No Rio, perfil em rede social divulga fotos de armas e drogas em comunidade

Perfil achado seria de criminosos de facção inimiga à do Jacarezinho.
Delegado da 21º DP (Bonsucesso) disse que vai investigar o caso.

Moradores das comunidades de Manguinhos e Jacarezinho, no subúrbio doRio de Janeiro, locais ocupados recentemente pela polícia, contaram aos policiais que criminosos de uma facção inimiga à do Jacarezinho teriam criado uma página em uma rede social. A ideia é usar a rede como forma de ostentação do poder do tráfico de drogas. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (17), no RJTV.
No perfil do Facebook, com o nome de ‘Baile da Vila do João’, uma favela do complexo da Maré, na Zona Norte, há várias fotos de criminosos, alguns deles aparentando ser menores de idade. Nas imagens, os suspeitos exibem armas como fuzis, além de drogas. As imagens foram postadas no perfil a partir do dia 15 de setembro.


Em uma delas aparece o rosto do traficante Matemático, que chefiava a venda de drogas na Vila Aliança, e que foi morto um uma operação da polícia este ano. Na legenda da foto aparecia o seguinte texto: “saudade do patrão”.
Para a polícia, essas fotos foram publicadas por traficantes da mesma facção que controla a Vila do João, também no subúrbio, uma favela rival dos bandidos do Jacarezinho. Em outra foto, eles ameaçam invadir o morro onde os traficantes do Jacarezinho procuraram abrigo. De acordo com os agentes, as iniciais “FQQ” significam "faz quem quer", o nome de uma comunidade em Rocha Miranda. O delegado da 21º DP (Bonsucesso) disse que vai investigar o caso.
O Facebook alegou que não comenta situações específicas, como o perfil mostrado na reportagem do jornal. A Polícia Civil informou que não tinha recebido denúncias sobre esta página. Em relação à suspeita de que os criminosos do Jacarezinho fugiram para o morro do Faz Quem Quer, disse que mantém as informações sobre localização dos criminosos em sigilo.
A PM disse que tem atuado com base em informações passadas pela população. E que todas serão apuradas e mantidas em sigilo até o resultado ser alcançado.
do G1

Comentários