Preço de remédios para trabalhadores pode cair em 50%

Empresas responsáveis pelo Programa de Benefício em Medicamentos pretendem ampliar benefício em 2013
As empresas responsáveis pelo gerenciamento PBM (Programa de Benefício em Medicamentos) desejam ampliar os beneficiados dos atuais 2,5 milhões para seis milhões até o final de 2013. O PMB é um benefício fornecido pelas empresas aos trabalhadores. O subsidio permite que os trabalhadores paguem até 50% menos no valor dos medicamentos.
Presidente da PBMA, associação das empresas da gestão

de PMB,  Luiz Monteiro acredita que a medida beneficiará também os trabalhadores. “As empresas que têm o PBM acabam economizando, a longo prazo, com despesas de plano de saúde e falta no trabalho. O sistema já é bem difundido nos EUA, onde os trabalhadores não pagam 100% das despesas com remédios. Lá, as empresas assumem parte da conta”, disse ele, em entrevista ao jornal Diário de S. Paulo.
Segundo a publicação, 51,7% dos brasileiros não terminam o tratamento recomendado pelo médico por não poder arcar com as despesas dos remédios. “Muitos setores já estão aderindo ao PBM e é um benefício cada vez mais comum. As empresas perceberam que devem oferecer um proteção maior aos funcionários”, reiterou Monteiro.
No entanto, cada empresa elabora seu plano de assistência de saúde e PMB de acordo com o perfil de seus funcionários. No caso de pacientes com doenças crônicas, como a diabetes, o valor do auxilio pode chegar a até 100%. “Essa é uma prática comum. Alguns remédios custam até R$ 14 mil por mês e o trabalhador não pode pagar sozinho”, afirma Luiz Monteiro.

Comentários