Cabo Frio ganha Comunidade Terapêutica para tratamento de dependentes químicos

Comunidade ficará no Alecrim e será a primeira a funcionar no país com recursos próprios

Oferecer um ambiente seguro e acolhedor que facilite a socialização e a busca de equilíbrio no tratamento de dependentes químicos. Esse é o objetivo da Comunidade Terapêutica que a Prefeitura de Cabo Frio, através da secretaria Municipal de Prevenção ao Uso de Drogas, vai criar no bairro Alecrim. Será a primeira Comunidade Terapêutica pública do país a funcionar com recursos próprios, já que este tipo de tratamento só é oferecido hoje à população através da rede particular de saúde.



- Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU) cerca de 5% da população mundial – 200 milhões de pessoas – entre 15 e 64 anos de idade, consomem algum tipo de droga ilícita ao menos uma vez no ano. O Brasil está entre os países onde este problema ocorre com maior intensidade, daí a importância da sua prevenção e o enfrentamento com a adoção de políticas públicas e ações articuladas que minimizem as conseqüências do tema em questão, bem como a conscientização da população, diz a secretaria Cris Mansur.

Comunidade Terapêutica é um modelo residencial de tratamento da dependência química, que utiliza como método, a experiência de vida e a convivência em uma cultura saudável organizada como uma micro-sociedade. Ao todo serão disponibilizados 75 leitos, sendo 50 para homens e 25 para mulheres. Sua estrutura (organização social), seus moradores (funcionários, residentes e profissionais da área de saúde) e sua rotina de atividades diárias (recreação, palestras, reuniões, trabalhos) serão preparados para facilitar o tratamento, a aprendizagem e a recuperação do interno.
- Nosso objetivo é minimizar os danos provocados por este grande mal da sociedade e os problemas que se agravam a cada dia, interferindo no desenvolvimento dos indivíduos, principalmente na vida de jovens e adolescentes, alerta.

A Comunidade Terapêutica do Alecrim terá clínico geral, neurologista, atendimento odontológico, psicólogo, psiquiatra, enfermeiros, monitores, biblioteca, espaço para terapias em grupo, academia de ginástica, lavanderia, campo de futebol, quadra de vôlei, hidroginástica, salão de jogos e cursos profissionalizantes nas áreas de hotelaria, culinária, artesanato, eletricista, entre outros. Todos os dormitórios têm banheiro para os internos. Além disso, um dos alojamentos será adaptado com 6 leitos para receber portadores de necessidades especiais.

Na Comunidade Terapêutica, além de receber todo o atendimento necessário para sua recuperação, o interno precisa trabalhar. Eles formam a mão-de-obra para o cultivo de hortaliças, criação de animais e fabricação de pães e bolos numa mini-padaria. Todos os alimentos são para consumo próprio. A transformação biopsicossocial e espiritual envolve o aprendizado de novos valores, comportamentos, capacidades e responsabilidades, gerando os instrumentos necessários para a reinserção social. Segundo especialistas, o trabalho realizado incentivar o usuário a retomar suas relações familiares e atividades profissionais.

- O objetivo é tratar o transtorno do indivíduo, mas também proporcionar uma transformação no estilo de vida e na construção de uma identidade cidadã, conclui Cris Mansur. 


Texto: Alexandra de Oliveira e Marcelo Velloso / Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal de Prevenção ao Uso de Drogas

Comentários