Em Búzios, obra em calçada de Geriba é desfeita sem dó nem choro

Prefeito sinaliza que não vai permitir que pedestres sejam impossibilitados de caminhar pelas calçadas e promete agir já
829925
Por Guilherme Barcellos 
Na manhã de segunda-feira (07) o secretário de Serviços Públicos, Eraldo Pereira de Mendonça, acompanhado do secretário de Ordem Pública, Geraldo Barreiros Borges, com apoio da Policia Militar, demoliram uma calçada feita de forma irregular, que obstruía a passagem de pedestres, bem como o estacionamento de veículos na Avenida Geribá.
O PH na edição 1463/12 já apontava esta prática de invasão do passeio público que é adotada em vários bairros de Búzios, principalmente por condomínios, que constroem sobre as calçadas, ornamentando o espaço público com vasos de plantas, em alguns casos, até jardins e correntes delimitando seus limites, como se as mesmas fizessem parte da área privativa dos imóveis.

Em Geribá, conforme informações de moradores, três arvores foram retiradas para que a construção irregular da calçada tivesse curso. Para o secretário Eraldo, esta sensação de que nada vai acontecer, e de total impunidade tem que acabar. - Estaremos atentos contra estas irregularidades – disse Eraldo.
Segundo o secretário Geraldo Borges, a proprietária, apontada como sendo a esposa do ex-prefeito de Campos, Arnaldo Vianna,   já havia sido alertada verbalmente dias atrás e logo depois foi notificada para desfazer a obra irregular em 48h. - Mesmo após o aviso ela não tomou nenhuma providência, desta forma, o caminho foi a própria prefeitura fazer valer a lei do Código de Postura do município, no capitulo III, art. 61 que diz o seguinte: Parágrafo 1º- Verificada, mediante vistoria administrativa, a invasão ou usurpação de logradouros públicos, inclusive calçadas em consequência de obras de caráter permanente, o Poder Público poderá promover imediatamente sua demolição. 
- Esse foi o primeiro caso detectado por estar mais visível, mas começamos a trabalhar agora e com o passar do tempo verificaremos outras obras irregulares – informou o secretário de Ordem Pública.

Comentários