Frase do dia

“O amor é tudo”
(Jesus Cristo)







sábado, 14 de julho de 2012

Como fazer marketing político no Twitter


Como fazer marketing político no Twitter

Por Alberto Valle
Com a chegada das eleições proporcionais, certamente muitos candidatos estão se perguntando como fazer marketing político no Twitter. Faz sentido essa preocupação, já que o marketing político digital terá uma participação relevante nas eleições de 2012 e as redes sociais desempenharão uma função crucial nestas campanhas. O que se viu nas eleições anteriores foram candidatos usando o Twitter como ferramenta de marketing político eleitoral, mas, infelizmente, nem todos os casos foram “cases de sucesso”. O marketing político no Twitter, na maioria das vezes foi uma verdadeira aula do que não fazer.

Fóssil de peixe ‘europeu’ é encontrado no interior da Bahia

Peixe viveu há 120 milhões de anos, quando continentes se separavam.

Espécie recebeu nome em homenagem ao candomblé.

Fóssil bruto (acima); num molde de látex (centro); e desneho com detalhes anatômicos (abaixo) (Foto: Cesar Amaral)

Fóssil bruto (acima); num molde de látex (centro); e desneho com detalhes anatômicos (abaixo) (Foto: Cesar Amaral)

Tadeu Meniconi

Pesquisadores brasileiros encontraram no interior da Bahia fósseis de um tipo de peixe pré-histórico nativo da Europa, que nunca tinha sido encontrado na América do Sul. A espécie inédita foi descrita em um estudo publicado em maio pela revista científica “PLoS One”.

'Felpudas' e coloridas, unhas de pelúcia são tendência para o inverno

Salões do Rio Grande do Sul oferecem tendência vinda do exterior.

Para o inverno, a preferência das gaúchas é por tons mais escuros.

Bruna Dias dos Santos, cliente unhas de pelúcia (Foto: Jessica Mello/G1)
Bruna Dias dos Santos optou por uma cor escura
para juntar duas tendências do inverno: os tons frios
e as unhas de pe lúcia (Foto: Jessica Mello/G1)
Não são apenas os casacos, mantas e luvas que ajudam a compor o visual no inverno gelado do Rio Grande do Sul. As unhas trabalhadas também ajudam a dar uma "esquentada" no look para enfrentar as temperaturas, que atingiram marcas negativas nesta semana. Os modelos em pelúcia são a nova tendência para as mãos da estação. Em Porto Alegre, os salões de beleza já oferecem o produto diferenciado as suas clientes.
Especializado no embelezamento das unhas, o Esmalte Clube, no bairro Moinhos de Vento, foi um dos primeiros a importar a tendência para o estado. Há cerca de um mês, passou a trabalhar com as unhas de pelúcia - ou Plush Nails/Fuzzy Nails, como são chamadas no exterior.
A estudante de direito Bruna Dias dos Santos, 23 anos, testou e aprovou a novidade. A jovem gosta de experimentar novas tendências e muda o estilo das unhas a cada semana. Ao saber que o modelo estava sendo realizado em Porto Alegre, optou por realizá-lo. Combinando com o inverno gaúcho, escolheu uma cor mais "fria", o azul petróleo, em um tom que se aproxima bastante do preto. "Já havia visto algumas meninas fazendo esse tipo de trabalho outras vezes e achei muito legal. Gosto dos modelos mais diferentes e quis fazer também", disse.
Unhas de Pelúcia, tendência no RS (Foto: Divulgação/Linno's Cuidados)
Receptividade da novidade é maior entre o público
jovem (Foto: Divulgação/Linno's Cuidados)
Por ser um estilo mais chamativo, a receptividade é maior entre o público jovem, entre 15 e 20 anos, que está sempre ligado nas novidades e espera poder usufruir delas. "As meninas mais jovens estão sempre atrás das novas tendências. Assim que surge algo novo fora do país, elas ligam querendo saber quando iremos oferecer o mesmo. E querem as unhas diferentes para o dia a dia. Não é preciso nenhuma ocasião especial", explica Karen Arisio, uma das proprietárias do Esmalte Clube.
São seis cores diferentes de pelúcia oferecidas no salão: cobre, dourado, uva, rosa pink, vinho e azul petróleo. Apesar de ter tons mais vibrantes, a maior procura durante o inverno são pelos tons mais escuros, como o vinho e o azul petróleo, bem próximo ao preto. Para entrar na moda, é possível decorar todas as unhas com o adereço ou apenas duas, uma em cada mão. Nesse caso, a tendência é trocar também a cor do esmalte: com oito unhas na cor preta e apenas duas em tom rosa com a pelúcia correspondente, por exemplo.
O procedimento para a realização é simples. Primeiro, as unhas são pintadas normalmente, com o esmalte da preferência. Depois, aplica-se um extra brilho, uma unha por vez, para ajudar na fixação, pressionando-a na pelúcia para colar. O excesso pode ser retirado com um pincel de maquiagem, fazendo os retoques com um pouco de acetona. O trabalho completo dura cerca de 1h e custa R$ 26.
Unhas de Pelúcia, tendência no RS (Foto: Jessica Mello/G1)A pelúcia é aplicada após as unhas já estarem pintadas (Foto: Jessica Mello/G1)
O tempo médio de duração do modelo é de 10 dias, dependendo do cuidado que a pessoa tiver ao longo desse tempo. No entanto, as manicures não fazem nenhuma recomendação em especial e garantem que as tarefas domésticos, como lavar louça e roupas, estão liberadas. A única dica é não molhar as mãos por duas horas após a finalização do trabalho, para evitar que a pelúcia perca a textura ou até saia das unhas.
A analista de marketing Indiara Naibert, 29 anos, também adotou a novidade. Em outro salão,  viu a novidade e chegou a ficar com receio de que tivesse de mudar a rotina para preservar as unhas. Porém, conseguiu fazer todas as atividades de rotina normalmente, sem que isso prejudicasse o trabalho final, que durou uma semana. A cor escolhida foi o tradicional vermelho, tendência de tom para todas as estações do ano.
"Saí do salão achando que ia ter que fazer tudo de luva, lavar as mãos, a louça, tomar banho. No entanto, fiz tudo normalmente. Claro que com o tempo a pelúcia vai ficando mais ralinha, mas durou muito. Só troquei o estilo das unhas após uma semana porque quis mudar a cor, porém o material em si estava intacto", relatou, acrescentando que, inicialmente, achou o estilo um pouco estranho, especialmente pelo tempo dedicado para realizá-lo, mas aprovou o resultado final.
Indiara optou por unhas vermelhas, à esquerda; à direita, a diferença das unhas 'normais' e das com aplicação em pelúcia (Foto: Montagem sobre fotos Arquivo Pessoal e Jessica Mello/G1)Indiara optou por unhas vermelhas, à esquerda. À direita, a diferença das unhas 'normais' e das com aplicação em pelúcia (Foto: Montagem sobre fotos Arquivo Pessoal e Jessica Mello/G1)
No interior do Rio Grande do Sul, as unhas de pelúcia também chegaram com força. EmPelotas, no sul do estado, a estudante de administração Suziane Borges, 23 anos, experimentou a tendência em casa. Depois de ver alguns modelos que circulavam pela internet, a jovem encontrou um site de cosméticos que vendia o produto, adquirindo um kit de 10 potes com cores diferentes por R$ 29,90. Até o momento, aplicou a pelúcia nas unhas apenas uma vez, ajudando também as amigas a retocarem o produto, que vai se gastando ao longo dos dias.
Suziane Borges enfeitou as unhas com pelúcia em casa (Foto: Suziane Borges/Arquivo Pessoal)
Suziane Borges enfeitou as unhas com pelúcia em
casa (Foto: Suziane Borges/Arquivo Pessoal)
"Na hora que você faz as unhas, o resultado fica lindo, bem parecido mesmo com um bichinho de pelúcia. Já nos outros dias, não fica o mesmo, acaba amassando um pouco, diminuindo o volume. Mas vou aproveitar todas as cores que comprei no kit e experimentar diversos estilos comigo e com as minhas amigas", disse.
Unhas de caviar
Outra tendência que está chegando ao Rio Grande do Sul até o próximo mês são as unhas de caviar. Seguindo os mesmos princípios de aplicação das de pelúcia, a de caviar é decorada com espécies de "bolinhas", podendo ser mistas, todas coloridas e misturadas, ou de uma cor apenas. No Esmalte Clube, os produtos serão trazidos de Paris, na França, onde o modelo já está fazendo sucesso.

Veja lista com mulheres que criaram polêmica por serem 'muito sexy'

Na Itália, professora provocou a ira dos pais por causa da beleza.

Nos EUA, Debrahlee Lorenzana foi demitida por ser ‘curvilínea demais’.

Em maio deste ano, a americana Lauren Odes, de 29 anos, entrou com um processo na Justiça de Nova York (EUA), acusando seus empregadores de a demitirem porque ela tinha "seios grandes demais" e se vestia de maneira provocante. Na Itália, Laura Maggi disse que enfureceu esposas e namoradas de clientes por ser bonita e atraente. Abaixo, o G1 lista esses e outros casos de mulheres que provocaram polêmica por usarem "roupas sexy".
Em 2010, a americana Debrahlee Lorenzana entrou com uma ação, alegando que tinha sido demitida de um emprego em um banco em Nova York, nos EUA, porque era ‘curvilínea demais’ e distraía seus colegas homens.   (Foto: AP)Em 2010, a americana Debrahlee Lorenzana entrou com uma ação, alegando que tinha sido demitida de um emprego em um banco em Nova York, nos EUA, porque era ‘curvilínea demais’ e distraía seus colegas homens. (Foto: AP)
Lauren Odes disse que foi obrigada a usar um roupão vermelho brilhante para esconder seus seios. (Foto: Brendan McDermid/Reuters)Lauren Odes (à esquerda), ao lado de sua advogada, disse que foi obrigada a usar um roupão vermelho brilhante para esconder seus seios. (Foto: Brendan McDermid/Reuters)
A garçonete Laura Maggi diz que enfureceu as mulheres de Bagnolo Mella, na Itália, depois que passou a servir os clientes em trajes sexy. Laura Maggi, de 34 anos, que dirige um bar chamado 'Le Café', virou assunto de jornais e programas de TV na Itália no início deste ano.. (Foto: Reprodução)A garçonete Laura Maggi diz que enfureceu as mulheres de Bagnolo Mella, na Itália, depois que passou a servir os clientes em trajes sexy. Laura Maggi, que dirige um bar chamado 'Le Café', virou assunto de jornais e programas de TV na Itália no início deste ano. (Foto: Reprodução)
Em junho deste ano, a ex-funcionária do FBI (polícia federal americana) no estado do Novo México Erika Bonilla entrou com um processo contra o órgão, alegando que sofreu assédio e discriminação, porque vários de seus ex-colegas tinham inveja de sua aparência sexy. (Foto: Reprodução)Em junho deste ano, a ex-funcionária do FBI (polícia federal americana) no estado do Novo México Erika Bonilla entrou com um processo contra o órgão, alegando que sofreu assédio e discriminação, porque vários de seus ex-colegas tinham inveja de sua aparência sexy. (Foto: Reprodução)
No ano passado, mulheres da pequena cidade de Cadelbosco di Sopra, no norte da Itália, fizeram abaixo-assinado para impedir que a garçonete Loredana Zavate, trabalhasse no bar-café frequentado por seus marido porque ela era muito sexy. (Foto: Reprodução)No ano passado, mulheres da pequena cidade de Cadelbosco di Sopra, no norte da Itália, fizeram abaixo-assinado para impedir que a garçonete Loredana Zavate, trabalhasse no bar-café frequentado por seus marido porque ela era muito sexy. (Foto: Reprodução)
Em 2010, um grupo de pais de alunos pediu a saída da professora italiana Ileana Tacconelli, que lecionava em uma escola católica de Milão (Itália), por considerá-la ‘muito sexy’ para dar aula.  (Foto: Reprodução)Em 2010, um grupo de pais de alunos pediu a saída da professora italiana Ileana Tacconelli, que lecionava em uma escola católica de Milão (Itália), por considerá-la ‘muito sexy’ para dar aula. (Foto: Reprodução)

Nutricionista fala sobre o papel da alimentação na imunidade

Karin Honorato dá dicas de alimentos ricos em vitaminas.

Segundo ela, verduras, legumes e frutas são essenciais.

“Não tem como falar de saúde e imunidade, sem lembrar das verduras, dos legumes e das frutas”, é o que diz a nutricionista Karin Honorato na coluna deste sábado (14). De acordo com a especialista, esses alimentos são sempre essenciais.

Karin explica que, normalmente, não é fácil consumir uma grande variedade de alimentos. Mas, uma das dicas da nutricionista é um suco ideal para o sistema imunológico: com cenoura, que é rica em vitamina A; com a laranja ou limão, que são fontes de vitamina C; o inhame, que dá o reforço no sangue; e o gengibre, que serve de anti-inflamatório natural.

Papagaio repete sons de rádio táxi e faz vizinho chamar a polícia

Dono diz que papagaio demorou dois meses para começar a 'falar';

Seus gritos dizem frases como "carro um, carro dois".

Sons emitidos pelo papagaio fizeram vizinho chamar a polícia (Foto: Reprodução)Sons emitidos pelo papagaio fizeram vizinho chamar a polícia (Foto: Reprodução)
Um papagaio que emite sons iguais aos de um comunicador interno de rádio táxi fez com que um vizinho chamasse a polícia para averiguar o barulho no Reino Unido (assista a vídeo do papagaio).
O dono do animal, Jiohn McAlinden, diz que ganhou o papagaio de presente e que ele havia ficado calado nos dois primeiros meses. quando começou a "falar", entretanto, passou a emitir sons estranhos como se fosse um rádio de comunicação.
Seus gritos dizem frases como "carro um, carro dois", "táxi para Govan", "táxi para Lidl".
A polícia registrou a reclamação e pediu que o dono do papagaio controlasse o barulho.
Leia mais notícias na página principal do Planeta Bizarro. Conheça também a página doPlaneta Bizarro no Facebook.

Explosão de carro-bomba deixa várias vítimas no centro da Síria


Onda de Revoltas
Um carro-bomba explodiu neste sábado junto a um quartel militar na cidade de Mahrada, no reduto opositor de Hama, no centro da Síria, causando várias vítimas, informaram grupos opositores.

Os ativistas Comitês de Coordenação Local assinalaram em comunicado que foram encontrados os corpos sem vida de sete pessoas pela explosão em uma zona da Segurança Militar.

Rival do Brasil nos Jogos, Egito aposta em veterano engajado


Londres 2012

Mohamed Aboutrika, 33, é a principal arma do Egito, primeiro rival do Brasil no torneio de futebol dos Jogos Olímpicos de Londres.
O meia, assim como os outros dois veteranos convocados pelo técnico Hany Ramzy, atua no Al-Ahly, do Cairo.
Trata-se do clube mais popular, mais vitorioso e mais engajado politicamente do país --a maior parte de sua torcida, assim como Aboutrika, era contra a ditadura de Hosni Mubarak.
O egípcio é uma exceção no meio do futebol. Tem um diploma universitário de filosofia, e já foi até punido por expor suas ideias.
Bruno Domingos - 26.jan.08/Reuters
Mohamed Aboutrika comemora gol durante partida contra o Sudão, pela Copa da África, em Gana
Mohamed Aboutrika comemora gol durante partida contra o Sudão, pela Copa da África, em Gana


Férias escolares não precisam ser uma tortura para pais nem entediante para os filhos



  • Thinsktock
    Deixar a criança passar férias com avós ou outros parentes é enriquecedor e aumenta laços familiares
    Deixar a criança passar férias com avós ou outros parentes é enriquecedor e aumenta laços familiares
    Há cerca de três gerações, a participação feminina no mercado de trabalho não era tão maciça. As mulheres ficavam mais tempo em casa, o que permitia que as férias escolares transcorressem sem atropelos, mesmo sem nenhuma viagem na programação. Havia, ainda, mais segurança para deixar as crianças se divertirem na rua. Hoje, com pai e mãe trabalhando, é difícil lidar com mais de dois meses sem aulas por ano, ainda mais quando os pais não conseguem conciliar as duas agendas profissionais. Onde deixar as crianças? Há programação extra na escola? Ela é suficiente para entretê-los? Será que a avó, que já quebrou tantos galhos, vai reclamar dessa vez?

PF discorda de MP sobre dano ambiental por vazamento da Chevron


As conclusões sobre os danos provocados pelo vazamento de óleo da Chevron, ocorrido no Campo de Frade, na Bacia de Campos, em novembro do ano passado, colocaram a Polícia Federal (PF) e o Ministério Público em lados opostos. Peritos da PF e o procurador da República que atua no caso, Eduardo Santos de Oliveira, discordam sobre as consequências do vazamento.


ONU: Massacre sírio é “uma extensão” de operação da força aérea


Síria
De acordo com o relatório, um grupo de observadores militares desarmados da ONU puderam chegar a apenas 6 quilômetros de Tremseh
Observadores da ONU naSíria descreveram um ataque a um vilarejo na região de Hama, onde cerca de 220 pessoas teriam morrido, como “uma extensão” de uma operação da Força Aérea Árabe Síria (Saaf), disse a missão da ONU em um relatório obtido pelaReuters nesta sexta-feira.
- A situação na província de Hama continua a ser altamente volátil e imprevisível –  afirma o relatório da missão de observadores da ONU – As forças da Saaf continuam a atacar áreas urbanas populosas ao norte da cidade de Hama em larga escala.
Fontes da oposição disseram que cerca de 220 pessoas, na maioria civis, foram mortas no vilarejo de Tremseh quando foi bombardeada por helicópteros e tanques antes de ser atacada por milicianos que mataram algumas famílias na quinta-feira.
Não há relatos independentes sobre o número ou as circunstâncias das mortes. Caso seja confirmado um alto número de mortos, esta pode ser a maior atrocidade nos confrontos entre rebeldes e as forças do presidente, Bashar al-Assad, que já duram 16 meses.

Morte de filho ‘arrasa’ Stallone

A morte do filho Sage na sexta-feira teria “arrasado” o astro de Hollywood Sylvester Stallone, segundo comunicado divulgado por sua assessoria.

O também ator Sage Stallone morreu na sexta-feira aos 36 anos, sob suspeita de possível overdose de medicamentos, de acordo com notícias na imprensa americana.
Sage Stallone fez sua estreia no cinema no filme ‘Rocky V’, ao lado do pai famoso

Eleições 2012: propaganda irregular já rendeu 1.400 denúncias


Foram 1.397 queixas de propaganda irregular somente em 45 dias de funcionamento do serviço de atendimento a denúncias montado para as eleições 2012 pelo Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Rio de Janeiro (TRE-RJ). As irregularidades alcançam zonas eleitorais de 72 municípios do estado.

A maior parte das denúncias está relacionada à propaganda em vias públicas – 1.095 – enquanto 302 reclamações dizem respeito à propaganda antecipada pela internet. O tribunal realiza ainda fiscalização própria em cada zona eleitoral com seus fiscais, que também estão encarregados de averiguar as denúncias apresentadas.

19º capítulo de 'A Cidade e a Névoa': romance de Carlos Sepúlveda


19                                   a melodia eSPALHOU-se por toda parte, tecida pelas vozes trêmulas dos cantores. Não tinha letra, como aqui se descreveu, era apenas um vacilante solfejar, uma melodia, um lamento murmurado de gargantas apertadas, na esperança de que a névoa, afinal, se dissipasse por artes da cantoria ou da vibração de vozes. Argos, o cão, pôs-se em alerta, erguendo as orelhas pontiagudas, ouvindo outras melopeias que não podiam os humanos perceber. Não se pode garantir se melhor ou pior. Rodrigo abraçou Lívia pelas costas e ela deitou-lhe nos ombros os levíssimos cabelos louros de sua delicada cabeça, respirando fundo, imaginando; quem sabe, uma longa e emocionada despedida.  Um breve roçar de seus lábios no pescoço de Lívia que se encolheu como uma criança medrosa lembrou que a vida ainda pulsava.
José Inácio e seu Antonio tentavam seguir o murmúrio das vozes, mesmo sem conhecer a melodia, mas era só para estarem solidários com a dor dos outros. As pessoas buscavam abraçar-se ou permanecerem de mãos dadas, enquanto a vibração de suas vozes poderia romper o nevoeiro, como se cristal fosse. Vaga esperança no meio do desespero, inútil exercício, talvez.
            E assim permaneceram por tempo incontável, porque contá-lo não seria possível sem o tempo, ouvindo as ondas explodindo na praia em harmonia com os cânticos solfejados e as orações sussurradas, cheios de temor. A melodia embalava o marulho das ondas.
            Eis senão quando, Argos, o cão, emite um latido de alerta, pois que, do meio do nevoeiro, surge Padre Luis, seguido das beatas e suas vozes estridentes, interrompendo o silêncio e a reverência do ritual. Entoavam, com suas vozes agudas, os hinos religiosos, enquanto o padre gritava com sua voz esganiçada, em tom de flautim: Arrependei-vos, arrependei-vos antes que seja tarde. A mão de Deus será vingadora. Abram seus corações que este é o fim dos tempos.
            O povo aconchegou-se, as pessoas abraçarem-se ainda mais fortemente; com medo do que fosse suceder. Lívia e Rodrigo cingiram os corpos como se este gesto, tão comum a dois amantes, pudesse significar a salvação da espécie. Juntos, quem sabe, poderiam sobreviver ao mistério, superar o medo e, quem sabe ainda mais, pudessem sentir-se comprometidos com o dia seguinte, podiam repetir o casal do gênesis e recomeçar o gênero humano, mesmo que fosse para também repetir o equívoco de Deus. Até os sons abafados desta cidade secreta devem ser outras tantas álgebras e rigorosa linguagem que provavelmente têm suas chaves correspondentes, suas duras gramáticas e sua fluida sintaxe, e assim este nevoeiro, que a todos atormenta, pode ser o espelho de coisas inexplicáveis, pode ser um texto ainda não decifrado. A decifração do enigma branco não parecia estar ao alcance da inteligência daquelas pessoas, nem mesmo do padre Luis, que guiava o grupo de beatas em direção ao Forte, não se sabia por que razão,  se existe razão nos lunáticos, especulação sobejamente inútil em face dos acontecimentos aqui narrados.
            Quando indagado, padre Luis arregalava mais ainda os olhos injetados, anunciando, com sua voz profética, que o mistério está no forte, é de lá que vem a neblina, eu vi, eu vi a revelação. E as beatas seguiam-no mesmerizadas, e todo o público também resolveu acompanhá-los;  afinal, no meio de tanta dúvida, tanto medo e incerteza, supor uma explicação para o fenômeno parecia fazer sentido. Portanto, em fila, caminhotateante no meio da névoa, aquele grupo bizarro seguia o padre que, em transe, entoava cantos religiosos em latim. O povo não os compreendia, mas isto não tinha a menor importância, pois se entendia que a jornada em direção ao Forte poderia ser a solução do mistério na língua da Bíblia. E isto merecia respeito e mesmo comovida reverência.
            Ainda era dia (isso se deduzia da precária claridade), mas não se sabia quanto faltava para o entardecer e a consequente escuridão que haveria de suceder com a noite. Era a escuridão da noite o maior de todos os temores, porque todos seriam atirados numa espécie de desamparo e de cegueira maior e involuntária. A névoa, associada à escuridão, ampliava o temor de que algo nefasto estivesse para acontecer. Talvez isto explique porque aquela pequena multidão se dispunha a seguir o padre em direção ao suposto fim do enigma.
            Embora descrentes, Lívia e Rodrigo seguiam a procissão, junto com Argos, o cão, que parecia estranhamente confiante e seguro farejando a rota que seguiam. Argos, o cão, avançava a alguns metros na frente de casal e de vez em quando tornava o focinho como a assegurar o acerto da escolha. Sim, era como diziam seus olhos argutos, podem seguir-me que eu já sei para onde vamos, confiem. O cão trotava seguro, quase ao lado de Padre Luis, um e outro pareciam saber o que faziam.
            Pois este caminhar não incerto apontava para a construção branca, sólida, plantada no alto do rochedo. O Forte, já de quatro séculos, garantiu a integridade da cidade, no tempo em que os piratas franceses e holandeses por aqui passaram, em busca do pau-brasil. Era uma construção imponente que ainda guardava os sinais de sua petulância orgulhosa. Dali é que vinham os tiros de canhão, impedindo que a cidade fosse vilipendiada pelas mãos impuras dos corsários e que suas mulheres conhecessem a ignomínia de um estupro. A seus pés, pousaram índios e brancos, comerciando o permitido e o proibido; sob a proteção de sua sombra e era sob o signo de sua imponência que se podia dormir em paz. Enquanto dele se precisou, enquanto ao Forte pertenceu a tarefa de proteger as pessoas e as casas, as ruas e os palácios, foi ele moendo o tempo, deixando passar os séculos por suas paredes brancas e aos poucos foi perdendo importância, porque já não se invadiam mais as cidades pelo mar, nem por piratas, mas por outras formas menos rudes de invadir, nas quais não se viam armas, mas a riqueza e irreverência petulante dos turistas para os quais não se necessita de um Forte.
            Por isso, hoje, não passa de uma memória longínqua de uma história de que ninguém se lembra mais. A edificação, sob os cuidados da prefeitura, é apenas um lugar exótico que anônimos visitantes ocupam sem se importarem do que fazem ou desfazem. Onde à noite, por exemplo, fogosos casais exercitaram uns nos outros a mais antiga das coreografias, a do prazer. As paredes, outrora alvas, estão hoje desenhadas por vocábulos incompreensíveis, nomes e lugares distantes, de fulano que ama fulana ou de fulano que esteve aqui em certa data. Não se pensa que ali passeiam fantasmas de outras vidas, contando a longa história de uma conquista, e que deviam merecer mais respeito.
            Quem se importa com as vidas que circulam por suas paredes grossas e dos velhos soldados, que passeiam por seu pátio, vigiando, fantasmas que são, impenitentes, o desprezo do tempo?
            Lívia e Rodrigo, também José Inácio e seu Antonio, tomaram o mesmo caminho em direção ao penhasco em que descansava, já por quatro séculos, o Forte. Ah, sim, lá também estava Borges, ao lado de Argos, o cão, que agora  nos guiava pelas entranhas do caminho. Ele, com sua bengala de cego, tenteava o passo em direção ao edifício, tendo surgido do fundo de alguma memória funesta há muito dispersa nas lembranças difusas daqueles insólitos peregrinos. Argos, o cão, era o guia.
            Posso dizer que entramos todos nós na sala-d’armas , que é onde se supunha estar a solução do mistério.
Um romance de Carlos Sepúlveda. 
Leia um capítulo a cada semana em: 

Só vota neles quem tem ou quer boquinha

Seeduc dá Tiro no Pé UM VERDADEIRO “BANHO DE ÁGUA FRIA” NA EDUCAÇÃO

‘Se beber, não case 3’ dará mais destaque ao chinês Mr. Chow

Reong assina contrato para filme com previsão de estreia para maio de 2013


Mr Chow, Phil, Stu e Alan, em cena de “Se beber, não case 2”
Foto: Divulgação


Mr Chow, Phil, Stu e Alan, em cena de “Se beber, não case 2”
DIVULGAÇÃO


RIO - Em “Se beber, não case 3”, a nova ressaca do trio de amigos Phil, Stu e Alan (interpretados por Bradley Cooper, Ed Helms e Zach Galifianakis) terá maior contirbuição do louco chinês Mr. Chow (Keon Jeong). O site Hollywood Reporter afirma que o ator, do seriado “Community”, assinou contrato prevendo mais destaque na franquia, dirigida por Todd Phillips.

Mídia quer enterrar CPI do Cachoeira


Por Altamiro Borges

Por que será que a mídia demotucana deseja tanto encerrar as investigações da CPI do Cachoeira? Após a cassação do ex-demo Demóstenes Torres, o “mosqueteiro da ética” da Veja, ela até parece que suspirou aliviada com o fim da agonia e passou a pregar o enterro da CPI. Será que ela teme que as apurações também degolem o governador tucano Marconi Perillo ou atinjam o José Serra e seu amigo Paulo Preto? Ou ela tem medo que as investigações cheguem à revista Veja e respinguem no conjunto da mídia?

Homem mata madrasta a facadas depois de tentar estuprá-la

Wilson Mendes
Um homem de 32 anos foi preso, nesta noite, depois de matar a madrasta, no Morro de São Carlos, no Estácio. Segundo informações da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) local, o acusado tentou estuprar a mulher, que reagiu e foi morta por ele a golpes de faca.

Forró é a nova moda do verão em Nova York

Em boates e bares de Manhattan e do Brooklyn, há noites dedicadas ao estilo nordestino


Pessoas dançam no forró, que acontece semanalmente no Cafe Wha?, em Nova York
Foto: New York Times

Pessoas dançam no forró, que acontece semanalmente no Cafe Wha?, em Nova YorkNEW YORK TIMES


NOVA YORK - No lugar onde nasceu, no nordeste brasileiro, o estilo, levado pelo acordeão e música dançante, conhecido como forró, era chamado de música para empregadas e taxistas. Não mais: o estilo não só se tornou popular com um público "hip" do Rio e São Paulo, nos últimos anos, como também será a moda deste verão em Nova York.

Caminhão carregado de concreto capota e mata motorista

Acidente aconteceu em Boa Esperança do Iguaçu. Homem de 45 anos era morador de Dois Vizinhos...
O motorista Jonir Pelusso, 45 anos, morreu na tarde desta sexta-feira (13), após se envolver em um acidente no interior de Boa Esperança do Iguaçu (PR). Ele dirigia um Caminhão Ford Cargo, placas de Dois Vizinhos, que estava carregado com 17 toneladas de concreto.
Conforme a Polícia Militar, Jonir perdeu o controle da direção depois de passar uma ponte, bateu contra algumas árvores e capotou o veículo. Ele ficou preso na cabine, sendo necessário acionar o Corpo de Bombeiros para liberação do corpo, que foi encaminhado ao IML de Francisco Beltrão. Um primo contou que Jonir trabalhava na empresa há três anos. Ele morava em Dois Vizinhos. 
Publicado em 13 de Julho de 2012 às 22h34min | Luana Monteiro | Notícias Policiais

EUA acusam iraniano e chinês de conspiração nuclear

Investigadores norte-americanos acreditam que dois homens acusados de conspirar para enviar materiais ao Irã via Hong Kong e China tentavam adquirir equipamentos e produtos usados para construir centrífugas de enriquecimento de urânio, disse nesta sexta-feira uma autoridade.
Os materiais e componentes que os suspeitos tentavam obter incluíam "tudo o que se necessita para construir centrífugas de gás para enriquecimento de urânio", disse a autoridade à Reuters.

Ministério Público Federal recorre de decisão que libera salários acima do teto constitucional

A Procuradoria Regional da República da 1ª Região (PRR1/MPF) recorreu das decisões que mantêm o pagamento de salários acima do teto constitucional de R$ 26.700 aos servidores do Senado e da Câmara dos Deputados.
O pedido para que o teto seja respeitado já foi negado duas vezes pelo Tribunal Regional Federal da 1ºRegião (TRF1), o que motivou o MPF a entrar com pedido de recursos especiais, na terça-feira (10), para que os processos sejam julgados pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Parar de fumar engorda quanto?

CRISTIANE SEGATTO


O ganho de peso é maior do que se pensava, mas há solução

CRISTIANE SEGATTO  Repórter especial, faz parte da equipe de ÉPOCA desde o lançamento da revista, em 1998. Escreve sobre medicina há 15 anos e ganhou mais de 10 prêmios nacionais de jornalismo. Para falar com ela, o e-mail de contato é cristianes@edglobo. (Foto: ÉPOCA)
Algumas verdades são tão eloquentes que nem os malabarismos do discurso politicamente correto são capazes de silenciá-las. Na saúde, há várias delas. Uma das principais: fumar tira o apetite e ajuda a emagrecer. Não gostaria que isso fosse verdade. Infelizmente, é.
Na tentativa de perder alguns quilinhos, muitas adolescentes acendem o primeiro cigarro e nunca mais se livram dele. No mundo da moda, fumar para “secar” é uma prática comum. Foi assim com a ex-modelo e atriz Letícia Birkheuer, 33 anos. Ela era jogadora de vôlei no Rio Grande de Sul quando foi convidada a estrear nas passarelas. 
Tinha um corpo atlético demais e precisava afinar. No primeiro trabalho, aos 18 anos, foi aconselhada a fumar. A dica e o primeiro cigarro vieram de uma modelo mais experiente. “Não demorei a me viciar – o cigarro era meu refúgio. Era cool fumar no mundo da moda”, diz Letícia. 
Ela tentou parar quatro vezes. As primeiras, com ajuda de adesivo e chiclete de nicotina, não deram certo. Na terceira, tomou remédio e passou quatro meses sem fumar. Até que problemas pessoais provocaram uma recaída. Só uma motivação forte – a gravidez – fez a atriz parar de vez. 
O depoimento dela e de outras 13 personalidades está na reportagem Como parei de fumar, publicada recentemente por ÉPOCA. São depoimentos reveladores, registrados em texto e vídeo, que merecem ser conhecidos e compartilhados.
Lembrei desse caso nesta semana por causa da divulgação de um estudo sobre cigarro e ganho de peso. Determinar quantos quilos as pessoas acumulam, em média, depois que deixam de fumar foi o objetivo dos pesquisadores coordenados por Henri-Jean Aubin, professor de psiquiatria do Hôpital Paul Brousse, na França.

Boeing propõe ampliar projeto para vender caças ao Brasil

Vice-presidente do Programa Boeing F/A-18 diz que o mesmo tratamento foi dado pela companhia aos atuais clientes
Denise Chrispim Marin, Correspondente
WASHINGTON - O pacote de transferência de tecnologia dos caças F18 Super Hornet ao Brasil poderá ser "ampliado" na medida em que seja aprofundada a cooperação e a confiança entre os governos dos Estados Unidos e do Brasil e entre as companhias dos dois lados envolvidas no projeto. Segundo o vice-presidente do Programa Boeing F/A-18, Mike Gibbons, o mesmo o tratamento foi dado pela companhia aos seus atuais clientes desse segmento de defesa.
Caça F18 Super Hornet é um dos concorrentes em licitação do governo brasileiro - Facundo Arrizabalaga/EFE
Facundo Arrizabalaga/EFE
Caça F18 Super Hornet é um dos concorrentes em licitação do governo brasileiro
"O Brasil e os EUA precisam um do outro. Os EUA precisam do Brasil para estar seguro. Por isso, se o Brasil comprar os F18 Super Hornet e tornar-se um aliado dos EUA, a parceria a confiança mútua vai se expandir, e a transferência tecnológica será estendida para um potencial adicional", afirmou Gibbons ao Estado. "A transferência tecnológica para os nossos atuais clientes está em contínua ampliação, na medida em que aumenta a parceria e a confiança dos dois lados", completou.
Desde o ano passado, a Boeing tem demonstrado seu especial interesse na ampliação de negócios com o Brasil. Abriu um escritório em São Paulo, enviou como sua representante a ex-embaixadora americana em Brasília Donna Hrinak e, recentemente, fechou acordos com a Embraer para o aperfeiçoamento do A-29 Super Tucano e para apoio nas vendas do cargueiro KC-390 aos EUA e a outros países.