Búzios revitaliza toda a área de saúde e prepara processo seletivo para novos agentes

Aquisição de novas ambulâncias e reestruturação do hospital municipal foram algumas das ações 
                Desde o dia 1º de janeiro, a Prefeitura Municipal de Armação dos Búzios vem trabalhando para recuperar e reestruturar todo o município, buscando atender a população com políticas públicas em todos os bairros. Uma das prioridades da atual gestão municipal, a Saúde vem recebendo diversos serviços para reparos e reformas nos postos de saúde, Hospital Municipal e Policlínica. Ao mesmo tempo, novos projetos já começam a ser desenvolvidos para o setor, como a elaboração de um processo seletivo para novos agentes de saúde e a construção de uma policlínica na Rasa.  


De acordo com a Secretária de Saúde do Município, Luiza Elisabete Carvalho, as primeiras ações do governo municipal foram os serviços básicos de limpeza e reforma das unidades de saúde, que se apresentavam em estado precário de uso. Segundo a secretária, o Hospital Municipal Rodolpho Perissé, a Policlínica Municipal e os Postos de Saúde da Família precisaram de diversas medidas emergenciais para continuar funcionando. Também nos Unidades de Saúde da Família, quase não havia profissionais trabalhando, a exemplo da unidade da Brava onde os médicos estavam ausentes há seis meses.  
“Dos programas e projetos que existiam, nada está funcionando. Pegamos tudo funcionando da forma mais básica possível. A saúde apenas sobrevivendo, com equipes reduzidas e postos de saúde sem atendimento. Nas primeiras semanas de janeiro, foi necessário realizar serviços emergenciais de infraestrutura, como limpeza, conserto de portas e de leitos para oferecer o mínimo de dignidade à população”, disse ela.  
Inaugurado há oito anos, o Hospital Municipal possuía equipes de plantão reduzidas, material deteriorado e apenas uma sala no centro cirúrgico em funcionamento, apresentando ainda vazamento, falta de ar condicionado e uma demanda reprimida de cirurgias eletivas de 6 a 8 meses.  
“Tivemos uma má impressão geral. Os equipamentos estavam todos se deteriorando, e havia apenas um respirador disponível para os pacientes. O Hospital também apresentava janelas quebradas e as poltronas para os pacientes estavam todas rasgadas”, disse a secretária, acrescentado que as primeiras ações na unidade foram pequenas reformas e reparos como conserto dos equipamentos quebrados e da estrutura interna, além de capina e substituição de leitos. Houve ainda a terceirização do serviço de alimentação com a contratação de uma firma oferecendo cinco refeições por dia, padronizando o atendimento e a qualidade do serviço. Outra medida que também trouxe tranqüilidade para a população foi a aquisição de ambulâncias para a Rasa, para onde mais quatro estão programadas.   
Contudo, segundo a secretária municipal, a situação mais agravante era a Policlínica Municipal, responsável por atender as especialidades não-incluídas nos Postos de Saúde da Família (PSFs), oferecendo, ainda, programas para controle de diabetes, hepatite, hipertensão e de planejamento familiar, com atendimento diferenciado de psicólogos e assistentes sociais.  
“A Policlínica foi o grande impacto que estava em situação mais lastimável. A começar pela porta principal que vinha sendo fechada por dentro, com uma cadeira, pois não havia fechadura. Realizamos serviços de capina, troca de lâmpadas e fechaduras, em geral. Ao lado da unidade, no centro de fisioterapia, descobrimos vasos, varal com roupas, situações bem desconfortáveis. Dentre nossos projetos mais urgentes está a construção de um novo Centro Municipal de Fisioterapia, que atenderá casos mais complexos, de maior abrangência”, disse ela.  
Processo seletivo para agentes comunitários de saúde – Composta por nove PSFs, a saúde municipal de Armação dos Búzios tem diversos projetos elaborados daqui para frente. Dentre os de destaque estão a construção de uma policlínica e mais um PFS na Rasa, a criação de uniformes para as equipes de saúde e a construção de um centro de leitos de estabilização, para os pacientes aguardarem o atendimento das ambulâncias. Também fazem parte do planejamento de governo a construção de um PSF na área de Vila Verde, para dar suporte ao Cruzeiro, e a abertura de um processo seletivo para contratação de agentes comunitários de saúde. O edital já foi aberto e enviado para a Procuradoria. Com apenas 30% do número de profissionais necessários, a Secretaria de Saúde objetiva aumentar a eficiência de combate a dengue e, ao mesmo tempo, gerar trabalho e renda para a população.  
“Nossa principal estratégia será a prevenção. Inicialmente, com o corpo reduzido de agentes comunitários de saúde, estamos estudando a contratação de bombeiros para nos auxiliar. De início, faremos uma grande mutirão para todo mundo trabalhar junto e o mais importante é que junto com as visitas dos nossos agentes, a população saiba quais os focos da dengue e nos ajude. Os moradores precisam ficar atentos já que deixar um vaso de planta com água, pneus na rua e outros focos espalhadas, mesmo parecendo inofensivos, podem trazer risco de epidemia”, disse a secretária, enfatizando que a campanha contra a dengue será intensificada logo após o período de carnaval.  


Crédito das fotos: panorama de sala – Evelin Martins
0075 / 0090 / 0005 – Marte Oliveira
Sugestão de legenda: Prefeitura encontrou hospital municipal, policlínica e postos de saúde em estado precário, necessitando reestruturação urgente.

Comentários