Em Búzios, verão do caos em João Fernandes

Quiosques tomam conta da praia de João Fernandes transformando faixa de areia em verdadeiro lixão
Por Márcia Ribeiro
725677
Uma fila de guarda-sóis e cadeiras tomou conta do cenário em frente ao club La Plage, na praia de João Fernandes, neste início de temporada. Nos quiosques instalados a beira mar, é possível alugar dezenas desses pares, e ainda comprar petiscos e drinques a vontade. Ao visitar a praia na segunda-feira (8), pela manhã, a reportagem do PH contou seis barracas tentando atrair clientes para consumir seus produtos e alugar as cadeiras e guarda-sóis espalhados pela areia. De acordo com os próprios quiosqueiros, a permissão para manter os negócios foi renovada pelo governo passado pelo valor de R$ 5 mil, mas nenhum destes quiosques improvisados oferece infraestrutura necessária para atender o público que frequenta aquela que é uma das mais famosas praias do município. A quantidade de guarda-sóis na areia foi a primeira coisa que chamou a atenção da reportagem e do empresário Otavio Martins, proprietário do club La Plage, que vem observando há anos a degradação paulatina da ambiência na praia de João Fernandes. A segunda foi que os quiosqueiros estão desbarrancando a exígua faixa de terra usada como passeio, acabando com o pouco espaço que os pedestres tinham para caminhar a salvo dos veículos que trafegam pela estreita via. A terceira e a mais preocupante é que nenhuma dessas barracas tem a menor condição de higiene, saneamento e infraestrutura necessária para atender a imensa quantidade de turistas que frequentam a outrora paradisíaca praia.



 De acordo com o empresário Otavio Martins, proprietário do Club La Plage e dos hotéis La Plage e La Foret, caso a municipalidade continue permitindo os inúmeros pontos de comércio na praia, que sejam criadas condições necessárias para seus funcionamentos. 
- Soubemos pelos quiosqueiros que eles pagaram uma taxa de R$ 5 mil para poderem continuar trabalhando. Ora, se existe essa permissão da prefeitura é preciso encontrar uma fórmula para que o serviço seja feito com qualidade em todos os aspectos, dentro dos padrões de saúde pública, inclusive – ressalta Otavio. 
Sobre a situação da área ao lado do club La Plage, de grande circulação de turistas, o empresário faz questão de lembrar que a rua era um lamaçal escuro, onde ocorriam inúmeros assaltos a moradores e turistas que utilizam a via como forma de evitar a íngreme ladeira que divide a faixa litorânea do bairro. Hoje, graças ao club La Plage e Hotéis Ville La Plage & La Foret, geradores de empregos legais, de renda e de impostos, existem calçamentos e iluminação no local. - Nossos lençóis são confeccionados pela Associação Bem Fazer, que também expõe e vende artesanato no La Plage, o que demonstra o interesse pelo social em nossos empreendimentos. Por isso pedimos as autoridades recém empossadas que cuidem do Turismo de Búzios, e de seu produto principal, que são as praias. Os antigos administradores permitiram que um dos principais cartões postais da cidade se transformasse em um ‘lixão’. Mas como a esperança em Búzios se renova a cada nova administração, espero que o atual prefeito, em quem confiamos, faça a coisa certa – disse Martins. 

Concorrência desleal

O empresário conta ainda que ofereceu através de um representante do governo anterior, fornecimento de água e energia para que as barracas de João Fernandes pudessem ter condições básicas de higiene. – Os barraqueiros vendem caipirinhas, frituras e outros alimentos, mas não possuem banheiros para atender a clientela. Outro problema é a permissão para alugar cadeiras e guarda-sóis na praia, situação constrangedora para nós empresários, que temos nossos negócios legalizados, funcionários registrados e pagamos impostos altíssimos. Temos o limite máximo de 20 guarda-sóis para atender aos nossos clientes, mas a partir dessa quantidade não podemos colocar nem uma cadeira a mais, ainda que haja espaço na areia. No entanto, bem ao nosso lado, quiosqueiros alugam dezenas de guarda-sóis todos os dias para turistas que, acabam usando os banheiros do La Plage. Não vamos proibir ninguém de usar nossos banheiros, mas chegamos ao ponto de ter que contratar uma pessoa só para limpar os sanitários porque a carga é muito grande. Por isso clamamos ao novo governo que resolva logo a situação. Se existe uma oficialidade, então que a prefeitura exija dos quiosqueiros condições dignas de trabalho e mantenha o visual da praia de João Fernandes limpo, uma das mais movimentadas de Búzios, que deveria ser Bandeira Azul, mas é Bandeira Preta.

Ordem Pública diz que Lei será cumprida 

O diretor de Postura do município, Dom, em entrevista concedida ao PH, explicou que a missão do novo governo é ordenar a orla e as praias. – Os quiosqueiros da Ferradurinha já foram chamados e fizemos um acordo. Todos sabem que se descumprirem o que foi acordado, na presença de todos, vamos usar a Lei e tudo que estiver dentro do Código de Postura do município será executado. Os fiscais vão tirar das praias todos que não tiverem autorização. Mas é preciso que a população entenda que não será possível fazer em uma semana o que não foi feito em quatro anos. Hoje mesmo mandamos os fiscais intimarem todas as pessoas que colocaram nas calçadas e logradouros públicos alvenaria, areia, entulho, cascalho e outros materiais de construção. Na praia de João Fernandes os quiosqueiros sabem que têm um limite de 20 guarda-sóis. A partir de agora vamos notificar todas as barracas das praias de João Fernandes, Tartaruga e Geribá que descumprirem a Lei. Quem se enquadrar vai permanecer, quem desobedecer terá seu material recolhido. Tenho observado que nas redes sociais as pessoas estão elogiando muito o trabalho da nova secretaria municipal de Postura. Acredito que isso seja resultado de um trabalho de equipe sério, dos supervisores ao secretário, que está agradando a população.    

Comentários