No Rio, Cabral passa a perna nos profissionais da Saúde e da Educação


Reprodução da capa do Extra
Reprodução da capa do Extra


Para acabar com a greve dos profissionais da educação, Cabral prometeu-lhes aumento que seria pago a partir de 2013. Anunciou também reajuste para o pessoal da Saúde. Mas era tudo mentira. No Orçamento do Estado para 2013 enviado para a ALERJ não há previsão de nenhum aumento para os servidores da saúde e da educação. Cabral diz que não tem dinheiro. Mas para os aditivos aos contratos superfaturados nunca há problemas de falta de verba. 

Comentários