindo  prioridade e, provavelmente, possamos ter esse laudo em um tempo antecipado.''


Comentários