Bom dia! Confira os destaques dos jornais deste sábado, 5 de janeiro de 2013.



Folha de S.Paulo
O Estado de S.Paulo
Manobra fiscal faz Caixa virar sócia até de frigorífico
O Globo
Ano novo velhos problemas- Nepotismo avança nas prefeituras pelo Brasil
Valor Econômico
Correio Braziliense
Empresas têm R$ 240 bi, mas temem investir no país
Estado de Minas
Consumidor também pune planos de saúde
Zero Hora
Ônibus sobe para R$ 2,25*
Jornais internacionais
The Washington Post (EUA)
Relatório de empregos retoma esperança
El País (Espanha)
"Me preocupam intransigências que envolvam políticas de ruptura" diz rei Juan Carlos
Clarín (Argentina)
Goye afirma que não irá sair e denuncia um "golpe institucional"



O Globo
Manchete: Ano novo velhos problemas- Nepotismo avança nas prefeituras pelo Brasil
Para especialistas, lei é controversa, mas contratação de parentes é imoral

Mal assumiram seus cargos, prefeitos já nomeiam mães, filhos, sogros e cunhados para compor o primeiro escalão

De norte a sul, a velha prática de povoar a administração pública com parentes se repete neste início de 2013. No Estado do Rio, o prefeito de São Gonçalo empregou o irmão. Em Petrópolis, a escolha foi pela mulher e pelo cunhado. Em Alagoas, um ex-prefeito ajudou a eleger o sucessor e foi presenteado com dois cargos: para ele e a mulher. Em 2008, o STF aprovou súmula vinculante que vedou o nepotismo, mas depois flexibilizou a decisão para cargos de natureza política. Para especialistas, a interpretação é controversa, mas a prática fere o princípio da moralidade. (Págs. 1 e 3)

Chuvas: estado orça, mas não gasta
Região Serrana só teve 35% aplicados em obras após tragédia de dois anos atrás

Levantamento feito pelo GLOBO no Portal da Transparência da Secretaria estadual de Fazenda comprova a lentidão do poder público para executar obras que poderiam evitar tragédias previsíveis. Dos R$ 600 milhões orçados pelo estado em 2012 para o programa de recuperação de áreas atingidas por catástrofes, somente R$ 198 milhões (33%) foram gastos. Embora tenham recebido a fatia maior (R$ 505 milhões), as cidades serranas castigadas pela enxurrada de 2011, que deixou mais de 900 mortos, tiveram apenas R$ 175 milhões (35%) aplicados em obras. Subiu para dois o número de mortos pelas chuvas de anteontem. (Págs. 1 e 8 a 11)

Acordo para transição em Caracas
A ida da cúpula chavista a Cuba teria servido para selar um acordo — o Pacto de Havana — a fim de garantir uma transição suave na Venezuela, dada a gravidade da doença do presidente Chávez. Segundo a imprensa, será formado um politburo tendo como vice-presidente Nicolás Maduro, apontado por Chávez seu sucessor. (Págs. 1 e 28)

Doenças e sucessões

Regimes autoritários ou em transição democrática muitas vezes dão a doenças de líderes pouca transparência por causa da sucessão. (Págs. 1 e 28)

Redações do Enem- MEC recorre de liminar da Justiça
O Ministério da Educação recorreu ao Tribunal Regional Federal da 5ª Região, em Recife, contra a liminar da Justiça Federal no Ceará que mandou o Inep divulgar a correção das provas de redação do Enem 2012 num prazo de 48 horas. (Págs. 1 e 6)
Dilma terá metas para ministérios
Para tentar marcar a segunda metade do seu governo pela eficiência, Dilma criará metas e cobrará resultados de todos os ministérios. O controle será semelhante ao de empresas privadas, com visão de longo prazo dos planos quinquenais da China. (Págs. 1 e 23)
Fundo cobre rombo fiscal
Pela 1ª vez, o governo resgatou R$ 12,4 bi do Fundo Soberano para fechar a meta fiscal de 2012. (Págs. 1 e 24)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Manobra fiscal faz Caixa virar sócia até de frigorífico
Aumento de R$ 5,4 bi no capital do banco foi feito com ações do BNDESPar em empresas privadas

A Caixa Econômica Federal se tornou sócia de frigorífico, de fabricante de autopeças e de processadores de minérios, entre outras empresas privadas, como parte das manobras do governo federal para cumprir a meta fiscal de 2012. O aumento de capital do banco, no valor de R$ 5,4 bilhões, autorizado no fim do ano, foi bancado em parte com ações que o BNDESPar, braço de investimentos do BNDES, tinha nessas empresas. O “malabarismo” só veio a público porque JBS (frigorífico), Romi (bens de capital), Mangels (autopeças) e Paranapanema (processamento de cobre), que têm ações na Bolsa de Valores, comunicaram ao mercado a mudança na composição acionária. O BNDESPar informou que repassou à União ações em dez companhias diferentes. A elevação de capital compensou o repasse de R$ 4,7 bilhões do banco ao Tesouro com o objetivo de levantar recursos para o governo fechar as contas. (Págs. 1 e Economia, B1)

Ano ‘calmo’

Governo planeja reduzir políticas para enfraquecer a moeda e diminuir as taxas de juros em 2013. “As medidas já foram tomadas", disse o ministro da Fazenda, Guido Mantega. (Págs. 1 e B3)

Apadrinhado de Sarney livrou empresa de licitação
Apadrinhado político de José Sarney (PMDB-AP) e atual secretário do governo Roseana Sarney (PMDB) no MA, o ex-diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) Fernando Fialho favoreceu empresário ligado ao senador com a extensão, por um ano e meio, de contrato de exploração do Porto de Santos. Resolução evitou que grupo disputasse licitação. (Págs. 1 e Nacional, A4)
PF investiga esquema de espionagem em Brasília
A Polícia Federal abriu investigação para apurar suposta rede de espionagem com atuação em Brasília que teria políticos e autoridades entre seus alvos. Suspeita-se que até a presidente Dilma Rousseff tenha sofrido tentativa de espionagem - além de senadores e deputados. As investigações foram abertas com base em informações do deputado Miro Teixeira (PDT-RJ). (Págs. 1 e Nacional, A6)
Piora da saúde de Chávez dá peso a eleição na Venezuela
A cinco dias da data marcada para a posse de Hugo Chávez, a Assembleia da Venezuela deve reeleger hoje o chavista Diosdado Cabello para o comando do Legislativo, informa o enviado especial Roberto Lameirinhas. A eleição, normalmente protocolar e com favoritismo de Cabello, ganhou importância em razão das incertezas sobre o próximo mandato de Chávez. (Págs. 1 e Internacional, A12)
Só 1% da verba federal antidesastres foi usado
O Ministério da Integração Nacional executou menos de 1% dos recursos destinados no Orçamento de 2012 para a prevenção de desastres naturais. De um total de R$ 139 milhões, só R$ 957 mil foram pagos. A pasta diz que os recursos foram empenhados. Em Duque de Caxias, no Estado do Rio, 300 famílias que tiveram suas casas destruídas pelas chuvas devem receber até R$ 5 mil. (Págs. 1 e Cidades, C3)
Aposentadoria privada exigirá mais poupança (Págs. 1 e Economia, B3)

Miguel Reale Júnior: Os incomuns
Lula e Sarney buscam o benefício da impunidade, pois ostentam, no ver deles mesmos, a condição de homens incomuns. (Págs. 1 e Espaço Aberto, A2)
Notas & Informações: Genoino no seu pior papel
No passado, José Genoino conquistou respeito. Hoje, procura se agarrar ao que lhe convém. (Págs. 1 e A3)
------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense

Manchete: Empresas têm R$ 240 bi, mas temem investir no país
Pesquisa divulgada ontem pelo IBGE indica que a produção industrial no Brasil deve fechar o ano com o pior resultado desde a recessão de 2009. E não é por falta de dinheiro para investir. Segundo estudo da Consultoria Economática, as 221 maiores companhias do país com ações negociadas na bolsa de valores dispõem, juntas, de R$ 240 bilhões. Mas a maioria prefere manter o dinheiro em caixa a tocar novos projetos. Alega incertezas no cenário internacional. Sobre o Brasil, a principal queixa é a suposta falta de regras claras na condução da economia pelo governo. (Págs. 1, 10 e 11)
Peru reforça buscas pelo brasiliense
Equipes de resgate em montanhas procuram Artur Paschoali, desaparecido há duas semanas. Itamaraty envia diplomata para a cidade de Santa Teresa. (Págs. 1 e 26)
Servidores
Reajuste para o STF eleva em 5% o teto de salários no DF. (Págs. 1 e 23)
Chuvas
Até ministro reclama da burocracia para evitar as tragédias. (Págs. 1 e 8)
Seis deputados federais estão na fila da prisão
A futura Mesa Diretora da Câmara terá que acompanhar de perto os processos de parlamentares condenados pelo STF, quatro deles no mensalão. (Págs. 1 e 2 a 4)
Cai o número de multas no trânsito do DF
Em 2012 foram registradas 1.189.928 infrações nas ruas da cidade, 8,6% a menos do que no ano passado (1.303.139). A maior redução (58,1%) foi nos casos de motoristas sob efeito de álcool. (Págs. 1 e 21)
Sua chance
Governo autoriza dois ministérios a realizarem concurso. Serão abertas 347 vagas
na Fazenda e 122 na Integração Nacional. Marinha preencherá 66 postos. (Págs. 1 e 13)

------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas

Manchete: Consumidor também pune planos de saúde
Operadoras que tiveram vendas suspensas perderam até um quarto dos clientes

Pelo descumprimento de prazos para exames, consultas e internações, tiveram a venda proibida em julho pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) 268 planos de saúde, administrados por 37 operadoras, quatro delas em Minas. Em outubro, nova lista foi publicada e três operadoras do estado continuaram suspensas. Levantamento do Estado de Minas no portal da própria ANS mostra que, entre julho e novembro, essas três empresas tiveram expressivo êxodo de clientes. Na Admedico Administração de Serviços Médicos, a perda foi de 25,71% (de 11.691 para 8.686 segurados). A Fundação Santa Casa de Misericórdia de BH amargou redução de 8,54% em sua clientela (de 149.942 para 137.138). E a Só Saúde Assistência Médico Hospitalar perdeu 5,83% (de 47.678 para 44.900). (Págs. 1 e 11)

Batalha judicial deixa o Enem sob suspense
Até o início da noite de ontem a Justiça Federal não tinha se pronunciado sobre o recurso do MEC contra decisão que determinou abertura imediata da correção das redações. Em BH, alunos fizeram protesto em frente ao Ministério Público Federal. (Págs. 1 e 19)
Cursos devem ser liberados
Dezesseis cursos superiores em Minas que estão proibidos de abrir novas vagas mas tiveram melhoria de conceito no Enade deverão ser liberados pelo MEC até o meio do ano. (Págs. 1 e 19)
R$ 240 bilhões fora do mercado
Valor é o que as grandes empresas brasileiras têm para investir, mas não o fazem por desconfiança da política econômica. (Págs. 1 e 13)
Venezuela 
Hugo Chávez tem grave infecção pulmonar. (Págs. 1 e 15)
Lei Seca dá ressaca até em taxistas
Punições mais rigorosas a quem bebe e pega o volante aumentaram a procura por táxis. Mas os motoristas da praça reclamam que passageiros embriagados demais dormem, vomitam e até urinam no carro. Por isso, não querem conduzi-los. (Págs. 1 e 17)
Ressarcimento de desvios e má gestão acaba na Justiça
TCE recorre ao Judiciário para que administradores de cidades mineiras devolvam aos cofres públicos R$ 913 mil e paguem multas aplicadas entre julho e setembro. (Págs. 1 e 3)
------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio

Manchete: Ônibus sobe para R$ 2,25
Valor da tarifa corresponde ao anel A, que tem a passagem mais barata e abriga 80% dos passageiros. Decisão do Conselho de Transporte Metropolitano equivale a reajuste de 5,53%. Estudantes farão passeata na segunda-feira contra o aumento. (Págs. 1 e Cidades, 2)
Previdência privada pode ficar mais cara
Efeito cascata da redução dos juros deixará mensalidades até 37% maiores. (Págs. 1 e Economia, 7)
União derruba acesso imediato às redações
Presidente do TRF-5 desobrigou o MEC da divulgação da correção da prova do Enem. (Págs. 1 e 10)
Inauguração da Fiat fica para 2015
Atraso no início das obras retarda operação em Goiana. Ontem, BNDES liberou recursos para a montadora. (Págs. 1 e Economia, 1 a 3)
Refinaria fará diesel com baixo teor de enxofre
Pelo menos 70% da produção da unidade da Petrobras em Suape será do novo S-10. (Págs. 1 e Economia, 5)
BR-104 ganhará quatro lombadas eletrônicas (Pág. 1 e capa dois)

Chuvas causam segunda morte no Rio de Janeiro (Págs. 1 e 12) 

Foto-legenda: Em obras
Prefeito Geraldo Julio fiscaliza início da limpeza do Canal do Arruda. Hoje, mutirão chega ao Jordão. (Págs. 1, 3, 4 e Cidades, 6)
------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Manchete: Venezuela prepara futuro pós-Chávez
Governo rompe silêncio e informa que presidente sofre de “grave infecção pulmonar”. Aliados admitem que líder pode não assumir novo mandato e fazem pacto para evitar crise. (Págs. 1, 4 e 5)
Prevenção: Polícia em alerta para evitar novo ataque no RS
Devido a pagamentos de empresas, BM e Polícia Civil reforçam vigilância contra quadrilhas no fim de semana. (Págs. 1 e 30)
------------------------------------------------------------------------------------

Comentários