Frase do dia

“O amor é tudo”
(Jesus Cristo)







sábado, 24 de março de 2012

Ostracycle reúne motoqueiros, velocidade e rock in roll até domingo


 
Eles são apaixonados por aventura. Na rotina dessa turma, velocidade, ronco dos motores e adrenalina. Um encontro que reúne milhares de motoqueiros, em Rio das Ostras é o Ostracycle, um dos maiores encontros desse tipo do país.
Nesse encontro vem gente de todos os cantos do Brasil e nem mesmo a chuva atrapalhou os motociclistas. Ao som de muito Rock in Roll eles chegavam na avenida principal de Costa Azul. Uma gente apaixonada pela velocidade, pelas estradas e por esse estilo de vida. A expectativa do evento é reunir, pelo menos, 35 mil pessoas por noite.


E Madonna, hein? Continua provocando com suas declarações


Gosto de trabalhar com pessoas que falam sobre filosofia e física quântica”, diz Madonna
   Divulgação
ESTE É O 12º ÁLBUM DA POP STAR
Madonna acaba de lançar seu 12º álbum MDNA, já elogiado pela crítica, e aproveita para mostrar que, aos 53 anos, o que importa realmente é o conteúdo. Em entrevista ao Something For The Weekend, a “rainha do pop” disse que gosta de trabalhar com pessoas que gostam de ler e sabem o que está acontecendo no mundo. “"A conversa é essencial. Com William (Orbit, produtor com que trabalhou com ela em Ray of Light, em 1998), sempre entro em discussões sobre filosofia ou física quântica.”=
O novo disco da popstar é um retorno às canções pops com uma marca de polêmica, característica nata da cantora. Ela voltou a trabalhar com os principais produtores europeus. Entre eles Martin Solveig, o DJ italiano Benny Benassi e seu primo Allessandro.

Madonna acabou de lançar W.E. - O Romance do Século, seu segundo filme como diretora. Para ela, as duas artes são bem diferentes. “Eu amo fazer as duas coisas, mas foi bom ter a simplicidade de escrever canções, sentar, tocar minha guitarra e cantar uma música, depois de três anos cuidando do roteiro, da direção e da edição do filme. Eu quase chorei.".
Por Marie Claire

O humor, sem Chico, perde a graça

O maior humorista brasileiro deixa a cena e uma galeria de personagens extraordinários que marcou várias gerações
Marcos Diego Nogueira 

img.jpg“O brasileiro só tem três problemas: café, almoço e jantar”Chico Anysio

Estresse infantil

Agenda cheia, reprovação dos pais, conflitos na escola. Pesquisas na área de neurociência e comportamento mostram como a exposição a fatores estressantes compromete o desenvolvimento das crianças e o que fazer para evitar danos futuros
Rachel Costachamada.jpg

A Cidade e a Névoa - Romance de Carlos Sepúlveda 3º capítulo


3    A preguiça nos resguarda da culpa que porventura padecemos, a desculpa pode ser o frio. Nessa cidade, não costuma fazer frio, mas faz um tanto agora. O sol ainda não desenhou sua luminosidade nas frinchas da janela do quarto. O despertador, com as horas vencidas, goteja os minutos derramados porcimadesobre a mesa de cabeceira, por onde escoam as horas, pelo vão da porta do quarto enquanto ainda escurece e a manhã teima em não surgir. Levantar, ir ao banheiro, trocar de roupa para a ginástica. Depressa para esquentar o corpo. Coragem para começar o dia, ruminando o sono sobrante da madrugada., é Lívia que se prepara para outro dia depois da noite óbvia. Silencia o apartamento, sem o rumor estridente da louça, sem o cheiro morno do café da manhã; como todas as manhãs. Sons de um cuidado com ela e o apartamento silencioso é enorme e preguiçoso, parece não produzir vida, tanto o silêncio. Lívia olha para o relógio: atrasada de novo, mas é por causa do frio. A mãe ainda não pôs a mesa da manhã. Sem o café, e os ruídos; as luzes na cozinha – frias – sumiram com todas as coisas íntimas, tudo está esquecido e dormente. Lívia e a mãe, sozinhas, vivendo juntas desde a separação recente. A mãe viúva,cuida de Lívia como jardineiros cuidam de plantas, porque sabem as mães, e somente elas, estarem ao pé de suas filhas sem nada exigir, sempre dispostas ao cuidado de quando elas precisam, e Lívia precisava, muito. .E nem é preciso que algo se diga que, neste universo particular do amor, as palavras são sempre dispiciendas. Reunir forças, levantar, dizer pai-nosso que estais no céu (não dizer: perdoai nossas dívidas,trocar por ofensas, erros do catecismo, inaceitáveis na moderna teologia!). Vestir a roupa da ginástica e caminhar meia hora na praia. A friagem, o inverno, bem na hora. Lívia afinal se ergue e, lentamente, afasta as cortinas da janela, olha o mar e o luzeiro-sol-nascente que devia tingir de vermelho todo o quarto, porém não está, não há sol, que não avermelhou; o quente do sol que não consolou os sobressaltos da noite. Um dia sem aurora, como pode isto ser?
            Ah, Lívia, tão bonita, vestida com uma camisola de lã, curta, e as migalhas do sono pendendo nos olhos verdes, verdes  como são as cores do belo corpo de Lívia...    Ah!, Lívia, ele te beijou, não foi? Te beijou de novo. Depois da aula da faculdade, trouxe você até a porta do prédio: Lívia, eu te amo. Não, ama nada, você só me quer. Quero, claro, mas te quero sempre. E um beijo furioso, de língua, na boca semicerrada de recusa, ou pudor, (seria pudor?). Amanhã a gente se fala, agora não. Vou subir. Não foi dito com a insípida frieza de uma frase, mas com uma sofreguidão de mãos, uns requebros na cintura e uma provocação de pernas e braços, um jeito nos cabelos, uns olhos de promessas, uma medida pressa estudada. Uma recusa de lábios de promessa, um fulgor no rosto. Ela não sentiu mais do que suas carnes dormentes pudessem traduzir. Não lhe tremeram as pernas, nem lá nos embaixos abriu-se flor nenhuma, porém alguém estivera ali: moço rico, bonito,de família de posses.Quantos acidentes impedem o amor de florescer, para quem acredita nessas coisas, não é Lívia? Ainda o outro está presente, no cheiro, na força dos braços, ainda o outro está em suas vontades dela, ainda é quem acende o gozo, ferve a pele, enlouquece a alma. E outros pensamentos intrusos nos dizem que a vida é curta, que tudo pode enquanto se vive. Isto que lateja nos vazios é a força do Amor e da vida.
Lembra Lívia, a mãe que dizia: já não és mais uma criança e estás sozinha, sem marido, sem segurança, Lívia, sem conforto, sem fortuna. Isso de amores, a vida põe e dispõe...Ah! Lá embaixo estás morta, querida. Lá embaixo anda a memória do outro, que se foi numa madrugada infindável. Quem abrirá, com dedos antigos, outra vez, a rosa azul desse teu ventre encerrado? Será possível colher outras rosas? Tua roseira morreu, Lívia, ainda em flor? Flor se corola, amargo exercício de negar, isto é tu, Lívia.
Depois do beijo, a rápida fuga, vertiginosa Lívia, linda, lindacobiçada. Este corpo há de ser um pasto de prazeres, um prêmio, uma festa para moço rico, mas também a salvaguarda para os dias difíceis. Decide, mulher: no comércio do mundo não se pode pensar em culpas e pecados. O amor se foi com o outro, e tudo murchou, o filho perdido também murchou, murchou teu útero, secou tua alma, mas a vida recomeça na urgência dos dias e seus presumidos pecados.
            Deves aceitar este nada ínfimo ou deves arriscar novos amores? São dilemas, Lívia, são dilemas das mulheres que ainda aprendem a amar por si mesmas, e não ser uma boneca de um homem que dela faz uso e desuso e fruto ocasional.

            A hora arrastava, (atrasada de novo), trabalho começando às sete... Foi preciso cancelar a caminhada na praia. Agitou-se num sobressalto; nervosa, escancarou as cortinas: a paisagem branca sob a névoa leitosa, a praia já não havia, nem o mar; do velho Forte, podia-se ver apenas a difusa silhueta. Deus do céu, o que houve? O apartamento em demorado silêncio, o café (onde o cheiro?) os ruídos, a louça, as estridências, a claridade obscura da manhã, onde estavam? O relógio aponta seis horas e quarenta e oito minutos. Lívia está atrasada, tudo está parado, o tempo congelado, as ruas caladas e o medo côncavo do dia...
            Lívia gritou como se a solidão branca na manhã nebulosa fosse o começo de um enredo sem o consolo dos sonhos despertados e no teto do quarto se estampasse um imenso interrogante:
            Mãe?!
            A mãe não ouviu, talvez estivesse ainda dormindo. Lívia estava só, olhando a paisagem branca pela janela. De repente, o apartamento pareceu imenso, vastíssimo como o mar. As paredes eram estranhas, o teto também, os ruídos matinais desapareceram e um outro mundo começou, como uma fruta não escapa ao destino de ter sido semente. Um outro mundo, pálido e silencioso, que não se pode compartilhar porque tudo nele é grande demais, lento demais, frio demais.
            Havia o abandono e a certeza de estar só; o primeiro mortal sobre a terra; o primeiro som de alguma palavra, a palavra que lhe poderia retribuir o sentido desta insólita manhã:
            Mãe???
            O mundo não respondeu, a rua não respondeu, não responderam as gralhas que, todas as manhãs, açoitavam as janelas com seus gritos intermitentes. Não veio a nesga de sol, a mesma que iluminava a mesa de cabeceira e feria-lhe os olhos, anunciando a brevidade da manhã naquele começo de primavera.
            Não era mais seu mundo familiar. Os móveis, as cortinas, a cama desmanchada, o relógio silencioso perderam seu poder de referência e já não significavam mais nada. O quarto era estranho, as portas se abriam para algum abismo, a sala na semi-escuridão dava ao ambiente um enigmático tom de mistério.
            Nem a nesga de mar, entrevista entre os prédios em frente, aparecia. Antes, era uma massa branca de névoa úmida a bailar suavemente, em surdo balé silencioso. Lívia não sabia onde estava, tudo perdera a referência no meio do nada esbranquiçado.
            Ainda tateando, Lívia procurou caminhar um pouco pelo quarto. Cobriu com inútil pudor um pedaço de seio que explodia pelo rasgo da camisola, tocou-o delicadamente, num gesto de maternal e inconsciente cuidado, longe de invisíveis olhares. Mas puro gesto, não havia criança a ser amamentada, só nos sonhos, só nos sonhos de Lívia, só na dor de ter-lhe sido negado o milagre de ser mãe.
            A vertigem melhorou um pouco depois que ela caminhou pelo quarto. Sentiu-se um tanto mais disposta, as faces um pouco mais coradas. Lentamente, pôde resumir o dia anterior e a noite. Pôde entender onde estava, mesmo sem os ruídos da manhã. Mas alguma coisa muito estranha acontecera ao longo da madrugada.
            Respirou fundo, ergueu o corpo e, abrindo a porta do quarto pôde, finalmente, pronunciar em voz alta como houvesse saído de um pesadelo.
            Mãe!!?? 


Um romance de Carlos Sepúlveda. 
Leia um capítulo a cada semana em: 

Sósia do Bono engana jornalista e entrevista vai parar em blog


Assista o vídeo

O jornalista, escritor e blogger Jason Mattera entrevistou sósia de Bono, vocalista da banda irlandesa U2, pensando ser o verdadeiro cantor, divulgou o portal Música TVI24 na sexta-feira (23). A conversa informal foi filmada e o próprio Mattera colocou no seu blog na última terça-feira (20). Segundo o portal da revista Rolling Stone, o jornalista está lançando o livro "Hollywood Hypocrites" e quis confrontar o sósia de Bono com perguntas sobre a alegação de que o U2 não paga impostos sobre os royalties da banda.  Ainda segundo a publicação, Mattera chegou a dar entrevistas sobre a audácia de ter conseguido a entrevista com "Bono". No entanto, o vídeo foi retirado de alguns sites onde havia sido publicado.

Redação Portal IMPRENSA  


Prazos eleitorais ameaçam Lei da Ficha Limpa


 
A Lei da Ficha Limpa está valendo para as eleições deste ano, mas o país corre o risco de não ter estrutura para cumpri-la. Pela legislação atual, os promotores eleitorais terão cinco dias para impugnar, com base, por exemplo, no que determina a Ficha Limpa, pedidos de registro de candidatura apresentados à Justiça Eleitoral.
Isso significa que – se for levado em conta o total de candidaturas a prefeito, vice-prefeito e vereador em 2008, uma soma que dá 381.919 nomes – o Ministério Público terá de analisar, por dia, uma média de 76 mil pedidos.
Se o prazo já era curto sem as novas exigências determinadas pela Ficha Limpa, com elas aumenta o volume de trabalho de pesquisa que os promotores terão de fazer, nesse período, para levantar se um candidato é elegível ou não.

Aposentado do INSS recebe cartas falsas sobre revisão


 
Previdência alerta que não envia avisos de pagamento por correspondência
Aposentados e pensionistas do INSS têm recebido cartas com informações sobre valores referentes a revisões de benefícios. No entanto, segurados devem ficar atentos e desconfiar da veracidade do documento. Segundo a Previdência, o INSS não envia correspondências com dados de pagamentos de revisão. O ministério afirma que as cartas são falsas e que os segurados devem denunciar a prática.
O alerta foi dado na semana passada pela Previdência que divulgou ter recebido questionamentos de aposentados que receberam cartas mostrando valores que teriam direito a título de revisão dos benefícios.
O assédio ocorre devido à revisão que atualmente a Previdência está fazendo dos benefícios concedidos entre 1991 e 2003 que tiveram os ganhos limitados ao teto previdenciário na data da concessão.
Em nota, a Previdência enfatizou “para que os aposentados e pensionistas tenham cuidado ao fornecer a terceiros documentos e dados referentes a seu benefício. O recebimento de correspondência não emitida pela Previdência e contratação de intermediários não são garantia de que o beneficiário tenha direito à revisão”.

PT decide neste domingo o seu destino politico nas próximas eleições.


 
“Neste domingo na sede do partido vamos definir o que é melhor para o PT”- afirma Mauro Acerola presidente do Partido dos Trabalhadores de Búzios, ao ser perguntado se a legenda vai lançar candidatura própria, fechar com a situação ou oposição nas eleições.

Por Leyla Adriana

Agorabuzios - Qual a situação atual do PT de Búzios?
Mauro Acerola - O PT de Búzios está com mais de 200 filiados, um aumento de mais de 500%. Somos outro PT, os radicais de ultra esquerda saíram. Temos hoje também o PT jovem e um pessoal altamente gabaritado. Somos um partido que está com 14 pré-candidatos, legenda completa, coisa que nunca se conseguiu antes.

Agorabuzios - Na política do município qual é a postura hoje do PT?
Mauro Acerola - É a mesma de sempre, queremos legalidade, e lisura com a coisa publica. Temos vários projetos para implantação de uma política pública de verdade: projeto de estudo tempo integral sem precisar construir nenhuma escola, implantação do polo universitário etc..

Deputado do DEM admite comprar votos em entrevista ao "CQC"


 
O deputado estadual de Alagoas Temóteo Correia (DEM) admitiu comprar votos para se eleger e que os políticos de seu Estado roubam verba pública tanto quanto os de São Paulo. As informações foram feitas em entrevista novo repórter do "CQC" Ronald Rios e deve ir ao ar na próxima segunda-feira (26).
"Eu compro voto sim e, em São Paulo, os políticos roubam mais do que a gente em Alagoas. Onde se tem mais dinheiro, rouba-se mais, isso é até lógico. E o roubo acontece no País inteiro, não só aqui no Estado", disse Correia.
De acordo com o portal do Jornal do Brasil, na entrevista, Correia ainda afirmou que a "imprensa é pior que político". "Você deve roubar muito mais do que eu e, ainda por cima, trabalha para ladrão que explora a miséria do povo. A imprensa é corrupta e leva o dinheiro da gente, ela é pior que político. Parte do que ganhamos vai para vocês jornalistas. Mas, apesar disso, quero dizer que pessoas desonestas existem em todos os lugares e de todo tipo, tem políticos, jornalistas, empresários. A corrupção é generalizada no Brasil", contou o parlamentar.
Além das declarações de Correia, o deputado Olavo Calheiros (PMDB) tentou agredir o repórter, ao ser questionado sobre o desvio de R$ 5 milhões da verba para uma biblioteca, que não existe, na Assembleia. 

TSE avalia positivamente testes de segurança na urna eletrônica


 Terminou na quinta-feira (23) a 2ª Edição dos Testes Públicos de Segurança do Sistema Eletrônico de Votação, promovidos pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). “Feitos estrategicamente antes da eleição, o testes de segurança são uma espécie de teste final para comprovar que os requisitos de segurança que estão instalados na urna eletrônica são seguros o suficiente para funcionarem na eleição. O resultado dos testes é sempre positivo para o Tribunal”, afirma o secretário de Tecnologia da Informação da Corte, Giuseppe Janino.
Durante três dias, 24 investigadores distribuídos por nove grupos estiveram na sede do Tribunal, em Brasília-DF, para apresentarem e executarem planos de “ataque” aos componentes externos e internos da urna eletrônica, com o objetivo de contribuir com o aperfeiçoamento do software e/ou do hardware do sistema. Participaram desta edição profissionais independentes, acadêmicos e pesquisadores ligados a universidades, órgãos públicos e instituições técnico-científicas.
Como resultado dos 20 planos executados e das sugestões apresentadas pelos participantes, o TSE já implementou uma melhoria no que se refere ao Registro Digital do Voto (RDV), arquivo criado a partir de procedimentos matemáticos (algoritmos) e onde ficam armazenados, de forma embaralhada e aleatória, os votos do eleitor. Essa espécie de tabela foi criada para permitir a auditoria da votação e, inclusive, a recontagem dos votos por parte dos partidos políticos e demais interessados.

Velório de Chico Anysio será aberto ao público no Theatro Municipal; cremação acontece no domingo


Ator estava internado desde 22 de dezembro de 2011 e sofria de enfisema pulmonar
João Cotta/Globo
Chico Anysio

Chico Anysio morreu aos 80 anos, após lutar bravamente contra problemas pulmonares e respiratórios
O velório de Chico Anysio, que morreu na tarde de ontem (23) no Hospital Samaritano, em Botafogo, na zona sul do Rio de Janeiro, acontece a partir das 12h deste sábado (24) no Theatro Municipal, no centro do Rio. O velório será aberto ao público.
O humorista, falecido aos 80 anos de idade - ele completaria 81 anos no próximo dia 12 de abril -, será cremado no domingo (24) no cemitério do Caju, na região portuária da capital fluminense. As informações sobre o velório e a cremação de Chico Anysio são de Paulo César Pimpa, advogado da família. Não foi informado o horário da cremação.

Bom dia! Vamos com as principais notícias dos jornais deste sábado, 24 de março.


 

O Globo
Manchete: Prefeito pede socorro para alojar pessoal da Rio+20
Campanha tentará incentivar moradores a hospedar participantes

A menos de três meses para a Conferência Sustentável (Rio+20), a falta de infraestrutura hoteleira suficiente para abrigar 50 mil pessoas levou o prefeito Eduardo Paes a decidir lançar, até o início de abril, uma campanha incentivando os cariocas a hospedar estrangeiros. Para garantir a acomodação de todos os participantes - já está confirmada a vinda de 80 chefes de Estado e de 120 delegações, além de representantes dos 193 países membros da ONU e de milhares de integrantes de ONGs -, o Comitê Organizador da Rio+20 bloqueou reservas até mesmo em hotéis fora do Rio, em cidades como Angra dos Reis e Petrópolis. Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-RJ), a cidade tem 33 mil quartos incluindo albergues e motéis, e a taxa de ocupação para o período do evento (13 a 22 de junho) já passa de 90%. Congressos marcados para junho - como um internacional de odontologia, com três mil pessoas - já foram transferidos ou adiados para desafogar a rede hoteleira. (Página 1 e 14)
Carioca desperdiça chance de reciclar

sexta-feira, 23 de março de 2012

Em Búzios, uruguaio é preso em flagrante por tráfico de drogas





Na madrugada de ontem (23) o uruguaio Júlio Cesar Bonilla Gonzales foi preso em Búzios, por tráfico de drogas.  Segundo informações ele foi flagrado pela Polícia Militar na Rua das Flores, em Manguinhos com 768g de maconha, uma balança digital e 5 mil pesos uruguaios. A prisão foi feita pela equipe composta pelos cabos Rocha, Brum, Rodrigues e pelo soldado Xariff. Segundo a PM, Júlio chegou a ingerir uma cápsula de cocaína ao perceber a chegada da viatura, e precisou ser medicado por conta da ingestão da droga. O acusado e o material encontrado com ele foram encaminhados à Delegacia de Búzios, onde ele ficou detido até ser transferido para a Polinter de Neves, no Rio de Janeiro.
Do Intertv

As frases e os bordões de Chico Anysio

O humorista interpretou mais de 200 personagens ao longo de sua carreira e criou diversos bordões incorporados à memória do país
Chico Anysio
Chico Anysio (Oscar Cabral)

Com mais de 200 personagens criados ao longo da carreira, o humorista Chico Anysio inseriu diversos bordões na fala dos brasileiros. De um tempo em que nem se conhecia a expressão "politicamente correto", o ator cunhou expressões cheias de sagacidade e inteligência para debochar de grupos, rir de situações e eternizar figuras como o severo professor Raimundo, o decadente vampiro caipira Bento Carneiro e o deputado corrupto Justo Veríssimo.
Fora das telas, Chico Anysio ainda refletia sobre a vida e a morte. "Não tenho medo de morrer, tenho pena, porque morrendo não vou ver meus netos crescerem", disse, em entrevista ao programa Fantástico, durante uma homenagem. O ator também disse ter se arrependido de ter fumado por quarenta anos em sua vida.
Confira abaixo alguns dos mais famosos bordões do humorista.


'Aff, tô morta!'

Painho era o pai de santo mais famoso do Brasil

'Eu quero que o pobre se exploda'

O deputado corrupto Justo Veríssimo odiava os pobres

'E o salário, ó!'Professor Raimundo era bastante severo com seus alunos da Escolinha do Professor Raimundo


'Pra quem ri di eu, minha vingança sará maligrina!'

O vampiro brasileiro Bento Carneiro era decadente, vivia em um castelo mal cuidado e tinha sotaque caipira


'Eu faço a cabeça do João Baptista ou não me chamo Salomé'

Salomé, uma senhora gaúcha, era amiga do presidente da República da época, João Baptista Figueiro, e sempre conversava com ele pelo telefone

'Não garavo'

O ator Alberto Roberto era um canastrão. Com péssima dicção e incapaz de decorar suas falas, 
recusava constantemente os papéis que lhe ofereciam.



'Mas, hein?'

Jogador de futebol Coalhada se achava um craque, mas, na verdade, era um verdeiro perna de pau

'Eu trabalho na Globo'

O funcionário da Globo Bozó gostava de se dizer influente na diretoria da emissora para impressionar as pessoas

'É mentira, Terta?'

 

Mentiroso nato, o Coronel Pantaleão se aproveitava da submissão de sua mulher, Terta, para usá-la como testemunha para confirmar suas invenções
Da Veja