Frase do dia

“O amor é tudo”
(Jesus Cristo)







sábado, 14 de abril de 2012

A Cidade e a Névoa - Romance de Carlos Sepúlveda - 6º capítulo

            6
    já é tempo de dizer que também na cidade os muitos relógios pararam. Marcavam todos, por todos os lugares, seis horas e quarenta e oito minutos, ou seis horas e dez minutos, ou cinco horas e minutos, ou outra hora qualquer, não se podia ter certeza. As emissoras de rádio estavam fora do ar, os canais de televisão emitiam manchas cinzentas e chiavam como farelos numa folha de zinco arrastada no asfalto. Por estranho, ou muito estranho, é que não faltava energia elétrica, porém os telefones não funcionavam, como já aqui foi dito, muito menos os celulares, cujas sutilezas tecnológicas não parecem ter resistido a um simples nevoeiro. Em resumo, para ser bem preciso e direto, o tanto que se pode ser quando se conta uma situação como essa, é que a cidade enevoada por espessa camada de lívida cerração não mais fazia parte do mundo familiar, talvez fizesse de algum outro, se é possível supor existirem outros para tais circunstâncias. Por isso, estavam perdidos os habitantes, sem saber do que se tratava nem de quem socorrer-se, ou a quem pedir ajuda.

            Naturalmente (um advérbio um tanto alarmante dadas as circunstâncias) deviam cuidar do estado de coisas as chamadas “autoridades constituídas”. Aos poucos, foram elas percebendo a gravidade da situação, foram-no muito lentamente, porque assim funciona qualquer governo quando enfrenta grave situação: ficam à espera de alguma ordem ou mando e, como não se pode atropelar a cadeia de comandos, é preciso seguir rigorosamente os trâmites para não impedir o bom funcionamento das ações e não atropelar a incomparável razão de Estado, mesmo que neste caso não haja razão e muito menos Estado, pois se trata de uma pequena cidade à beira-mar como já aqui foi dito e redito. Seu povo não dispõe da malícia das cidades maiores; não obstante, tanto faz uma cidade ou um Estado quando se lhe sucede alguma desgraça, porque o espanto é o mesmo, as preces iguais, as explicações repetidas e os temores, idênticos. O espanto tem a rara qualidade de ser universal.

            Sua excelência, o senhor prefeito, só tomara ciência dos acontecimentos por volta das dez horas, horário indicado pelo único relógio ainda em funcionamento, na torre da Igreja Matriz, já que todos os outros assinalavam precisamente seis horas e quarenta e oito minutos, ou seis horas e vinte, ou quatro e dez, não importa. Fiquemos, porém com as seis horas e quarenta e oito minutos. É bom assinalar que não era muito atirado ao trabalho o ilustre prefeito, eleito pela segunda vez, após campanha milionária, carregada de corrupção e crimes eleitorais cujas conseqüências ia respondendo às custas dos dinheiros generosos, disponíveis por não menos generosas transferências orçamentárias, legais ou ilegais, obtendo com elas a jurisprudência necessária, conforme o preço pago, não constituindo essas práticas exceção alguma, ao contrário, eram apenas resultado do franco exercício de nossos costumes jurídicos e políticos, de pleno acordo com as infinitas leituras possíveis para um mesmo crime, a que se não há de censurar sem parecer estúpido ou idiota, ou ridículo, pois é esta uma herança do Império Romano e seu modo de ordenar os direitos, em empoeirados códices que hermeneutas emplumados vivem interpretando, conforme para isso recebem gordas propinas. Pois foi Sua Excelência despertado, com cerimoniosa cautela, porque costumava indispor-se com quem ousasse despertá-lo antes do meio-dia, atletico que era e sempre disposto a uma noitada alegre, justificada, sempre, pela necessidade de dar ao corpo o devido prazer, pois a vida é dura.  Aos poucos, desperto do sono, foi posto a par da situação e quando pôde afinal dar conta de si, estava já de pé, convocando, com alguma contrariedade, reuniões tão urgentes quanto inúteis, como é costume nessas ocasiões, sem esquecer o tom peremptório e severo da voz de comando, pois quem manda, grita, mesmo que não se saiba o tamanho da ordem a ser dada nem o tamanho do berro, muito menos as dimensões do desafio que, neste caso, eram imensas, quase sobrehumanas.

            O secretariado, reunido no Gabinete da Prefeitura, esperava ansioso por Sua Excelência. Mais ainda alarmou se o senhor prefeito quando recebeu a informação de que não se podia sair dos limites do município, visto que a bruma não o permitia. O fenômeno era um tanto impreciso, em face dos relatos aparvalhados que chegavam a todo instante e de todos os lugares, mas era aterrador. Quem pretendesse sair da cidade, ao chegar próximo de seus limites, via-se imediatamente engolfado pela densidade da névoa de modo que os motores dos automóveis, por exemplo, estancavam sem motivo aparente. Se de bicicleta, cegava-se o condutor; se a pé, desencontrava-se o pedestre em meio à névoa ainda mais ácida de modo que se lhe interrompia o fluxo de ar, ficando a vítima literalmente afogada e, portanto, explodir-se-iam os pulmões; melhor sempre não arriscar, por isso ninguém arriscava. As informações eram incompreensíveis, porém os fatos anunciavam singelamente que a cidade estava inexplicavelmente isolada do restante do mundo. Estavam os moradores e eventuais passantes, ou os visitantes habituais de fim de semana, entregues a si mesmos, tomados pela desolada névoa branca e seca, parecendo repetir-se, com as necessárias variações, a história do solitário náufrago Robinson Crusoe em sua ilha. Toda a cidade navegava numa bruma leitosa e inexplicável, como se tivesse tornado um modelo de comunidade excluída ao mundo, do planeta, e deixada irremediavelmente só, entregue a si mesma e à sua perplexidade. Fato este de grande conveniência quando se quer produzir uma literatura fantástica na qual os leitores se sintam em duvidosa hesitação entre o que é possível e o que não é, entre o real e o imaginário, cujas fronteiras, porosas, ainda mais instigam e provocam os curiosos. Assim se desenovelava uma história de mistérios ou um capítulo da literatura fantástica, restando sempre dúvida do que é vivido como coisa de se pegar, ou pura invencionice de pessoas que não têm mais nada a fazer e ficam inventando estória como essa, sem pé nem cabeça.

            O dilema foi aos poucos se tornando mais e mais enovelado quando nenhum dos convocados à reunião com o prefeito tinha a menor ideia das causas do fenômeno.

            Desamparo, esta a palavra que melhor descreveu aqueles momentos. Não se pôde, naquela hora, perceber algum desespero, porque o dia mal começara e não se sabia se a coisa iria cessar, do mesmo jeito que começara, isto é: sem anúncio, sem explicações. Talvez sim, talvez não, mas, por via das dúvidas, era preciso alguma explicação.

            Reunidos, portanto, no gabinete, puseram-se os membros do governo a buscar soluções para o caos. Sim, era caos o nome que se dava agora. As ruas desertas, as escolas fechadas, o comércio cerrando as portas, as pessoas refugiadas em suas casas, sem condução, a cidade parada, aterrada, imobilizada pela neblina. Temia-se, e sempre isto acontece, sobretudo quando há muitos pobres, um tumulto, com invasões e saques, nas lojas e nas casas, mas, felizmente, não havia relatos de maiores incidentes, pelo menos até aquele momento.

            À medida que falavam, Sua Excelência assobiava baixinho, expressando seu tédio com tudo aquilo. Por que não lhe deixavam em paz? Tinha de ser logo comigo? Assobiava e rabiscava numa folha de papel alguns garranchos indecifráveis. Era o sinal de que a reunião seria brevíssima e, naturalmente, inconclusiva.

            Não se disse ainda que a Prefeitura erguia-se na Praça da Matriz, onde havia um relógio na torre da Matriz, a marcar o horário regularmente. Não se sabia o motivo, mas era o único relógio funcionando. Evidentemente, a névoa foi o nexo causal encontrado para explicar por que o tempo não era devidamente registrado na cidade, exceto no relógio da igreja. As especulações não se ativeram à pura e simples coincidência, mas a algum fato misterioso e incomum, fato inevitável uma vez que o povo nada entende de ciências da natureza, mas conhece muito de orações e apelos a Deus, faculdade própria de povo miserável, porque é ele quem sabe onde lhe apertam os calos. Acreditava-se que a prefeitura é que deveria responder às dúvidas e angústias da população. O problema é que, naquele momento, todos sentiam a mesma coisa e ninguém tinha resposta para nada, muito menos as autoridades constituídas, porque não foram constituídas para decifrar enigmas de tal feitio, mas para resolver pequenas coisas sem importância e não uma cidade aprisionada pela neblina e com o tempo esquartejado por tantos quantos relógios existissem, num enigma complexo, impossível de resolver. Por que estas coisas não acontecem nas cidades grandes?

            Corriam os minutos, mesmo sem a medida deles, enquanto a névoa se mostrava de modo irregular, pois, em alguns pontos era fluida e leve, quase transparente; já em outros lugares, tornava-se densa e pegajosa. Esta irregularidade trazia mais desespero do que esperança, porque nos pontos em que era densa, a respiração fazia-se impossível. Eis um dos muitos enigmas do dia: nunca se ouvira falar em névoa irregular, com diferentes densidades, sem que ninguém fosse capaz de oferecer uma explicação plausível para tal mistério. Sorte de quem vivesse ou estivesse no meio da neblina leve, podendo ver a morna sombra do disco solar, redondo como uma moeda, brilhando no céu. Azar de quem vivesse no lado denso do ruço, pois nem respirar direito era possível, muito menos vislumbrar a luz do dia, mesmo não sendo noite. Sentia também a pele ardendo porque a bruma era ácida.

            Este estranho mundo de branca opacidade envolvia a todos, ameaçava a vida, desesperava os administradores da cidade que precisavam dar algum tipo de explicação, para uma situação implausível. Sem meios de comunicação funcionando, todos os rostos expressavam medo, incerteza, ou mesmo pavor. Aumentava o número de templos abertos com o povo pedindo a Deus a urgentíssima misericórdia.

            No gabinete, o clima era de impotência e quase desespero. Ninguém sabia a quem consultar, pois as comunicações estavam interrompidas com o mundo externo. Na cidade não era possível encontrar algum especialista ou estudioso que desse uma clara explicação para o fenômeno.

            Enquanto isso, as pessoas iam se achegando, em pequenos grupos, resignadamente. Pareciam autômatos, sem vontade própria, com os rostos ocultos pela névoa, com a voz sussurrante, como se falar fosse uma inconveniência. E murmuravam explicações, contavam-se pequenos incidentes, trocavam-se temores e, em alguns poucos casos, umas tantas juras de amor eram ditas. Talvez, nesse momento, confessar um amor representasse uma forma de elogio à vida, pois, embora ninguém tivesse morrido ate o momento, alguma coisa horrível poderia acontecer.

            O silêncio e o medo habitavam junto ao povo que, em estranha associação, ainda contava com a esperança de tudo terminar bem e o pesadelo acabar. Inimaginável é mesmo esse povo que sempre está a nos surpreender com suas lições de otimismo e de esperança.

Um romance de Carlos Sepúlveda. 
Leia um capítulo a cada semana em: 

Em Búzios, Joãzinho Carrilho volta atrás, reconhece erro, e Câmara de Vereadores deve voltar a funcionar normalmente


726684
Foto: Os vereadores Messias Carvalho, Leandro Pereira, Joice Costa, Felipe Lopes e Lorram Silveira apontaram irregularidades na condução dos trabalhos da Câmara e alegam que forma como o jovem vereador João de Mello Carrilho preside a Casa é equivocada e revela

Após doze sessões nas quais ocorreu forte embate entre o presidente da Câmara. Vereador  João de Melo Carrilho  e os vereadores Messias Carvalho, Joice Costa, Lorram, Silveira, Leandro Pereira e Felipe Lopes, a casa do Povo voltou na última sessão da semana, quinta-feira (12), a trabalhar normalmente, embora ainda sobre forte tensão.
De acordo com os cinco vereadores, a forma pela qual o vereador e presidente da Casa, João de Melo Carrilho, veio conduzindo a questão de votação das contas de 2004 do atual prefeito Mirinho Braga, colocou em xeque sua capacidade de estar à frente de Legislativo Buziano.
Segundo o vereador Lorram Silveira, João e os vereadores Evandro Oliveira, a quem acusa ter vendido uma área pública no passado para exploração de comercio, Genilson Drumond e Valmir Nobre teriam motivações meramente eleitoreiras para insistirem na votação pela Câmara de uma matéria que está sendo analisada pela Justiça. – Todos os quatro tem declaradas intenções de concorrer de alguma forma a vaga de prefeito (ou vice) no próximo pleito, por isso estão batendo 
nesta tecla de forma tão desleal – disse. 

Em Cabo Frio, troca de tiros entre PM e grupo armado acontece durante a madrugada no Jacaré


No confronto, um homem conhecido como Léco, apontado como chefe do tráfico no Jacaré, foi baleado e está hospitalizado.
Na madrugada deste sábado (14), houve troca de tiros no bairro Jacaré, em Cabo Frio, entre a Polícia Militar e um grupo que estava armado. No confronto, um homem conhecido como Léco, apontado como chefe do tráfico no Jacaré, foi baleado e está hospitalizado. Um outro homem foi morto durante o tiroteio. Foram apreendidas uma escopeta e uma pistola.
do RJ INTER TV 1ª Edição

Juiz mantém censura a livro que afirma que Lampião era homossexual


No dia 25 de novembro de 2011, o juiz da 7ª Vara Cível de Aracaju Aldo Albuquerque suspendeu o lançamento do livro "Lampião Mata Sete" a pedido de Expedita Ferreira, filha do cangaceiro . A proibição se deu porque a obra fala que o Rei do Cangaço era homossexual. Em 2012, Aldo manteve sua decisão de não publicar o romance, informou o site do Correio do Povo.
Livro proibido pela Justiça diz que Lampião era homossexual; família nega

Pedro de Morais, autor do livro, afirmou que irá recorrer da decisão no Tribunal de Justiça de Sergipe. Ele disse, ainda, que se o livro continuar censurado, vai jogar os mil exemplares restantes da obra no Rio Sergipe.

Cabo da PM mata ex-mulher e se mata


A suspeita é de que o PM tenha atirado contra a cabeça da mulher e, depois, contra a própria cabeça

Giselle Araújo- Do Hoje em Dia
Terminou em tragédia o caso de desaparecimento do cabo da PM suspeito de ter sequestrado a ex-mulher na última sexta-feira (13), em Boa Esperança, no Sul de Minas. Os corpos do policial, Marlúcio Ferreira, de 38 anos,  e da mulher, Audiceia dos Reis, de 32, foram encontrados na manhã deste sábado (14) em um cafezal, às margens da BR-265, na mesma região. A suspeita é de que o PM tenha atirado  contra a cabeça da mulher e, depois, contra a própria cabeça.

Bom dia! O resumo dos principais jornais e revistas deste sábado, 14 de abril.


O Globo
Manchete: No Rio, BB e Caixa não estão preparados para reduzir juro

Gerentes dão informações erradas ou desencontradas sobre taxas 
Apesar da intenção do governo de usar bancos públicos para estimular a concorrência e reduzir os juros no país, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal demonstram estar mal preparados. Levantamento do Globo em agências do Rio, em busca das taxas mais baixas anunciadas nos últimos dias pelas duas instituições, mostrou que gerentes dão informações erradas ou desencontradas, em meio a longas esperas, relatam LUCIANNE CARNEIRO e DANIEL HAIDAR. No BB, a taxa do cartão de crédito, que caiu para até 3%, ainda era informada como se estivesse em 13%. A presidente Dilma criticou os bancos brasileiros, dizendo que os spreads são entraves ao crescimento. (Págs. 1, 27 e 28)

CPI terá Collor e Renan

A CPI do Cachoeira terá entre seus membros os senadores Fernando Collor, que sofreu impeachment depois da CPI do PC, e Renan Calheiros, que renunciou à presidência do Senado para não ser cassado. O ministro Ricardo Lewandowski, do STF, negou liminar pedida por Demóstenes Torres para desconsiderar as gravações em que trata dos interesses do bicheiro. (Págs. 1 e 3)

Para PT, Agnelo chegou ao fim

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Taxa de visto para os Estados Unidos recebeu reajuste


A autorização norte-americana para viagens subiu de US$ 140 para US$ 160
A partir desta sexta-feira (13), os interessados em viajar aos Estados Unidos vão ter que desembolsar mais dinheiro para pagar pelo visto. A autorização norte-americana para viagens de turismo, negócios, para estudantes, intercâmbio, trânsito, tripulantes e jornalistas subiu de US$ 140 para US$ 160. A decisão foi divulgada, em comunicado, pela Embaixada dos Estados Unidos em Brasília.

PRF apreende 995 cápsulas de cocaína na região serrana do Rio


Droga estava em um ônibus e uma moto com três suspeitos
Agentes da Polícia Rodoviária Federal apreenderam 995 cápsulas de cocaína e detiverem três homens, na tarde de quinta-feira (12), no Km 89 da BR 040, em Petrópolis, na região serrana do Rio.
Os suspeitos transportavam a droga para a região serrana, um deles dirigia uma motocicleta e os outros viajavam em um ônibus.
Os agentes foram alertados por policiais militares que receberam uma denúncia anônima de que dois homens estariam transportando drogas para Petrópolis, a bordo de uma motocicleta.

Governo propõe salário mínimo de R$ 667,75 para 2013


Proposta consta na proposta da Lei de Diretrizes Orçamentárias.
Documento foi divulgado nesta sexta pelo Ministério do Planejamento.

Alexandro Martello
Do G1, em Brasília
A proposta do governo para a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2013, que está sendo enviada nesta sexta-feira (13) pelo Ministério do Planejamento ao Congresso Nacional, contempla um reajuste do salário mínimo dos atuais R$ 622 para R$ 667,75 a partir de janeiro do próximo ano, com pagamento em fevereiro. O salário mínimo serve de referência para o salário de 47 milhões de trabalhadores no país.

Bom dia! O resumo das principais notícias dos jornais desta sexta-feira, 13 de abril.



Jornais nacionais

O Estado de S.Paulo
Por 8 votos a 2, STF libera aborto de fetos sem cérebro
O Globo
Decisão histórica - Supremo libera aborto de fetos sem cérebro
Correio Braziliense
"Essa crise é do DEM e do PSDB", diz Agnelo
Estado de Minas
Uma câmera na mão e o bafômetro na outra
Zero Hora
Decisão do Supremo reaquece discussão sobre aborto no país
Brasil Econômico
'Com a queda dos juros, acabou o comodismo', diz Flores, da Previ
Valor Econômico
Pacote para portos traz concessões e reforma na gestão
*
Jornais internacionais
The New York Times (EUA)
Campanhas eleitorais planejam arrecadar ainda mais dinheiro
The Washington Post (EUA)
Regras rígidas frustram empresas de telecomunicações
Le Figaro
Irã: negociações finais para evitar a guerra
El Pais
Ameaça Argentina de expropriar YPF deixa governo em alerta
Clarín (Argentina)
Espanha faz dura advertência sobre a YPF

quinta-feira, 12 de abril de 2012

TSE multa "Revista do Brasil" por capa com Dilma; diretor diz que houve censura



Jéssica Oliveira
Na última terça-feira (10/4), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) concluiu o julgamento do caso em que José Serra processou a Editora Gráfica Atitude Ltda., responsável pela Revista do Brasil, por “propaganda eleitoral ilícita”. A empresa deve pagar multa de R$ 15 mil, mesmo valor imposto à CUT. 
À IMPRENSA, Paulo Salvador, diretor da Rede Brasil Atual, afirmou que estuda uma forma de recorrer à decisão da Justiça. Para ele, houve censura.
Crédito:Reprodução
Revista foi condenada pelo TSE por trazer na capa Dilma Roussef

Em Rio das Ostras, fotografias de Marcos Souza


Cerca de 30 fotografias integram a mostra “Terra Brasilis”, de Marcos Souza, que será inaugurada nesta sexta-feira, dia 13, na Casa da Cultura Bento Costa Júnior.  Atuante repórter fotográfico, Marcos também se dedica a captar imagens artísticas, além de paisagens.

Audiência pública sobre redistribuição do número de deputados será em maio


Ministra Nancy Andrighi durante sessão plenária no TSE
















A ministra Nancy Andrighi, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), convocou, na terça-feira (10), audiência pública para ouvir pessoas e entidades sobre eventual redistribuição do número de vagas de deputados federais, estaduais e distritais do país. A audiência está marcada para os dias 28 e 29 de maio de 2012, das 14h às 18h, no Auditório I do TSE, em Brasília-DF. A decisão da convocação da audiência pública foi tomada na sessão administrativa do Tribunal do último dia 22 de março, quando foi a julgamento a Petição (PET) 95457, que analisou pedido da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas para a redefinição desse número. A ministra Nancy Andrighi é a relatora do processo.

Confira no Fashion por menos: tons metalizados estão com tudo!



Metalizados!!

Gentemmmm, tem coisa mais "ryca" do que as roupas metalizadas??!!! Eu acho lindoooo!!! E agora esses tons metalizados estão com tudo!!! Mais tem que ter alguns cuidados, então aí vão algumas dicas:
- A peça metalizada chama bastante atenção, então vc vai destacar a parte do corpo que está metalizada, se vc tem quadril largo, prefira uma blusa metalizada ao invés de uma calça metalizada, pois se vc usar a calça irá aumentar ainda mais seu quadril;
-Use apenas uma peça metalizada, se não vc corre o risco de parecer uma boneca de lata (rsrs)!!!
-Componha a peça metalizada com outra neutra;
- Se for usar uma calça metalizada, opte por uma blusa mais soltinha (para não ficar piriguete,rsrs);
-A mistura de texturas fica ótima com o metalizado, combinar por exemplo o metalizado com tricot fica ótimo!!!
Aí vão alguns looks que eu achei para inspirar:

Amei esse look do short!!!!QUEROOOO!!!
Gente para tudoooo!!! Olha que lindo esse tricot metalizado da Farm, QUEROOOOO tb!!
Linda Thaila Ayala!!! Posso querer esse look TODO!!!rsrs
E aí, gostaram??!!
bjs, bjs
Ps: imagens GOOGLE

Quem sou eu

Minha foto
Uma garota que como tantas outras adora moda e tudo que gira em torno dela.A idéia do blog é mostrar como é possível se vestir bem gastando menos( longe de mim querer ditar alguma tendência, essa não é a intenção do blog)compartilhando com vcs minhas experiências e dilemas de uma mãe tentando continuar fashion por menos..rsrs bjs bjs
http://fashionpormenos.blogspot.com.br/

Alair Corrêa: NÃO PROMETI SILÊNCIO


Conforme escrevi em meu último artigo, respeitar o meu semelhante é uma meta que pretendo cumprir.


Há pessoas que desejam o meu silêncio, ou o meu elogio, mas isso nada tem a ver com o meu compromisso. Se eu agisse dessa forma, estaria praticando a omissão e a hipocrisia. Já estou sentindo o quão difícil será discursar daqui para frente e todo cuidado será pouco ao reportar-me a algumas pessoas.  E esse policiamento não será simplesmente para não macular a vida de alguém e sim, para não trair os meus propósitos de homem, que está procurando ser melhor.
É preciso esclarecer bem o seguinte: Esse sentimento novo que há 3 anos venho cultivando , ao contrário do que as pessoas possam pensar, não deverá ser um limite as minhas críticas e sim uma mudança de vocabulário, diferente do que eu vinha fazendo. Meus posicionamentos serão defendidos com a mesma veemência, minhas opiniões continuarão a ser expostas sem medo. O que não quero mais, por estar vivendo um momento novo, é revidar a ataques, é ofender ou colocar em dúvida a moral de quem quer que seja.
Não prometi ser omisso e nem mudo, por isso não irei me calar quando entender que a população precisa ser esclarecida em qualquer circunstância. E assim, irei propor a fiscalização quanto ao destino da nossa arrecadação. Não deixarei de defender meus ideais assistindo inerte a qualquer atitude que prejudique a nossa Cabo Frio.

O PERDÃO PODE LIBERTAR E CURAR!

Ao pedir perdão aos meus adversários, me vi LIVRE das amarras que me prendiam as intrigas, brigas e ofensas com outras pessoas, com também, CURADO no que tange as doenças da inveja e do ódio para com elas.
Vivo agora, uma enorme alegria interior que conquistei através do meu gesto. Confesso que fiquei surpreso por ter impactado tanta gente, mas sinto que esse momento foi maravilhoso.  Causou-me igual surpresa, a reação de perplexidade de  alguns poucos amigos, que  por estarem ao meu lado nesses longos anos em que tanto briguei, ofendi e fui ofendido, não compreenderam o meu gesto. Eles me chamaram de maluco, talvez tenha sido pela preocupação de que a minha atitude pudesse redundar em perdas de votos. Eu os entendo, estão vendo o que fiz pelo lado humano e não pelo meu crescimento espiritual, de um homem que busca em cada momento a aproximação efetiva do nosso Pai. Assim, ouvi frases do tipo: “ Alair, eles que tinham que te pedir perdão” , “ Não espere que isso ocorra, eles jamais se humilharão como você se humilhou.”
Desejo esclarecer os seguintes pontos:
  • O meu pedido de perdão aconteceu, porque estou procurando me melhorar como homem. É um trabalho árduo na construção de uma pessoa melhor. Quando buscamos nosso crescimento como cristão, votos, eleição, prefeitura e poder não são o mais importante. Claro que lutarei para conquistá-los, mas com objetivos nobres e como uma nova pessoa, após vencê-los, com sabedoria quero fazer um grande trabalho em nossa cidade.
  • Quanto ao fato de ter causado dúvidas de ser ou não verdadeiro esse meu gesto, nada posso fazer para convencê-los. Foi uma mudança radical de postura, e só o tempo poderá mostrar o quanto foi bonita e verdadeira a minha atitude.
  • Quanto aos que afirmam que meus adversários não repetirão o meu ato, também pedindo e perdoando, só posso afirmar que a minha atitude não deixará de ter o que desejei ao tomá-la: Paz no meu coração. É assim que estou me sentindo agora. Quando procuramos nos tornar melhores como cristãos, nossa decisão não é influenciada por ninguém, ou seja, o meu pedido não é interligado, nem tampouco dependente do deles. Ainda que resolvam manter seus corações endurecidos, só posso dizer que a decisão é unilateral e que, liberar o perdão é uma atitude muito difícil. Somos sabedores de que pode, entre pessoas que traem e são traídos, ofendem e são ofendidos, perseguem e são perseguidos haver uma negociação de trégua e de entendimento, mas isso ocorre de forma temporária e nada tem a ver com o PERDÃO. Este, não se barganha, não se negocia.  PERDÃO é um estado de espírito, é uma nova fonte de alegria e paz, é um recomeço. Diria mais: Perdão sincero é libertação e cura.
Não nego que é uma conquista difícil, ainda assim, uns podem conseguir  num piscar de olhos ou, como no meu caso, levar 3 anos sendo trabalhado para que seja sincero.
Durante esse tempo, fizemos todas as quartas feiras de manhã, bonitas reuniões de louvor no RIALA e a tarde em minha casa, debates sobre a Bíblia e seus ensinamentos com meus familiares. Com esses encontros, assistindo a minha família engajada na igreja, fui me lapidando e plantando a semente do novo homem que desejo ser. Sofri, chorei, adoeci, presenciei fatalidades. Foi um tempo de perseverança, mas agora consegui essa vitória de com coragem e humildade pedir e liberar perdão a essas pessoas.
Portanto não posso querer que os meus adversários de ontem, como num passe de mágica, repitam meu gesto, se eu, que estou empenhado em minha mudança demorei mais de 3 anos para conseguir.
Posso encerrar esse artigo, que levei um tempo enorme para redigir, considerando a complexidade da minha atitude na Câmara de Vereadores, dizendo o seguinte: Estou muito feliz e se Deus permitir, tudo farei para jamais, com palavras ou atos, ofender o caráter e a moral do meu semelhante. Este foi o mais significativo gesto que tomei em minha vida e preservar-me assim será a minha meta a cada minuto vivido daqui por diante.
Até Amanhã!
Alair Corrêa

Em Cabo Frio, pescadores terão cursos gratuitos


Já está instalado em Cabo Frio o caminhão-escola do Instituto Atlantis/Repsol. Parada no bairro do Portinho, próximo as duas pontes, a carreta será sede de cursos gratuitos voltados para os pescadores e familiares.
Os interessados nos cursos, que ainda não iniciaram e são voltados para as áreas de mecânica, processamento de alimentos, conscientização ambiental, entre outros, deverão fazer a inscrição na Colônia de Pesca Z4 – situada à Rua Major Belegard, no bairro São Bento –, na Colônia de Pesca da Gamboa ou na própria carreta.
Esta é a segunda vez que o Instituto Atlantis/Repsol, com apoio da Prefeitura de Cabo Frio, por meio da Secretaria de Desenvolvimento da Cidade e Ambiente (SEDESC) - Coordenadoria Geral de Indústria, Comércio, Trabalho e Pesca -, realiza cursos em Cabo Frio. No ano passado, a carreta ficou no município entre os meses de junho e julho. Neste período, 75 pescadores artesanais foram beneficiados. 
do radar púlbico

Em São Gonçalo, polícia encontra cabeça de homem


Operação no morro da Coruja tenta prender quadrilha de assaltos em Niterói
A polícia tenta localizar o corpo de um homem que teve a cabeça decepada na madrugada desta quinta-feira (12) em Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro. Segundo a PM, a cabeça estava em frente ao número 27, no bairro Alcântara.
O homem foi identificado como Carlos Henrique da Silva Figueiredo, de 34 anos. Para a polícia, ele foi morto por traficantes de drogas.

Famílias de baixa renda vão pagar R$ 13 por 'telefone social'


Nova tarifa representa um terço do que os brasileiros pagam agora pela assinatura do telefone fixo
A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) publicou ontem (9), no Diário Oficial da União, uma resolução que regulamenta o Aice (Acesso Individual Classe Especial), do Serviço Telefônico Fixo Comutado, o chamado "telefone social" para as famílias de baixa renda. Com a alteração, as famílias de baixa renda vão pagar cerca de R$ 13,31 pela assinatura básica do telefone.

TSE multa Lula em R$ 5 mil por propaganda eleitoral antecipada em favor de Dilma em 2009


O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aplicou multa de R$ 5 mil ao ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva por fazer propaganda eleitoral antecipada em favor da pré-candidatura de Dilma Rousseff à Presidência da República em entrevista concedida por ele, como presidente, a uma rádio de Fortaleza (CE) em 10 de setembro de 2009. Na ocasião, Dilma Rousseff era ministra-chefe da Casa Civil da Presidência, mas não se encontrava presente na visita ao Estado.

Escolas municipais do Rio de Janeiro vão parar por 24 horas nesta quinta-feira


Profissionais de educação promovem ato de protesto e assembleia no centro
Profissionais de educação farão, nesta quinta-feira (12), uma paralisação de 24 horas nas escolas municipais do Rio de Janeiro. A ação é para reivindicar reajuste salarial de 20%, plano de carreira unificado e o fim da meritocracia.

Bom dia! Vamos com as principais notícias dos jornais desta quinta-feira, 12 de abril.


O Globo
Manchete: PT quer abafar mensalão com a CPI do Cachoeira

Presidente do partido diz que investigação vai acabar com farsa

O presidente do PT, Rui Falcão, associou a CPI do Cachoeira, defendida pelo partido para investigar conexões criminosas do bicheiro Carlinhos Cachoeira, a uma operação para desviar o foco do mensalão – que será julgado este ano Supremo Tribunal Federal. Num vídeo postado no site do PT, Falcão convocou centrais sindicais e partidos a se mobilizarem contra o que chamou de “operação abafa” que tentaria impedir investigações sobre Cachoeira e parlamentares de várias siglas, como DEM, PPS e do próprio PT. “A bancada do PT na Câmara e no Senado defende uma CPI para apurar esse escândalo dos autores da farsa do mensalão”, afirmou. No Congresso, governistas trabalham para assegurar o comando da CPI e impedir que a comissão fuja do controle, atingindo aliados. A oposição, com PSDB à frente, fala em investigação sem limites. (Págs. 1, 3 a 10, Merval Pereira e editorial “todos correm riscos na CPI de Cachoeira”)

Foto-legenda: O fantasma do Senado
O painel registra presença de Demóstenes: ele entrou por uma porta lateral e saiu sem ser visto. A Sarney, avisou que não renuncia. (Págs. 1 e 4)

Para PF, governador do DF era chamado de ‘01’

O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), teria tentado negociar encontro com Carlinhos Cachoeira. Em conversa com o bicheiro, o araponga Dada diz que o “01” está querendo falar com ele. Para a Polícia Federal, trata-se do governador do DF. (Págs. 1 e 10)

Ideli é convocada a se explicar sobre lanchas

A Comissão de Fiscalização da Câmara convocou a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) para explicar irregularidades na compra de 28 lanchas por sua antiga pasta, a Pesca. A fabricante doou ao PT-SC em 2010, quando Ideli disputou o governo. (Págs. 1 e 12)

Aloprado volta à política e se candidata no ABC

Um personagem do caso dos aloprados volta à cena política como candidato a vereador pelo PT em São Caetano (SP): Hamilton Lacerda, suspeito de, em 2006, entregar a outros dois homens R$ 1,7 milhão. O dinheiro compraria um dossiê contra tucanos. (Págs. 1 e 11)

STF deve liberar hoje aborto de anencéfalos

Com o placar de 5 votos a favor e um contra, o Supremo Tribunal Federal retomará hoje o julgamento da descriminalização do aborto de fetos anencéfalos. Apenas o ministro Ricardo Lewandowski votou contra a ação e outros quatro ministros ainda não se manifestaram. Religiosos fizeram protestos. (Págs. 1, 14 e 15)

Fim do imposto sindical divide as centrais

Maior central sindical do país, com 22 milhões de filiados e 30 anos de vida, a CUT volta a defender o fim dos imposto sindical. Todas as outras centrais lutam para manter a receita. (Págs. 1 e 23)

Bancos lucram mais e pedem imposto menor

Os 25 grandes bancos brasileiros lucraram R$ 49,4 bilhões no ano passado. Apesar de serem o setor mais lucrativo do país, querem cortar imposto para baixar juros. (Págs. 1 e 24)

E-mails expõem mazelas do Souza Aguiar

Uma troca de e-mails entre médicos do Hospital Souza Aguiar, mostrada pelo “Jornal das Dez” da Globonews, revela a rotina de mazelas do serviço público de saúde. (Págs. 1 e 17)

Foto-legenda: A batalha da Praça Quinze

O anexo da Alerj, que deve ser demolido, e o prédio espelhado da Bolsa de Valores, que o governo desapropriou para acomodar a sede do Legislativo. Donos do imóvel protestam e dizem que não custará menos de R$ 500 milhões – valor de 166 UPAs. (Págs. 1 e 16)

EUA: promessa síria de trégua já não basta

Apesar dos esforços diplomáticos de última hora e a promessa de trégua do governo sírio – que, segundo os opositores, matou mais 97 pessoas ontem -, a expectativa para o cumprimento do cessar-fogo, hoje, era baixa. Segundo a embaixadora dos EUA na ONU, Susan Rice, a promessa síria já não é o bastante: “Assad tem pouca ou nenhuma credibilidade.” (Págs. 1 e 31)

------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo
Manchete: Gravação da PF indica pagamento de propina no DF

Escutas do caso Cahoeira sugerem que empresa pagava comissão em troca de negócio com o governo Agnelo (PT). (Pág. 1)

Câmara convoca Ideli para explicar compra de lanchas (Págs. 1 e Poder A7)

Roseana usa jato de empresário para viagem oficial aos EUA (Pág. 1)

Governo paulista suspende compras da PM sob suspeita (Págs. 1 e Cotidiano C1)

Projeto aprovado por deputados endurece lei seca (Pág. 1)

Supremo deve aprovar hoje aborto de feto sem cérebro (Pág. 1)

------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo
Manchete: Grampo indica que Agnelo, o '01', procurou Cachoeira

Investigação da PF sugere aproximação do governador petista com o contraventor que atuava no DF

Escutas telefônicas dentro da Operação Monte Carlo sugerem que o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), pediu reunião com o contraventor Carlinhos Cachoeira. Queiroz negava ter tido qualquer encontro com Cachoeira, acusado de chefiar máfia que tinha negócios com o governo do DF. Nas gravações da Polícia Federal, um aliado de Cachoeira o avisa que foi procurado por funcionário do governo do DF, que disse que o '01' queria falar com ele. De acordo com a PF, '01' era a forma como os aliados de Cachoeira se referiam a Agnelo - o que o governador nega. (Págs. 1 e Nacional A4, A6 e A7) 
Alcance da CPI assusta
Integrantes do PT e do PMDB demonstraram arrependimento pelo apoio à CPI que investigará as ligações políticas de Carlinhos Cachoeira. (Págs. 1 e Nacional A4) 

Câmara convoca Ideli para explicar lanchas da Pesca

Com a ajuda da base, a Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara aprovou ontem a convocação da ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, para explicar as denúncias de irregularidades, publicadas pelo Estado, na compra de lanchas pelo Ministério da Pesca. (Págs. 1 e Nacional A10) 

Votos no STF apontam apoio a aborto de anencéfalo

Em julgamento iniciado ontem, cinco ministros do Supremo Tribunal Federal reconheceram o direito ao aborto de fetos anencéfalos. A sessão será retomada hoje. Vão votar Carlos Ayres Britto, que já se manifestou a favor desse direito, e outros três ministros. Por enquanto, apenas Ricardo Lewandowski votou contra. Confirmado o resultado, toda mulher grávida de anencéfalo poderá procurar um hospital público para antecipar o parto. Não terá de ir à Justiça, como ocorre hoje. (Págs. 1 e Vida A22)

Marco Aurélio Mello 
Relator do processo no Supremo
"Aborto é crime contra a vida. Tutela-se a vida em potencial. No caso do anencéfalo não existe vida possível" 

Síria promete cessar-fogo, com ressalvas

O Ministério da Defesa da Síria comunicou ontem que pretende iniciar um cessar-fogo a partir das 6 horas de hoje (zero hora em Brasília), informa o enviado especial a Damasco, Lourival Sant'Anna. Mas o governo se reservou o direito de retaliar caso rebeldes ataquem as forças leais ao regime. (Págs. 1 e Internacional Al2) 

Inadimplência faz bancos de montadoras frearem crédito

Com a alta da inadimplência, os bancos de montadoras já projetam um ano com crescimento menor do crédito para financiar a compra de veículos. "Está mais difícil aprovar novos empréstimos", afirma Marcos Ferreira, do Banco Volkswagen. A Anfavea se queixou ontem ao governo de que o setor bancário não está atendendo a demanda por crédito. (Págs. 1 e Economia B1 e B3) 

Previ quer investir em aeroportos e varejo (Págs. 1 e Economia B15)

Estudante invade escola e fere três na Paraíba (Págs. 1 e Cidades C1)

ONU é alvo de crítica pela 'amplitude' da Rio+20 (Págs. 1 e Vida A24)

Foto-legenda: Temporal leva caos a SP

Carros ficam ilhados na esquina das Avenidas Francisco Matarazzo e Pompeia (zona oeste) durante temporal que logo tomou SP e causou congestionamento de 225 km por volta das 19h, o maior do ano na cidade. (Págs. 1 e Cidades C5)

Dora Kramer

Gatos pardos

Não está claro se o empenho na realização da CPI para investigar as armações ilimitadas das organizações Cachoeira é para explicar ou para confundir. (Págs. 1 e Nacional A6) 

Notas & Informações

O STF contra a guerra fiscal

Se editar súmula, o Supremo poderá contribuir para o fim dessa prática desastrosa. (Págs. 1 e A3)

------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense
Manchete: Aliados temem que CPI do Cachoeira vire tsunami

As apurações sobre o envolvimento de parlamentares com o esquema criminoso do bicheiro Carlinhos Cachoeira correm o risco de se resumir ao processo no Conselho de Ética para cassar Demóstenes Torres (GO). Isso porque senadores e deputados governistas se deram conta, menos de 24 horas após anunciarem com estardalhaço a criação de uma CPI mista, de que uma investigação desse porte pode causar estragos imprevisíveis dentro e fora do Congresso. Uma saída, defendida pelo PT, seria limitar os trabalhos às denúncias baseadas na Operação Monte Carlo. Mas a oposição não aceita. Quer ampliar o foco e destrinchar também as relações de empresas do bicheiro com o governo federal. 

Escutas apontam supostas ligações com o governador do DF (Págs. 1, 2 a 4 e 31)

Julgamento – STF: aborto de feto sem cérebro perto da aprovação

A votação para decidir se mulheres grávidas de fetos anencéfalos podem interromper a gestação foi suspensa ontem quando o placar estava em 5 a 1 a favor do aborto nesses casos. A sessão será retomada hoje às 14h. Em processos anteriores, dois dos quatro ministros que faltam cotar se declararam favoráveis à interrupção da gravidez. (Págs. 1, 12 e 13)

Até a bandeira do Brasil está fora da ordem

Mais importante símbolo nacional, a bandeira hasteada em frente ao Palácio do Planalto não cumpre as exigências estabelecidas em lei. Há falhas de proporções e de disposição das estrelas. Até o slogan Ordem e Progresso está fora do lugar. (Págs. 1 e 8)

Pilotos do Legacy livres de punição

Para entidade dos EUA, processo contra americanos que guiavam jato envolvido em acidente com avião da Gol, em 2006, prescreveu. A tragédia matou 154 pessoas. (Págs. 1 e 11)

Trânsito: Lei seca tem vitória parcial na Câmara

Multa para quem dirige alcoolizado sobe de R$ 957 para R$ 1,9 mil, mas ampliação de provas sobre embriaguez ainda é vista com ressalvas por especialistas. (Págs. 1 e 38)

Golpe contra a Receita no DF

Cerca de 1,5 mil funcionários públicos estão envolvidos num esquema de sonegação do Imposto de Renda. Eles são investigados por apresentar despesas falsas para obter gordas restituições. (Págs. 1, 14 e 15)

Patrimônio da Previ chega aos R$ 155 bilhões (Págs. 1 e 20)

MP investiga denúncias contra direção do Serpro (Págs. 1 e 6)

Servidores estão atolados em dívidas

O emprego estável deu à categoria o acesso fácil ao crédito. Mas a maioria exagerou nas compras e tomou muitos empréstimos. Há débitos de até R$ 600 mil. (Págs. 1 e 16)

------------------------------------------------------------------------------------
Valor Econômico
Manchete: União quer abrandar lei que disciplina renúncias fiscais

O governo pretende modificar dois artigos da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), a Lei Complementar 101, e já comunicou essa intenção a seus líderes no Congresso. A primeira alteração dá mais flexibilidade ao governo para conceder incentivos tributários que impliquem renúncia de receitas, como no caso das desonerações, por exemplo. A segunda permite a mudança das condições financeiras dos contratos de renegociação das dívidas dos Estados com a União.

O Valor teve acesso à minuta do projeto de lei complementar que altera a LRF. A grande novidade é o interesse do governo em mudar o artigo 14, que não tem qualquer relação com os três temas que estarão na mesa de negociação com governadores e parlamentares - a 'guerra dos portos', nova partilha do ICMS do comércio eletrônico e a redução do custo financeiro das dívidas estaduais. (Págs. 1 e A2)

Suez negocia mais R$ 1 bi para Jirau

O grupo GDF Suez negocia com o BNDES um adicional de financiamento para a usina de Jirau e avalia a possibilidade de comprar a fatia da Camargo Corrêa no negócio. Os recursos serão destinados à expansão da hidrelétrica, que terá mais seis turbinas. O presidente da Suez no Brasil, Maurício Bähr, disse que a ampliação vai demandar pouco mais de R$ 1 bilhão. Para ele, os problemas de Jirau vão mudar a perspectiva que as empresas têm quanto a investimentos em novas usinas no país. "Teremos energia mais cara porque nenhum empreendedor vai imaginar que conseguirá fazer a obra dentro do cronograma". (Págs. 1 e B1)

Regras da Funai devem atrasar licenciamentos

A Fundação Nacional do Índio (Funai) criou regras que devem atrasar a concessão de licenças ambientais para obras de infraestrutura em terras indígenas. Pelas novas normas, o Rima - relatório simplificado de estudo do impacto ambiental - deve ser encaminhado às tribos afetadas "em linguagem acessível ou com tradução para línguas indígenas". Além disso, as comunidades poderão opinar sobre os futuros empreendimentos em consulta "prévia, livre e informada".

As exigências contrariam decisão tomada pelo governo, em outubro, de agilizar a análise socioambiental de grandes projetos de infraestrutura. "Há etapas e procedimentos novos. Isso pode acentuar a morosidade do processo de licenciamento, que já é lento", reclama o coordenador do Fórum de Meio Ambiente do Setor Elétrico (Fmase), Marcelo Moraes. (Págs. 1 e A3)

Corte de juros pode não ser o último do ano

Há um certo consenso de que o Comitê de Política Monetária (Copom) fará mais um corte de 0,75 ponto percentual na taxa básica de juros (Selic) na reunião da próxima semana, reduzindo-a para 9% ao ano. Mas há muitas dúvidas sobre onde estará a taxa no restante do ano. Uma hipótese que não deve ser descartada é a de o Comitê fazer uma parada não muito longa para avaliação. Depois disso, a taxa de juros pode até voltar a cair.

O Copom indicou em março que reduziria a Selic para no máximo 9%, um pouco acima da mínima histórica de 8,75% ao ano. De lá para cá, porém, a desinflação da economia foi mais acentuada e surpreendeu tanto o mercado quanto o Banco Central. Isso pode ajudar a inflação a convergir mais rapidamente do que esperava o próprio Copom para a meta de 4,5% neste ano. (Págs. 1 e C3)

A CPI que todos apoiam e ninguém quer

A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito para investigar as relações de parlamentares, governadores e integrantes do governo federal com o contraventor Carlinhos Cachoeira tem apoio em todos os partidos, mas não interessa a ninguém. A oposição teme que Cachoeira tenha feito acordo de delação premiada que preserve o PT e o governo.

Foram envolvidos na investigação da Polícia Federal os principais partidos de oposição, como DEM e PSDB, e integrantes do governo como assessores da ministra Ideli Salvatti e do governador Agnelo Queiroz (PT-DF). Enquanto a oposição tentar levar a crise ao centro do Executivo, o objetivo petista é usar a CPI para dividir atenções com o julgamento do mensalão. (Págs. 1 e A6)

Processos relevantes estão parados no Supremo

Vinte e seis anos após a edição do primeiro plano econômico brasileiro e mais de 550 mil ações sobre o assunto no Judiciário, o Supremo Tribunal Federal (STF) incluiu na pauta de julgamento de hoje recursos que discutem se os correntistas devem ser ressarcidos por perdas na correção da caderneta de poupança nas décadas de 80 e 90. Apesar da expectativa em torno do assunto, que há três anos aguarda um desfecho, a questão ainda não deve ser solucionada. O ministro Gilmar Mendes confirmou ao Valor que vai sugerir que se adie de novo o julgamento, após pedido formal do Banco Central.

A indefinição sobre os planos econômicos espelha um problema recorrente no Supremo nos últimos anos: processos de grande repercussão política, econômica e social estão parados nos gabinetes dos ministros ou entram e saem da pauta sem perspectiva de análise. "Há um problema de excesso de processos e de muita discricionariedade na escolha dos temas", afirma o advogado Luís Roberto Barroso. Há dois anos, quando assumiu a presidência da Corte, o ministro Cezar Peluso quis zerar a pauta do STF. Mas a ideia não foi para frente e hoje ainda se veem pautas com centenas de processos. (Págs. 1 e A16)

Importação chinesa de grãos bate recorde (Págs. 1 e B14)

Microsoft reforça área de software de negócios no país, diz Tatarinov (Págs. 1 e B3)

Projetos de R$ 21 bi para portos

Pedidos de empresas interessadas em receber autorizações do governo para operar terminais portuários de uso privativo já somam R$ 21 bilhões na Agência Nacional de Transportes Aquaviários. (Págs. 1 e A4) 

Governo prevê R$ 18 bi na banda larga

Estimativas oficiais apontam que as operadoras de telefonia deverão investir até R$ 18 bilhões em redes de banda larga até 2016 como resultado das medidas de desoneração anunciadas pelo governo. (Págs. 1 e B2) 

Cade limita CSN na Usiminas

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) decidiu que a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) não poderá indicar membros aos conselhos de administração e fiscal da Usiminas. (Págs. 1 e B7)

Santos precisa de até US$ 1,1 bi

Estudo aponta que o porto de Santos precisa de investimentos entre US$ 800 milhões e US$ 1,1 bilhão para eliminação de gargalos de infraestrutura e modernização de procedimentos. (Págs. 1 e B9) 

Avanço dos transgênicos

A área plantada com sementes transgênicas de soja, milho e algodão no Brasil deverá crescer 54% até a safra 2020/21 e totalizar 49 milhões de hectares, que deverão ser equivalentes a quase 90% da área ocupada com as três culturas. (Págs. 1 e B14)

Emissões de dívida aumentam

Companhias de todo o mundo emitiram US$ 850 bilhões em títulos de dívida no primeiro trimestre. Entre as brasileiras, as captações por meio da emissão de bônus somaram US$ 23 bilhões, alta de 70,4% em relação a igual período de 2011. (Págs. 1 e C3) 

Rio desapropria edifício da Bolsa

O edifício da antiga Bolsa do Rio, na Praça XV, que pertence à BM&FBovespa, será desapropriado pelo governo do Estado. O prédio vai abrigar a Assembleia Legislativa, cujas instalações atuais, o Palácio Tiradentes, serão transformadas em museu. (Págs. 1 e C9)

Diamond foca cadeia do petróleo

A Diamond Mountain, empresa de assessoria e investimentos com foco em infraestrutura, pretende levantar até R$ 3 bilhões no país e no exterior para investir em participações e financiar capital de giro a fornecedores da Petrobras. (Págs. 1 e Cl3) 

Ideias

Cristian Klein

Dificuldade da presidente Dilma Rousseff com a base governista teria relação com a crise de carreiras políticas no PT. (Págs. 1 e A6)

Ideias

Nelson Carlini

Retomada do setor naval é incontestável, mas equívocos precisam ser corrigidos para não se repetir a debacle dos anos 80. (Págs. 1 e A10)
------------------------------------------------------------------------------------

Estado de Minas
Manchete: Quem se deu bem um ano depois da lei da sacolinha

( )Consumidor

Passou a ter de se virar para carregar as compras em sacolas próprias e caixas ou pagar pelas sacolinhas supostamente ecológicas de uso permitido. Resta a satisfação de ajudar a preservar a natureza

( )Meio ambiente
Se houve um ganho com a redução de 165,6 milhões de sacolinhas na capital mineira, pesquisas mostram que grande parte das que continuam em uso não são biodegradáveis como deveriam e contêm plástico
(X)Supermercados
Só em BH, deixaram de gastar cerca de R$ 5,8 milhões na compra de sacolinhas que davam aos clientes e passaram a vender as ditas biodegradáveis, embora garantam que as repassam pelo preço de custo
Apesar da quase total falta de fiscalização e de muitas sacolas plásticas continuarem em uso no comércio, de modo geral, o belo-horizontino fez a sua parte: virou cena comum as pessoas usarem sacolas retornáveis para carregar suas compras. A consciência do consumidor, no entanto, está sendo ludibriada. Duas pesquisas mostram que sacolas ecológicas em uso na capital, teoricamente feitas de material compostável, não se degradam em 180 dias, como deveriam. E, pior, continuam tendo o plástico derivado de petróleo em sua composição. (Págs. 1, 21 e 22)
Aborto de anencéfalos tem maioria no Supremo

Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) adiaram para hoje julgamento de ação que pede a liberação da retirada de fetos sem cérebro. No primeiro dia de sessão, cinco foram favoráveis ao tema e um, contra. Ainda faltam os votos de quatro integrantes da Corte. (Págs. 1 e 10)

Visto: Consulado dos EUA deve ser antecipado

Prevista para 2014, a representação diplomática em BH poderá ser aberta já no ano que vem, segundo fonte do governo americano. Deverá funcionar num edifício em Santa Efigênia que está sendo especialmente preparado. (Págs. 1 e 11)

Cachoeira: Oposição briga para ficar como comando da CPI

Investigação vai apurar relação do senador Demóstenes Torres como bicheiro Carlos Cachoeira. (Págs. 1 e 8)

PBH - Servidores: quanto ganha o prefeito?

Funcionários públicos cobram explicações da prefeitura e recorrem ao TCE para saber qual é o real salário do chefe do Executivo. Definição do valor influencia diretamente no cálculo do teto do funcionalismo municipal. (Págs. 1 e 3)

BRT: Superfaturamento põe obra da Copa em xeque

Tribunal de Contas do Estado (TCE) apontou sobrepreço de pelo menos R$ 6 milhões na construção do corredor de transporte rápido por ônibus (BRT) nas avenidas Antônio Carlos (foto) e Pedro I, o que pode levar à suspensão do serviço. (Págs. 1 e 25)

Inovação

Empresas se estruturam e criam braços fora de MG. (Págs. 1 e 20)

------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio
Manchete: Câmara dobra valor da multa da lei seca

Deputados disseram sim para o projeto que prevê maior punição aos motoristas que bebem antes de dirigir e cria novas formas de comprovar embriaguez como testemunhos, exame clínico e vídeos. (Págs. 1 e 5)

Luta contra o crack precisa de mais estrutura

Técnicos do Programa Atitude acusam atraso nos saláros e diárias e falta de vagas para internamentos. (Págs. 1 e Cidades 2)

Supremo adia decisão sobre anencéfalos

Sessão foi suspensa ontem com a autorização do aborto de fetos sem cérebro precisando de um só voto para ser aprovada. (pág. 1 e 6)

Faculdades vão responder por taxas irregulares

Ministério Público Federal move ações contra quatro escolas locais por cobrar por diploma e outros serviços. (Págs. 1 e Economia 2)

Luta contra o crack precisa de mais estrutura

Técnicos do Programa Atitude acusam atraso nos salários e diárias e falta de vagas para internamentos. (Págs. 1 e Cidades 2)

------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora
Manchete: Na guerra dos juros, Banrisul reduz até 73% no cheque especial

Depois de Caixa e BB, banco gaúcho diminui taxas para manter e atrair clientes. (Págs. 1, 6 e 7)

Venezuela: Por que Chávez não veio ao Brasil

Jornalista que revelou câncer de presidente explica preferência por tratamento em Cuba. (Págs. 1 e 32)

Porto Alegre: Novo impasse em Brasília ameaça metrô

Divergências entre União e prefeitura sobre modelo de pagamento da obra atrasam licitação. (Págs. 1 e 36)

Lei Seca: Mais rigor contra álcool ao volante

Câmara aprova projeto que dobra multa e permite vídeo como prova. (Págs. 1 e 41)

Um voto deve definir polêmica de anencéfalos

STF suspendeu sessão após placar de 5 a 1 a favor de interrupção de gravidez. (Págs. 1 e 38)

------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico
Manchete: Executivos brasileiros ganham os mais altos salários do mundo

Diretores do primeiro nível que trabalham no Brasil têm remuneração anual média de US$ 422,2 mil, contra US$ 337,7 mil de seus pares na Alemanha e US$ 307,6 mil nos Estados Unidos, revela pesquisa do Hay Group, feita com exclusividade para o BRASIL ECONÔMICO. (Págs. 1 e 4)

Cade dá sinal vermelho para CSN

Órgão de defesa da concorrência proíbe empresa de Benjamin Steinbruch de comprar novas ações da Usiminas e indicar um membro para o Conselho. (Págs. 1 e 17)

Romney já troca tiros com Obama

O tom foi de agressividade. O presidente mostrou momentos constrangedores do republicano, que atacou a economia. (Págs. 1 e 36)

Mercado aposta em corte de 0,75 ponto na Selic

Instituições que mais acertam previsões sobre juros básicos acreditam que Copom manterá queda. (Págs. 1 e 30)

Consumo cai, mas garante a alta do PIB

Mesmo com desaceleração prevista para os próximos meses, gastos das famílias ajudam crescimento. (Págs. 1 e 8)

Senado alivia importado para mudar ICMS

O governo cedeu para viabilizar a alíquota de 4%, que atingiria produtos com 60% de nacionalização. (Págs. 1 e 6)

Vida longa aos empreendedores

Apoio de incubadoras derruba taxa de mortalidade dos pequenos negócios de 80% para 20%, segundo Sebrae. (Págs. 1 e 10)

EBC Serviços

------------------------------------------------------------------------------------