Manequins biônicos espiam clientes para estimular vendas


Função de manequins é traçar um perfil do consumidor sem revelar sua identidade

Grandes varejistas do setor de luxo estão equipando seus manequins com olhos biônicos para recolher informações sobre os gostos e hábitos de seus clientes. A tecnologia, chamada de EyeSee e vendida pela fabricante italiana de manequins Almax SpA, é a mesma utilizada para identificar criminosos em aeroportos.


De acordo com o CEO da Almax, Max Catanese, cinco grandes varejistas, entre os quais o Grupo Benetton, já estão utilizando esses “manequins espiões”. O dispositivo de US$ 5.130 tem estimulado lojas a ajustar suas vitrines e promoções para manter os consumidores interessados.
O manequin utilizado apresenta uma estrutura de poliestireno fino, rosto branco e pose improvável. Uma câmera embutida em um olho alimenta dados em um software de reconhecimento facial, o mesmo utilizado pela polícia. Ele registra a idade, sexo e raça daqueles que cruzam o olhar do manequim.
A procura pelo equipamento mostra como os varejistas estão migrando para a tecnologia para ajudar a personalizar suas ofertas. Segundo a Bain & Co., uma consultoria, o mercado de luxo deve crescer 5% este ano, menos da metade da taxa do ano passado.
“Qualquer software capaz de traçar um perfil do consumidor enquanto mantém sua identidade anônima é fantástico”, disse Uche Okonkwo, diretor executivo da consultoria Luxe Corp It. Segundo ele, a tecnologia pode realmente melhorar a experiência de compra, a variedade de produtos oferecidos e ajudar a marca a compreender melhor seus clientes.
Troca de olhares
Embora muitas lojas já usem suas câmeras de segurança para vigiar compradores, o Eyesee fornece informações mais detalhadas por estar no mesmo nível dos olhos do consumidor.
O manequim, que começou a ser vendido em dezembro do ano passado e agora está sendo utilizado em três países da Europa e dos Estados Unidos, convenceu um varejista, que preferiu não se identificar, a ajustar o que expunha na sua vitrine após o EyeSee revelar que os homens que compravam nos dois primeiros dias de uma promoção gastavam mais do que as mulheres. Outra loja de roupas introduziu uma linha infantil após o manequim mostrar que as crianças representavam mais de metade do seu público no meio da tarde. Uma terceira varejista descobriu que um terço dos clientes que visitam suas lojas após as 16 horas são asiáticos. A observação levou os gerentes a contratarem uma equipe que fala chinês em uma das entradas da loja como uma forma de aprimorar o atendimento desses consumidores.
http://opiniaoenoticia.com.br

Comentários