Uma das formas de levar mais luz natural para dentro de casa é prever aberturas no teto, recurso tecnicamente chamado de iluminação zenital. Protegidas com material translúcido e com fechamentos variados, essas aberturas – geralmente associada à ideia de uma grande cobertura de vidro, ou ao telhado de fábricas antigas – ajudam a reduzir o gasto com iluminação elétrica e trazer mais calor para os cômodos.

Uma das possibilidades é o domo (tipo de claraboia) uma espécie de cúpula confeccionada em acrílico ou fibra de vidro, encontrada no mercado com medidas padrão. O formato pode ser redondo, retangular ou quadrado. Pode ter ventilação permanente ou ser estanque. Com certeza, em sua utilização mais simples, a entrada de luz será permanente, portanto não é recomendado para dormitórios.

Fazer aberturas no teto permite que a luz natural entre com mais facilidade e aqueça o ambiente | Foto: Divulgação
Fazer aberturas no teto permite que a luz natural entre com mais facilidade e aqueça o ambiente | Foto: Divulgação
Porém, é bastante eficiente quando usado para iluminar escadas, corredores e banheiros. Algumas de suas vantagens são liberar paredes para armários ou quadros, propiciar privacidade e, principalmente, proporcionar a entrada de iluminação natural mais bem distribuída se comparada a uma janela.

Quando posicionada rente a uma parede explora a reflexão da luz e minimiza o calor no meio do cômodo. Mas aí esbarramos em sua maior desvantagem, ela também pode permitir a entrada excessiva dos raios solares, resultando no aquecimento demasiado do cômodo.

Para resolver essa questão é possível agregar ao domo algum bloqueador dos raios solares, como telas térmicas, porém essa composição eficiente também será mais onerosa no investimento inicial. Esta especificação é recomendada quando usado em closets. A tela solar evita o desbotamento de roupas pela ação do Sol.

Ventilação e chuva

Para não gerar outros problemas, ao ser instalado um domo com ventilação permanente, a cúpula deve estar apoiada em uma mureta com, no mínimo, 60 centímetros de altura para minimizar respingos de chuva infiltrando em suas frestas. Esse critério deve ser reavaliado se o piso for de madeira. Nesse caso opte pelo domo estanque.

Houve um tempo que o custo inicial do domo era alto, hoje muitas vezes pode ficar abaixo do custo de uma janela e, quando incolor, dar o prazer de olhar para cima e ver o céu azul, estrelado e, com alguma sorte, até a Lua, mesmo estando dentro de casa.

Da coluna de Mirna Zambrana, do iG