PPS, PSDB e DEM apresentam nova representação contra Lula


Líderes do PSDB e do DEM também vão convidar Valério a prestar esclarecimentos no Senado
Lideranças do PPS, do PSDB e do DEM anunciaram ontem (11), três frentes de atuação para investigar o envolvimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o escândalo do mensalão, após o depoimento do empresário Marcos Valério prestado à Procuradoria Geral da República e publicado com exclusividade pelo Estado. Valério afirmou no depoimento que recursos do mensalão custearam despesas pessoais de Lula e que o ex-presidente deu o aval para que os bancos Rural e BMG tomassem os empréstimos que abasteceram o esquema de compra de apoio político no Congresso.
Os partidos apresentam nesta quarta-feira, 12, uma nova representação contra Lula ao Ministério Público Federal para que as acusações sejam investigadas. No dia 6 de novembro, pouco depois de o Estado ter revelado a existência do depoimento de Valério ao MP, líderes e parlamentares de partidos de oposição entraram com representação na PGR pedindo a abertura de investigação para apurar a atuação de Lula como verdadeiro chefe da quadrilha do mensalão.


Numa outra frente, a oposição disse que vai pedir ainda nesta terça-feira ao chefe do MPF que encaminhe a cópia do depoimento de Valério prestado em setembro. Dentro do Senado, os líderes do PSDB e do Democratas disseram que vão protocolar, também nesta terça-feira, um requerimento de convite para que o empresário preste esclarecimentos na Comissão de Constituição e Justiça da Casa.
“Cabe, sim, ao Ministério Público da União instaurar os procedimentos para a investigação judiciária, a fim de que, se delitos foram praticados, a responsabilização civil e criminal alcance também aqueles que se ausentaram neste primeiro momento do julgamento do Supremo Tribunal Federal”, afirmou o líder tucano, Alvaro Dias (PR), em pronunciamento na tribuna do Senado. “Este é o capítulo a ser escrito, este é o capítulo definitivo do mensalão, a ser escrito agora pelo Ministério Público e Poder Judiciário”, completou.


Comentários