Incêndio em boate repercute na imprensa internacional

Incêndio em boate ganhou destaque na imprensa internacional
Incêndio em boate ganhou destaque na imprensa internacional
A morte de centenas de pessoas em uma boate de Santa Maria (RS), vítimas de um incêndio na madrugada do último domingo (27), ganhou destaque na imprensa internacional. Os veículos reúnem informações de correspondentes e da imprensa brasileira para dimensionar a gravidade do fato. 
Os sites dos jornais argentinos La Nación e Clarín divulgaram a tragédia na manchete Santa Maria fica na região central do Rio Grande do Sul , Estado que faz fronteira com a Argentina. Os veículos comparam o acidente com o ocorrido em Buenos Aires em 2004, quando um incêndio na boate República Cromañón resultou na morte de 194 pessoas.
site do jornal espanhol El País também anuncia o fato na manchete, com vídeos e galerias de fotos que mobilizam comentários de dezenas de leitores. Os britânicos BBC e The Guardian também divulgam a notícia em destaque na primeira página. O Le Monde, um dos principais jornais da França, colocou a notícia na capa do site na internet.

site do jornal norte-americano The New York Times faz um histórico de incêndios em casas noturnas pelo mundo, indicando que a tragédia de Santa Maria está entre as mais graves da última década. Também nos Estados Unidos, o jornal Washington Post e o canal televisivo CNN divulgam a notícia em destaque em seus respectivos sites. A notícia também é manchete no site da televisão Al Jazeera, do Catar, que reúne as principais informações do Oriente Médio.
Polícia começa ouvir testemunhas
Um grupo de policiais começou a tomar depoimento de testemunhas do incêndio na Boate Kiss, em Santa Maria, que matou na madrugada deste domingo pelo menos 245 pessoas. O dono da boate onde ocorreu o incêndio se apresentou à polícia para prestar esclarecimentos.
As informações foram dadas à Agência Brasil pela delegada titular de Restinga Seca, Elizabete Shimomura, que foi quem atendeu a ocorrência por volta das 3 horas da manhã. Ele não soube informar o nome do dono da boate.
A delegada disse que o trabalho de retirada de corpos da boate terminou e que o Instituto Geral de Perícias recolhe material genético para identificar os corpos. “A grande maioria dos corpos vai ser facilmente identificada pelas famílias, já que estão intactos. Provavelmente, boa parte das pessoas morreu por asfixia, poucos estão queimados”.
Os corpos estão sendo levados para o Centro Desportivo Municipal de Santa Maria, onde as famílias foram cadastradas para identificação das vítimas.

Comentários