Câmara aprova adicional de risco para vigilantes


A Câmara dos Deputados aprovou ontem o projeto de lei que estende o adicional de periculosidade aos vigilantes e seguranças privados.



Thâmara Kaoru
do Agora
Para a nova regra começar a valer, o projeto precisará ser aprovado pela presidente Dilma Rousseff.
O adicional de periculosidade corresponde a 30% do salário-base, exceto gratificações, prêmios ou participações nos lucros das empresas.
Segundo o texto, esses profissionais correm risco de serem roubados e estão sujeitos à violência.
O projeto aprovado já está com as alterações feitas pelo Senado. A emenda excluiu, por exemplo, o direito ao adicional de periculosidade para atividades sujeitas a acidentes de trânsito e de trabalho.

Comentários