Em comunicado, Partido Comunista da China reitera "controle absoluto" da imprensa


Ontem (8/1), o Departamento de Propaganda do Partido Comunista da China advertiu que o governo "ainda tem o controle absoluto" da imprensa e proibiu novos protestos a favor da liberdade de expressão, informou a agência Efe. As medidas respondem à manifestação em apoio a jornalistas ocorrida no dia anterior em Cantão.
Partido Comunista disse em nota que imprensa continua controlada na China

"São várias as forças estrangeiras hostis que intervieram nos protestos", afirmou o PC chinês em nota. O comunicado do partido ainda assegura que o controle midiático pelo governo é um princípio "inquebrantável".

O texto, enviado aos principais chefes do partido e a diretores de alguns veículos da imprensa, responde à greve e aos protestos liderados por jornalistas do semanário Southern Weekly(Nanfang Zhoumo) contra a interferência na primeira edição de 2013. A publicação é conhecida por seu jornalismo investigativo e sua linha editorial liberal. 

Também foi ordenado que os veículos de comunicação de todo o país publiquem um editorial no qual diz que o gigante asiático "não tem a infraestrutura social para apoiar a "imprensa livre".

"Devido à realidade social e política da China, a liberdade de imprensa que reivindicam essas pessoas simplesmente não existe", diz o editorial.

Comentários