Em Búzios, PM investiga paradeiro de suposto agressor de boate

Testemunha diz que viu policiais colocando o rapaz dentro de viatura.
Suposto agressor não teria sido levado para delegacia em Búzios.
comandante de cabo frio gilmar barros (Foto: Reprodução/Inter TV)Camandante Gilmar Barros (Reprodução/Inter TV)
O comandante do 25º Batalhão da Polícia Militar, Gilmar Barros, disse na tarde de segunda-feira (19) que vai apurar o paradeiro do homem que teria atacado Aderbal Gomes Júnior a garrafadas, dentro de uma boate em Armação dos Búzios, Região dos Lagos do Rio de Janeiro, na madrugada do último sábado (17) para domingo (18).
O coordenador de segurança da boate Privilège, Antônio Cláudio Samuel Junior, diz que entregou o suposto agressor ao policial militar que atendeu a ocorrência e que o rapaz foi colocado na viatura. Mas, ao chegar na delegacia, Aderbal soube que o suposto agressor não teria sido levado para prestar depoimento.  O comandante Gilmar Barros declarou que está investigando o que aconteceu com o suposto agressor, já que ele não teria sido encaminhado para a delegacia.


'' Nós vamos ouvir todas as partes para saber o que, de fato, aconteceu com esse rapaz. Vamos ouvir o responsável da guarnição que foi atender a ocorrência e, se for concluído que o procedimento foi feito de maneira inadequada, os responsáveis serão punidos.'' - disse o comandante.
 O sargento da Polícia Militar responsável pela ocorrência deve ser ouvido daqui a 15 dias pela Polícia Civil, quando a mesma equipe que atendeu a vítima vai estar de plantão novamente.  A equipe do G1entrou em contato com a 127ª Delegacia de Polícia em Búzios, onde a ocorrência foi registrada. Segundo policiais, o suposto agressor ainda não se apresentou para prestar esclarecimentos.

Comentários