Pular para o conteúdo principal

Transparência estimula participação social no combate à corrupção, diz documento

Os líderes e as autoridades reunidas na 15ª Conferência Internacional Anticorrupção finalizaram o encontro com a aprovação da Declaração de Brasília, cujo teor se fundamenta no combate à impunidade e em práticas cotidianas transparentes de instâncias públicas e governamentais.


De acordo com o texto da declaração, o impacto da transparência deve ser percebido em diversos níveis da sociedade, estimulando a população a unir forças no combate à corrupção, principal ponto de discussão da conferência que começou nesta quarta-feira e terminou neste sábado. A conferência, que foi aberta pela presidenta Dilma Rousseff, teve cerca de 1,9 mil participantes, de mais de 140 países, segundo a organização.
A impunidade foi citada como um risco para a sociedade. Para combater esse fator, foi proposta a promoção do engajamento da população em iniciativas contra a corrupção. "Se a impunidade não for combatida, corre-se o risco de que o tecido social, a supremacia da lei, a fé na política e a nossa esperança por justiça social sejam dissolvidas", diz o texto.
Depois de diversos debates ao longo dos dias da conferência e uma plenária em que foram debatidos os pontos principais da declaração, o texto foi aprovado pelos representantes de diversos países presentes no evento. No encontro, tratou-se de temas como soluções globais para a corrupção, mobilização da sociedade, ferramentas onlinede combate à corrupção, impunidade, crime organizado e transparência.
Para tal, enfatizou-se a necessidade da atuação da imprensa de forma livre, do acesso irrestrito à internet e de outros caminhos de informação ao público que facilitem a luta contra a corrupção. Ainda foram citadas, na declaração, a necessidade da ampla participação de jovens e mulheres, afetados "desproporcionalmente pela corrupção", segundo o texto.
A Conferência Internacional Anticorrupção é considerada o evento mais importante sobre o tema, reunindo chefes de Estado, representantes de governos e da sociedade civil. O debate ocorre em um país diferente a cada dois anos, promovido pela organização não governamental (ONG) Transparência Internacional. Em 2010, a conferência foi em Bangcoc, na Tailândia.
As informações são da Agência Brasil

Comentários